A Mata Atlântica renasce no entorno do Polo Automotivo Jeep, em Pernambuco

- 12 de junho de 2017
Aula ao ar livre: nas áreas de plantio, estudantes das escolas públicas da região aprendem a importância de preservar a natureza
Aula ao ar livre: nas áreas de plantio, estudantes das escolas públicas da região aprendem a importância de preservar a natureza

 

O Dia da Mata Atlântica (27 de maio) é parte do calendário oficial brasileiro desde 1999. De fato, faz sentido celebrar o bioma que marcou a nossa história a ponto de emprestar o nome ao país – por conta do pau-brasil.

A Mata Atlântica que os portugueses encontraram em 1500 se estendia pelo litoral das regiões Nordeste, Sudeste e Sul, e adentrava até em áreas do Centro-Oeste chegando até Paraguai e Argentina. Séculos de desmatamento – e de uma ocupação que necessariamente partia do litoral em direção ao interior – deixaram de pé apenas 7% da Mata Atlântica original.

Quando instalou sua mais moderna fábrica em território pernambucano, a Fiat Chrysler Automobiles (FCA) sabia que somente 23,9% do bioma natural da cidade havia sido preservado. No entorno do Polo Automotivo Jeep, em especial, foram séculos de degradação por conta do plantio de cana-de-açúcar.

Foi por conta dessa consciência ambiental que surgiu o Programa de Biodiversidade Jeep  que já realizou o replantio de mais de 60 mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica. A meta é plantar 208 mil mudas até 2024. O viveiro e as áreas de replantio são também salas de aula, onde estudantes das escolas públicas da região aprendem sobre a importância da preservação ambiental e o cuidado com a natureza.

Conheça mais sobre o Programa de Biodiversidade Jeep no infográfico abaixo:

infografico_biodiversidade_2

Esta matéria pode ser encontrada no Mundo FCA, um portal para quem se interessa por tecnologia, mobilidade, sustentabilidade, lifestyle e o universo da indústria automotiva.

banner-1

Veja também: