SPONSORS:

Como a Antecipa consegue flexibilizar taxas cobradas no mercado de recebíveis, e ainda lucrar com isso

- 6 de novembro de 2017
Camilo Telles fala da criação e atuação da Antecipa, sua segunda startup, que nasceu em Salvador e agora está também no Cubo, em São Paulo.
Camilo Telles fala da criação e atuação da Antecipa, sua segunda startup, que nasceu em Salvador e agora está também no Cubo, em São Paulo.

Automatizar a relação financeira entre compradores e fornecedores é a missão da Antecipa, uma startup com sede em Salvador, fundada no começo de 2016 por Camilo Telles, 43, formado em Ciências da Computação. Para entender a inovação proposta pela plataforma, é preciso ter em mente que ela não é uma startup com serviços para o usuário direto e, sim, para empresas e seus respectivos departamentos financeiros.

Quando uma pequena ou média empresa fornece algum produto ou serviço para uma grande empresa ela tem um valor a receber dessa companhia, é o chamado “recebível”. Só que esse dinheiro normalmente não entra no caixa imediatamente, pois há um prazo para o pagamento da fatura. O que acontece, muitas vezes, é que o fornecedor precisa receber o dinheiro antes do prazo, e é aí que ele recorre à antecipação do recebível.

Pois bem. Isso já é uma prática comum no mercado. Grandes empresas antecipam os recebíveis de seus fornecedores e cobram uma taxa por adiantar o dinheiro. Só que, nesse emaranhado de centenas de fornecedores, todos são tratados da mesma forma e a taxa de desconto, portanto, costuma ser igual para todos.

“Existe um problema de assimetria de informação”, diz Camilo, e prossegue: “Quando o preço de desconto é fixo, o detentor de um bom crédito na praça, conhecendo a taxa de desconto que o seu comprador proporciona, vai procurar outro canal para descontar seu recebível. Já aquele que tem um crédito ruim terá no comprador sua opção mais barata de financiamento. Por outro lado, o comprador não sabe quais taxas seu fornecedor consegue em bancos ou outras fontes de capital e, por conta disso, somente os piores títulos chegam para ele”.

É aí que entra a inovação tecnológica trazida pela startup. Com uso de algoritmos e análise de dados, a Antecipa faz uma avaliação individualizada de cada fornecedor, levando em conta o risco de cada um e, dessa forma, funciona como um marketplace que se propõe a oferecer taxas mais atraentes tanto para o comprador quanto para o fornecedor. O modelo de negócios vem de um percentual cobrado dos compradores (as grandes empresas que antecipam dinheiro aos fornecedores), que varia de acordo com o desempenho das transações e a rentabilidade.

No palco do SAP Forum, Camilo apresenta a Antecipa para os "tubarões".

No palco do SAP Forum, Camilo apresenta a Antecipa para os “tubarões”.

Na prática, diz o empreendedor, fornecedores conseguem taxas que variam de 1,36% a 4,5% ao mês ao antecipar recebíveis usando a Antecipa. E os compradores, que são de fato os clientes da startup, obtêm uma rentabilidade entre três e quatro vezes melhor do que sem o uso da plataforma. Ele resume o atrativo da plataforma:

“Conseguimos colocar preços variáveis em relações que já existiam e tinham preços fixos”

Desde que lançou a startup, o maior desafio enfrentado por Camilo e sua equipe foi a integração com o SAP (software de gestão financeira) das grandes empresas. Sim, porque a Antecipa precisava integrar sua plataforma ao sistema de contas a pagar dessas companhias para ser eficiente e fazer as operações em poucos minutos.

“Fizemos essa integração sozinhos”, conta o empreendedor. Depois de todo o esforço – e com o problema já resolvido —, a Antecipa foi convidada pela própria SAP (multinacional alemã desenvolvedora do software de mesmo nome) para participar do programa de aceleração da companhia chamado Startup Focus. “Para nós, a grande vantagem de fazer parte do programa é a credibilidade. O fato de a SAP nos apoiar funciona como um aval e facilita a negociação com as empresas na hora de pedir que abram o ‘contas a pagar’ para nós”, diz Camilo. Em setembro deste ano, ele foi convidado a fazer um pitch de três minutos em uma simulação do “Shark Tank” realizada no SAP Forum, o maior evento do tipo no país.

Além de participar do programa de aceleração da SAP, a startup também é residente no Cubo, espaço do Itaú e da Redpoint Ventures que reúne diversas startups. “O Cubo é a melhor experiência do ecossistema de startups que conheço”, conta ele. “Todas as empresas lá dentro são interessantes e o espaço permite conexão entre elas, o que acaba ajudando na solução de problemas e até na atração de clientes.”

COMO É COMEÇAR COM CAPITAL PRÓPRIO

Para fundar a Antecipa, Camilo investiu 300 mil reais do próprio bolso. Só um detalhe: ele teve a ideia do negócio meses antes, mas precisou esperar porque, na época, estava envolvido no dia a dia da operação de outra startup que havia criado, o escritório de contabilidade online Agilize. “Quando a equipe estava pronta para tocar o negócio sozinha eu passei a me dedicar à Antecipa”, conta o empreendedor, que ainda é sócio da Agilize.

Com mais tempo livre, Camilo montou uma equipe para desenvolver o marketplace que, como ele mesmo diz, ao ficar pronto parecia um terminal de informações para o mercado financeiro:

“Eu achei que estava ótimo, que venderia a primeira versão, e comecei a oferecer para as empresas. Foi um banho de água fria”

Ele conta que, com os feedbacks negativos, reuniu a equipe e reformulou toda a interface da ferramenta. Foram mais quatro meses de desenvolvimento até que a “cara” da plataforma estivesse mais amigável.

O primeiro investimento-anjo, no valor de 300 mil reais, só veio quando o negócio já estava rodando nos primeiros clientes. Atualmente, mais de 300 empresas usam o Antecipa, que projeta um faturamento de 2 milhões de reais este ano. A meta para o próximo ano é bem mais agressiva, e Camilo espera atender 10 000 empresas até o fim de 2018.

DRAFT CARD

Draft Card Logo
  • Projeto: Antecipa
  • O que faz: Marketplace de antecipação de recebíveis
  • Sócio(s): Camilo Telles
  • Funcionários: 6 (incluindo o fundador)
  • Sede: Salvador
  • Início das atividades: 2016
  • Investimento inicial: R$ 300.000
  • Faturamento: R$ 2 milhões (2017)
  • Contato: contato@antecipa.com
Veja também:

Draft ano 2 – Depois de ser vendida, a ZeroPaper mudou de nome e seu fundador virou executivo…

- 30 de setembro de 2016
De empreendedores a executivos de alto escalão, o trio que fundou a ZeroPaper (da esq. para a dir.): Cadu Braga, André Macedo e Árley Moura (foto: Gustavo Scatena)