SPONSORS:

Chili Gum, uma startup que oferece vídeos self-service para empresas

- 7 de outubro de 2015

Nome:
Chili Gum.

O que faz:
Oferece a produção de vídeos curtos para empresas. Por meio da plataforma Producteaser, os usuários criam vídeos de campanhas de forma automatizada. Há ainda o formato de Vídeos Explicativos e eles pretendem lançar o Vídeo Ads, para promoção da mídia em redes sociais.

Que problema resolve:
A startup diz querer tornar o processo de produção de vídeos mais econômico, rápido e escalável. A ideia é ajudar os clientes a atingir o público com mídias rápidas e efetivas.

O que a torna especial:
O site serve permite a criação de campanhas com alguns cliques. “O Producteaser é a única plataforma no país a oferecer o serviço de criação de vídeos nesse modelo self-service”, diz a fundadora, Deborah Folloni. 

Modelo de negócio:
Para o Producteaser, há planos de assinatura a partir de 200 reais por mês, que permite criar até cinco vídeos em 30 dias.

Fundação:
Agosto de 2012.

Sócios:
Deborah Folloni — Fundadora.

Perfil dos fundadores:
Deborah Folloni — 22 anos, em São Paulo (SP). Estudou Global Management na Regent’s University, em Londres. Foi finalista do Startup Farm aos 18 anos e fundou a Chili Gum aos 19.

Como surgiu:
A ideia da Chili Gum veio de um projeto que Deborah criou com um amigo, um aplicativo para compras customizadas, aos 17 anos. Em busca de um investidor para tornar o projeto acessível, ela participou do Startup Farm de Belo Horizonte e, para explicar o aplicativo, criou um vídeo curto. O vídeo fez mais sucesso e acabou ofuscando o aplicativo. Daí surgiram as primeiras propostas para mais produções.

Estágio atual:
A empresa tem um escritório em São Paulo, dividido em duas equipes. A Chili Gum Videos é responsável pela produção de vídeos explicativos tradicionais, com roteiristas, diretores de arte e produtores. Já a Producteaser é uma seção de tecnologia e inovação, onde trabalham desenvolvedores e gerentes de produto.

Aceleração:
Não foi acelerada.

Investimento recebido:
Recebeu um aporte de 600 mil reais, no início de 2015, do investidor-anjo Alexandre Badolato.

Necessidade de investimento:
Não estão captando.

Mercado e concorrentes:
A Chili Gum vê sua plataforma Producteaser como uma opção a ser explorada por pequenas e médias empresas em mídias sociais. A inglesa Powtoon tem uma proposta muito parecida, e a brasileira Solda Fria oferece produções para finalidades semelhantes, porém com preços, formatos de vídeos e modelos de negócio diferentes.

Maiores desafios:
“Precisamos educar o mercado e ganhar a confiança dos empresários, mostrando todo o benefício que a plataforma pode trazer para os seus negócios”, diz Deborah. Seus planos incluem uma expansão da plataforma.

Faturamento:
A previsão é faturar 3 milhões de reais até 2016.

Previsão de break-even:
Final de 2016.

Visão de futuro:
A empresa diz que espera popularizar o uso de vídeos no Brasil.

Onde encontrar:
Site
Contato

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

Você, um smartphone e um notebook = vídeos profissionais!

- 21 de junho de 2017
1139 0 0

“Meu mercado estava em crise. Não fiquei parado esperando ele morrer”

- 9 de agosto de 2016

Como a eduK, a ‘Netflix da educação’, quer dominar o mercado da América Latina

- 8 de Janeiro de 2016
Robson Catalan e Eduardo Lima, sócios da eduK, chamaram também o técnico de vôlei Bernardinho para a startup de ensino online (foto: Luiz Padovan/eduK).