SPONSORS:

“A participação no Chivas Venture global foi uma experiência fantástica”

- 27 de outubro de 2017
Júlio Oliveto (à frente, de camisa azul clara) com a equipe e o Kit Livre: mais mobilidade para os cadeirantes
Júlio Oliveto (à frente, de camisa azul clara) com a equipe e o Kit Livre: mais mobilidade para os cadeirantes

Incrementar radicalmente a experiência dos cadeirantes com uso da tecnologia: essa foi a forma que a LIVRE encontrou para ganhar dinheiro levando impacto positivo à vida dos seus clientes. Fundada em 2014, a startup de São José dos Campos criou e fabrica o Kit Livre, um acessório portátil com roda, guidão, motor e bateria de lítio que pode ser engatado com facilidade em qualquer cadeira de rodas manual, transformando-a de imediato num turbinadíssimo triciclo elétrico, capaz de superar terrenos irregulares e calçadas esburacadas.

No fim de 2016, foi a LIVRE que superou a concorrência: a empresa bateu outras 180 startups brasileiras para vencer a seletiva nacional do Chivas Venture, conquistando uma vaga na fase mundial do maior campeonato de empreendedorismo social do planeta e a chance de disputar um pedaço do fundo de US$ 1 milhão (se você ainda não se inscreveu, atenção: as inscrições para a quarta edição do Chivas Venture vão só até as 7 horas da manhã [horário de Brasília] da próxima segunda-feira, 30 de outubro!).

“A participação no Chivas Venture global foi uma experiência fantástica. Estive em contato com empreendedores sociais que realizam trabalhos incríveis ao redor do mundo”, diz o engenheiro mecatrônico Júlio Oliveto, sócio da empresa e inventor do Kit Livre. “O nosso próprio trabalho foi reconhecido e isso fortaleceu a nossa equipe e aumentou a nossa autoconfiança. Estar entre os trinta negócios de maior impacto social no mundo nos permitiu acreditar ainda mais em nosso propósito.”

A etapa internacional do Chivas Venture ocorreu no primeiro semestre de 2017. Em março, durante a semana de aceleração no Skoll Centre for Social Entrepreneurship da Universidade de Oxford, na Inglaterra, Júlio recebeu mentorias sobre a área financeira, aprendeu mais sobre medição de impacto social e fontes de captação de recursos e teve um dia de preparação para apurar o seu pitch com foco na grande final, que seria realizada dali a alguns meses, em julho, em Los Angeles.

No período, o sócio da LIVRE também teve a oportunidade de interagir com outros finalistas daquela edição, incluindo startups que atuam no mesmo segmento de tecnologias assistivas, como a mexicana Wearobot, que criou um exoesqueleto para membros superiores, e a húngara NowTechnologies, fabricante de um dispositivo que permite controlar cadeiras de rodas motorizadas com o movimento dos olhos.

“Desde a participação no Chivas Venture, ampliamos a nossa equipe em 80% e nos posicionamos com maior relevância dentro do mercado em que atuamos”, revela o empreendedor. “A etapa de mentoring em Oxford nos ajudou a entender melhor a capacidade de transformação de paradigmas que podemos alcançar com o nosso trabalho. Com isso, investimos na equipe de vendas, em treinamentos e mentorias que nos auxiliaram na profissionalização do nosso negócio.”

O negócio da LIVRE é levar mais alegria e independência aos cadeirantes. Com o Kit Livre acoplado, a cadeira de rodas pode alcançar até 20 km/h – como Júlio gosta de frisar, uma velocidade que permite até sentir aquela brisa no rosto de quando estamos pedalando na bicicleta. O dispositivo pesa de 16 kg a 25 kg, dependendo do modelo; os mais robustos podem ser pilotados por usuários com até 130 kg. A autonomia gira em torno de 20 km a 25 km (o tempo de recarga é de quatro horas).

O preço do Kit Livre hoje varia de R$ 4.990 a R$ 11.999. Encontrar meios de tornar a compra acessível para um número cada vez maior de pessoas com deficiência é o enorme desafio que a empresa tem hoje pela frente.

“Mais de 80% de nosso público se classificam nas classes C e D e apresentam grande dificuldade para a aquisição do Kit. Estamos trabalhando fortemente na busca de empresas financiadoras que possam ser nossas parceiras para superar esse desafio presente em nosso negócio”, diz Júlio. “Outro desafio é ampliar a capacidade produtiva e reduzir o custo de fabricação. Com isso, buscamos possibilitar o acesso aos nossos produtos por uma parcela maior da população.”

Impulsionar negócios sociais com o potencial de melhorar a vida das pessoas é a missão do Chivas Venture. Se a sua startup se encaixa nesse perfil, inscreva-se até segunda, 30 de outubro, às 7h da manhã! É a sua chance de dar visibilidade a sua empresa, aprofundar o seu networking, adquirir conhecimentos e disputar uma fatia do fundo de US$ 1 milhão!

Quer saber mais sobre o Chivas Venture? Confira o infográfico exclusivo!

banner_venture

Veja também:

Com uma proposta inédita no país, o Civi-co quer abrigar e conectar empreendedores “cívico-sociais”

- 5 de outubro de 2017
Os sócios Ricardo e Patricia apostam em um coworking voltado para organizações e negócios sociais que transformem a sociedade.