SPONSORS:

Seis anos depois de se abrasileirar, Black Friday supera até o Natal no comércio online local

- 22 de novembro de 2017
O leitor de cartões Point é uma das várias ferramentas que o Mercado Pago coloca a disposição de quem compra e vende no Brasil.
O leitor de cartões Point é uma das várias ferramentas que o Mercado Pago coloca a disposição de quem compra e vende no Brasil.

É difícil de acreditar que até 2011 as menções ao termo “Black Friday” na imprensa brasileira diziam respeito exclusivamente à cobertura internacional de um hábito tão estadunidense quanto os desfiles de Quatro de Julho ou o Mardi Grass em Nova Orleans. Foi naquele novembro, entretanto, que diversos sites de compra resolveram abrasileirar a liquidação americana, dobrando seus pedidos on-line no período de 24 horas. A partir daí, com a adesão de grandes varejistas, a Black Friday não parou de crescer no Brasil – e ganhar um rosto nacional. Hoje, os números são de impressionar: a Black Friday é a principal data do comércio eletrônico brasileiro, com um volume de transações 7 vezes maior do que qualquer outro dia do ano – incluindo os do período natalino E a nossa reinvenção vai além. Em vez de queimar os estoques como os americanos, no Brasil a ideia é lançar produtos, montar estoques e criar oportunidades especialmente para a data.

“Hoje, o vendedor já compreendeu a importância da Black Friday para seu negócio, e busca fidelizar seu cliente recorrente, além de conquistar novos consumidores”, diz Rodrigo Silva, head de Marketing da empresa de tecnologia de serviços financeiros Mercado Pago. “A data ainda é recente no Brasil, mas já se consolidou como uma das principais do comércio eletrônico, e certamente uma das mais aguardadas do ano, também.”

Para 2017, a Black Friday, que desta vez cai em 24 de novembro, próxima sexta-feira, é ainda mais aguardada. Em um ano especialmente desafiador para o varejo, as datas comemorativas e os marcos comerciais ganham relevância. Em 2016, o faturamento cresceu 17% em relação ao ano anterior, chegando a R$ 1,9 bilhão. Para este ano, a previsão é de mais 12%, chegando a R$ 2.1 bilhões. Pensando nisso, o Mercado Pago organizou em outubro o seminário Unbox Black Friday, um evento com palestras e debates que preparassem os vendedores para as demandas do dia 24 de novembro.

“O evento foi pensado para apoiar o vendedor em todas as fases da Black Friday, que implica em grande movimentação de vendas”, conta Rodrigo Silva, do Mercado Pago. “É uma data que exige muita organização, preparo, equipes motivadas e muita energia. E há um mar de outros lojistas na mesma competição de vendas. Por isso, promovemos o Unbox Black Friday para prepará-los, desde os pontos mais básicos até dicas de como se diferenciar nesse universo. Com a presença de outros grandes nomes, como Facebook e Google, enriquecemos o debate para que o vendedor tenha uma visão ampla do que significa a Black Friday e possa tomar as melhores decisões na hora de planejar suas ofertas e divulgá-las.”

Entre as principais características da Black Friday brasileira, certamente a mais evidente é a sua cara hi-tech. Não apenas porque o e-commerce responde pela maioria das compras (64%), mas também porque os artigos de informática, celulares e telefones movimentam quase que a metade do total de vendas. O gráfico abaixo mostra um dos pontos pesquisados pelo Mercado Pago com 900 consumidores on-line e revela que, mais do que a comodidade, o que atrai o cliente é a possibilidade de pesquisar preços e promoções em diversas lojas diferentes:

1311_Black Friday é o novo Natal_tabela02

Fonte: Pesquisa Mercado Pago 2017

Outra característica marcante da Black Friday brasileira é o quanto ela é aguardada. Segundo pesquisa do Ibope Conecta encomendada pelo Mercado Livre, 83% dos consumidores planejam comprar na data, e 93% desses já se programaram financeiramente.  Isso reverte o hábito brasileiro das compras por impulso. Somente 16% dos entrevistados comprariam “para aproveitar a oportunidade” de uma oferta tentadora. “Esse é um importante indicador de que a data já está consolidada para o consumidor brasileiro. Aguardar a data significa mais procura, pesquisa, reflexão sobre a compra, o que garante mais segurança e satisfação”, afirma Rodrigo Silva. “Quando o lojista está bem preparado para a Black Friday, pode apostar em avaliar os históricos de busca e de compra o cliente, e avisá-lo de que o produto que ele procura estará em oferta na data”, completa.

Com as compras programadas, forma-se um “mapa” muito fiel do público da Black Friday. É possível, por exemplo, saber a intenção de compras por categorias (gráfico abaixo), que 47% pretendem pagar à vista no boleto e 35% só pretendem parcelar no cartão se não incidirem juros nas parcelas e que a previsão de ticket médio fique entre R$ 500 e R$ 1.000. Com tanto conhecimento prévio, a Black Friday torna-se uma oportunidade única para o lojista aumentar sua base de clientes, gerar degustação, fazer experiências e movimentar estoque. Em outras palavras, reter e monetizar seu usuário, mais do que gerar lucro imediato.

1311_Black Friday é o novo Natal_tabela01

Fonte: Pesquisa Mercado Pago 2017

Outro ponto importante levantado no Unbox Black Friday foi o da necessidade de atenção para os sistemas tecnológicos que suportem as grandes demandas – o movimento começa, na realidade, na quinta-feira, segundo medição do Google. Na verdade, a data é uma grande oportunidade para os pequenos realizadores (a visitação aos sites pequenos cresceu 161% na Black Friday de 2016, em comparação aos 134% dos grandes magazines), mas as pesquisas mostram que uma experiência de navegação ruim ou problemas com o fornecimento podem ser fatais para o lojista. “É uma data que deve ser bem planejada, e tem grandes chances de sucesso para pequenos lojistas. Com o maior uso da internet para pesquisas, maior também é a relevância e a possibilidade de um site pequeno ter destaque”, afirma Rodrigo Silva. “Pequenos empreendedores têm muito potencial de sucesso na Black Friday, e o Mercado Pago promove uma série de ações para apoiá-lo em seu negócio, com facilidade e total segurança”.

No meio de tanta movimentação, a boa divulgação é especialmente estratégica. Mas aí entra uma outra vantagem do ambiente online: “Usar as redes sociais como estratégia de divulgação é uma excelente opção para o comércio eletrônico”, afirma Rodrigo Silva, do Mercado Pago. “Afinal, o cliente sai do anúncio no Facebook diretamente para sua página de compras.”

Ou seja, a Black Friday é mais do que o “novo Natal”. Pode ser uma parte fundamental da estratégia de seu negócio on-line, ampliar sua base e solidificar seu empreendimento.

E o Mercado Pago está pronto para te ajudar a comprar e vender. Clique aqui e descubra tudo o que podemos fazer por você.

 

Mercado Pago - Banner Draft v1