A Siam Organic quer tirar agricultores da pobreza com um arroz mais saudável

- 20 de julho de 2017
Final pitch: Peetachai Dejkraisak apresenta a Siam Organic ao júri, incluindo Halle Berry (de preto) (Tyler Curtis/ Chivas Regal)
Final pitch: Peetachai Dejkraisak apresenta a Siam Organic ao júri, incluindo Halle Berry (de preto) (Tyler Curtis/ Chivas Regal)

 

 

Erradicar a pobreza no campo, empoderando pequenos agricultores da Tailândia por meio de um novo tipo de arroz orgânico, mais saudável, com cor de açaí e alto índice de antioxidantes é a missão (e a solução) da Siam Organic. Fundada em 2011, a empresa acaba de se consagrar como a vencedora do Chivas Venture. Em sua terceira edição, o maior campeonato de empreendedorismo social do mundo reuniu 30 startups de 30 países com um só propósito: promover negócios inovadores que visem não apenas o lucro, mas levar impacto positivo às pessoas e ao planeta.

A decisão do torneio ocorreu na noite do último dia 13, em Los Angeles, onde os cinco empreendedores finalistas tiveram a oportunidade de apresentar seus pitchs ao júri do Chivas Venture, na disputa pela fatia mais gorda dos US$ 750 mil restantes do fundo total de US$ 1 milhão (os primeiros US$ 250 mil foram distribuídos a partir de uma votação global que durou cinco semanas).

A Tailândia é o segundo maior exportador mundial de arroz, responsável por quase 25% das exportações, o que não impede que os ganhos dos produtores rurais do país estejam entre os mais baixos do Sudeste Asiático. Em Los Angeles, Peetachai Dejkraisak, CEO da Siam Organic, convenceu o júri do Chivas Venture e amealhou US$ 400 mil para sua companhia, que desenvolveu uma nova variedade orgânica de arroz por meio do cruzamento entre espécies e fornece capacitação em métodos de produção certificados a mais de mil famílias de pequenos agricultores – a meta é expandir o número para 20 mil famílias em três anos, impactando 100 mil pessoas.

“Estou muito feliz e grato, isto terá um impacto massivo”, disse Dejkraisak, sobre a vitória no The Venture. “Temos recursos extremamente limitados, então receber um financiamento como este é simplesmente incrível. Vai acelerar o nosso projeto em três ou quatro anos, e me poupar muitos cabelos grisalhos e muitas noites insones!”

Os benefícios do projeto são múltiplos. Com o arroz Jasberry (nome da variedade e da marca), os produtores rurais ganharam acesso ao mercado norte-americano e viram seus ganhos crescerem em até 14 vezes, na comparação com o arroz convencional, segundo Dejkraisak. O planeta beneficia-se com uma cultura sem aditivos químicos. Para os consumidores, o novo tipo de arroz é uma fonte riquíssima de antioxidantes (três vezes mais do que o mirtilo), que bloqueiam os radicais livres relacionados a doenças que vão do câncer ao Mal de Alzheimer, incluindo diabetes, hipertensão arterial e envelhecimento precoce.

Bem na foto: os cinco empreendedores finalistas posam antes da decisão do Chivas Venture 2017

Bem na foto: os cinco empreendedores finalistas posam antes da decisão do Chivas Venture 2017

Os outros quatro finalistas dividiram o restante dos US$ 750 mil. A RecyclePoints ficou com o segundo lugar e US$ 2090 mil; a startup nigeriana criou um sistema de bonificação da coleta seletiva que recompensa famílias cadastradas com pontos que podem ser revertidos em compras. Na terceira posição, empataram a israelense Intendu, que desenvolveu um videogame para reabilitação de pacientes com danos cerebrais; a sul-africana I-Drop Water, criadora de uma máquina para filtragem e venda de água potável por litro; e colombiana Bioestibas, que fabrica pallets com caules descartados por floricultores. Cada uma recebeu US$ 50 mil do The Venture.

O ator e comediante Josh Gad (o LeFou de A Bela e A Fera) assumiu o papel de apresentador da noite. Dona de uma marca de lingeries, a atriz e empresária Halle Berry fez parte do júri, que incluiu Sonal Shah, diretora do Beeck Center for Social Impact + Innovation, que estimula estudantes e líderes globais a produzir mudanças sociais de grande escala; Adam Braun, empreendedor, autor best-seller e fundador da MissionU, um programa de graduação alternativo voltado ao desenvolvimento de competências sintonizadas com o novo mercado de trabalho; e Alexandre Ricard, CEO da Pernod Ricard, dona da marca Chivas, que promove o Chivas Venture.

“O calibre dos finalistas desta noite foi extremamente alto”, disse Ricard. “Vê-los alcançar o sucesso será a realização definitiva para nós como jurados. Desejamos a eles o melhor.”

Os jurados avaliaram as empresas levando em conta aspectos como a viabilidade do modelo de negócio e seu potencial de escalabilidade. Entre os 30 concorrentes deste ano estava a LIVRE, startup baseada em São José dos Campos responsável por um dispositivo que pode ser acoplado a qualquer modelo de cadeira de rodas manual, transformando-a num triciclo elétrico e motorizado. E se você também é empreendedor, atenção: as inscrições para o Chivas Venture, Ano Quatro, começam em menos de dois meses, em setembro. Fique ligado no site e inscreva-se!

 

Veja também:

O que a Singularity University procura no Brasil? “Indivíduos excepcionais, capazes de mudar o mundo”

- 17 de março de 2017
Pascal Finette, VP de Startups Solutions da Singularity University, fala do primeiro programa de impacto social da universidade no Brasil.