Com apenas três anos de operação, a Kickante já é o maior site de crowdfunding do Brasil

- 4 de julho de 2017
A CEO Candice Pascoal: premiada em abril pelo Cartier Women’s Initiative Awards 2017
A CEO Candice Pascoal: premiada em abril pelo Cartier Women’s Initiative Awards 2017

Candice Pascoal é, por natureza, uma inconformada com as injustiças e o desequilíbrio de oportunidades. Para mudar esse jogo, ela arregaçou as mangas e resolveu fazer a sua parte.
Assim ela fundou a Kickante, que com apenas 3 anos de operação já se tornou o maior site de crowdfunding do Brasil. A empresa tem uma taxa de crescimento que ultrapassa 1000% e se se tornou uma luz brilhando no horizonte econômico para muita gente, pois capta capital para empreendedores e tantos outros criadores de projetos.

Graças a sua atuação como CEO da Kickante, Candice foi a vencedora do Cartier Women’s Initiative Awards 2017, premiação considerada uma das mais importantes iniciativas do empreendedorismo feminino do mundo.

Kickante: fazendo a diferença 

“Quando uma pessoa tem um projeto, mas não tem meios de torná-lo realidade, ela pode entrar em contato conosco e contar sua história. A partir daí, elaboramos dicas e orientações para que a mensagem seja transmitida de forma clara, a campanha seja um sucesso e atinja sua meta”, diz Candice.

A ideia é que qualquer pessoa interessada consiga colaborar, e com o valor que puder, para que um sonho ou projeto seja realizado. Além disso, a Kickante conta com um marketplace financeiro, como nenhum outro existente no mercado global, que oferece 3 produtos para a captação: o Crowdfunding, o Clube Mensal de Contribuição (com ele é possível que ONGs, artistas, escritores, inovadores, atletas, entre outros, continuem arrecadando fundos para seus projetos, mesmo depois que a campanha for encerrada) e, por fim, o Eventos do Bem, que tem mais de 300 ONGs cadastradas na plataforma.

“Este último produto permite que terceiros que se sensibilizam com a causa iniciem uma campanha de arrecadação de fundos para esta organização. O valor arrecadado é enviado diretamente para a instituição, evitando, assim, o risco de fraudes. Para vencer no nosso mercado, temos que inovar constantemente”, explica Candice.

Para a empresa se sustentar financeiramente, é cobrada a taxa de 12% sobre o valor arrecadado na campanha. Depois das taxas pagas aos bancos, a Kickante fica com cerca de 10% dos valores captados.

Confira a entrevista completa na plataforma Itaú Mulher Empreendedora e veja como a Kickante tem ajudado a transformar o cenário das pequenas e médias empresas do país!

 

banner ime

 

Veja também: