SPONSORS:

Como a Contente está investindo na missão de tornar a internet mais humana e acolhedora

- 3 de novembro de 2017
"Em nossas comunidades já somos mais de 230.000 pessoas conectadas"
"Em nossas comunidades já somos mais de 230.000 pessoas conectadas"

 

Nascida em Recife, Daniela Arrais é jornalista, trabalhou durante anos na mídia impressa, é autora do blog Don’t Touch My Moleskine e há 11 anos mora em São Paulo. Já Luiza Voll é de Belo Horizonte, formou-se em publicidade e depois de ter vivido um período em Barcelona, onde se especializou em design de Interação, mudou-se para São Paulo e trabalhou em agências publicitárias e consultorias de design.

Elas se conheceram pela internet e, depois de trocarem e-mails, descobriram que tinham uma paixão em comum: a internet. Conversaram, tornaram-se grandes amigas e, diante de tantos sonhos e projetos profissionais que as uniam, não deu outra: cheias de empolgação, decidiram trabalhar juntas. Assim elas criaram a Contente, um conjunto de ações e ideias que busca fazer da internet um espaço mais humano, acolhedor, autoral e coletivo. A empresa cria projetos, eventos, publicações e conteúdo, sempre com o objetivo de contribuir para a #ainternetqueagentequer.

Há alguns anos nós publicamos no Itaú Mulher Empreendedora uma entrevista com essas empreendedoras, você se lembra? Mas de lá pra cá, com certeza, muita coisa mudou, e resolvemos bater um papo com a Dani e a Luiza para saber como elas têm se saído nesta jornada à frente da Contente. Confira o bate-papo!

Quando criaram a Contente, qual era a meta de vocês?

Logo que começamos a empreender, recorremos às nossas expertises: conteúdo, planejamento e arquitetura de informação, mas sem saber muito bem como faríamos. Mas a essência da empresa nasceu, mesmo, quando criamos o nosso primeiro projeto autoral, o Instamission.

Na época em que criamos a Contente, ela era nosso plano B, e nosso objetivo era ter um trabalho em que a gente fosse feliz e conseguisse criar com mais liberdade. Estávamos satisfeitas com os trabalhos que tínhamos, eu como jornalista, a Luiza como publicitária. Mas sentíamos falta de colocar várias das nossas ideias no mundo, de exercer a criatividade plenamente, sem amarras. Começamos fazendo consultorias, mas logo percebemos que queríamos ir além. Desejávamos criar algo muito legal para a internet, que sempre foi uma fonte de inspiração e conhecimento para nós. Foi assim que criamos o @instamission, nosso projeto de missões fotográficas. Existe há 6 anos, reúne mais de 55.000 seguidores e mais de 800.000 fotos já foram postadas usando as hashtags do projeto. O @instamission nos fez ter certeza de que criar conteúdo, gerar engajamento e cultivar comunidades são nossas expertises.

E hoje, essas metas e objetivos mudaram?

Hoje compreendemos com mais amplitude qual é a missão da Contente: criar coletivamente #ainternetqueagentequer. Essa internet é mais humana, acolhedora, autoral e consciente. Fazemos isso por meio de projetos, promoções, eventos, publicações e trabalhamos com curadoria e conteúdo, sempre com este mesmo objetivo em mente.

Expliquem-nos como funciona a empresa, atualmente?

Somos uma dupla que se conecta em rede com profissionais parceiros de acordo com a demanda dos projetos. Criamos estratégias e conteúdo sob medida para marcas, mas nossa especialidade é a produção autoral: temos mais de 6 projetos próprios que oferecem distintas possibilidades de interação entre marcas e comunidades extremamente engajadas. Provocamos um olhar mais atento, generoso e curioso para o mundo por meio de missões no @instamission. Falamos de amor no @amoresanonimose no @minhacartadeamor. Sobre escolhas mais conscientes nos canais do #vailá (@vailaSP@vailaPOA@vailaREC@vailaMACEIO@vailaFLORIPA@vailaBELEM, @vailaRIO e @vailaBXD). No @retratosanonimos, a câmera se desloca do selfie e aponta para o outro. Já o @donttouchmymoleskine faz uma curadoria sobre amor, arte, música, literatura, fotografia e tudo mais o que enche os olhos e o coração. Por fim, unimos todos os temas que nos motivam na série de textos e encontros #ainternetqueagentequer. Em nossas comunidades já somos mais de 230.000 pessoas conectadas.

Vocês imaginavam que a empresa se tornaria o que é hoje?

Nunca pensamos muito nisso, sabia? Sempre celebramos muito o nosso encontro na vida. Temos uma sintonia absurda e adoramos trabalhar juntas. E que podemos fazer algo hoje, outra coisa diferente amanhã, mas sempre com o desejo de construirmos os capítulos dessa história juntas. Hoje nos impressiona, sim, ver que trabalhamos com as principais marcas em atuação no Brasil. E, ainda mais, que conseguimos dialogar bem com as agências e as marcas para criar ações para gente de verdade, com real engajamento.

E como é a atuação de vocês na empresa?

Fazemos absolutamente de tudo e compartilhamos todas as tarefas. Cada uma tem aptidões diferentes, mas não existem responsabilidades que competem somente a uma de nós, ambas estão sempre a par de tudo. Isso fortalece as ideias e também a nossa liberdade, permitindo sempre que possamos nos ausentar sem nenhuma preocupação que a outra não vá dar conta do recado.

Quais são os diferenciais da Contente?

A grande taxa de engajamento nas ações que propomos, sejam elas patrocinadas ou não. Somos especialistas em criar e gerenciar comunidades por meio de um conteúdo de alto impacto emocional positivo. Nutrimos nossas comunidades independentemente de orçamento, de patrocínio. Fazemos isso há anos simplesmente pela paixão que temos na construção da #ainternetqueagentequer. Essas comunidades, em retorno, conseguem o que os números inflacionados de inúmeros perfis não fazem. Participam, emocionam e entregam, além de números incríveis, uma criação coletiva espetacular. As marcas passam a entender que temos muito mais em jogo! Estamos juntos todos os dias criando realidades mais positivas.

Vocês imaginavam que a empresa se tornaria o que é hoje?

Nunca pensamos muito nisso, sabia? Sempre celebramos muito o nosso encontro na vida. Temos uma sintonia absurda e adoramos trabalhar juntas. E que podemos fazer algo hoje, outra coisa diferente amanhã, mas sempre com o desejo de construirmos os capítulos dessa história juntas. Hoje nos impressiona, sim, ver que trabalhamos com as principais marcas em atuação no Brasil. E, ainda mais, que conseguimos dialogar bem com as agências e as marcas para criar ações para gente de verdade, com real engajamento.

E como é a atuação de vocês na empresa?

Fazemos absolutamente de tudo e compartilhamos todas as tarefas. Cada uma tem aptidões diferentes, mas não existem responsabilidades que competem somente a uma de nós, ambas estão sempre a par de tudo. Isso fortalece as ideias e também a nossa liberdade, permitindo sempre que possamos nos ausentar sem nenhuma preocupação que a outra não vá dar conta do recado.

Quais são os diferenciais da Contente?

A grande taxa de engajamento nas ações que propomos, sejam elas patrocinadas ou não. Somos especialistas em criar e gerenciar comunidades por meio de um conteúdo de alto impacto emocional positivo. Nutrimos nossas comunidades independentemente de orçamento, de patrocínio. Fazemos isso há anos simplesmente pela paixão que temos na construção da #ainternetqueagentequer. Essas comunidades, em retorno, conseguem o que os números inflacionados de inúmeros perfis não fazem. Participam, emocionam e entregam, além de números incríveis, uma criação coletiva espetacular. As marcas passam a entender que temos muito mais em jogo! Estamos juntos todos os dias criando realidades mais positivas.

Como têm sido esses últimos anos como empreendedoras?

Anos extremamente desafiadores! Tivemos que aprender tudo do zero. E achamos importante contar para as pessoas que, quando você empreende, nunca para de aprender. Cada dia traz uma novidade, uma surpresa ou um problema, e isso é maravilhoso. Sentimos que somos profissionais muito mais completas hoje em dia, com uma visão em 360 graus. Ou seja, além de profissionais de jornalistas e publicitárias, conseguimos revisar um contrato jurídico, ver a contabilidade, fazer um pouco de relações públicas. Uma empresa do tamanho da nossa exige que a todo momento a gente aprenda alguma coisa, seja gestão, relacionamento, cultivo e expansão dos projetos ou prospecção.

Nesse período, qual foi o maior desafio que vocês enfrentaram?

A maior dificuldade que tivemos até hoje aconteceu em 2013, quando uma portaria do Ministério da Fazenda proibiu concursos culturais em redes sociais sem autorização prévia da Caixa Econômica. O texto endurecia uma regra para distribuição de prêmios que existe há mais de 40 anos. E tornava o Instamission, por exemplo, inviável como negócio. Da noite para o dia, parecia que o nosso negócio tinha acabado. Chegamos a receber pêsames das agências de publicidade. Mas resolvemos colocar a mão na massa para resolver a questão. Consultamos advogados especializados, mas eram caríssimos. Então resolvemos nós mesmas decifrar o “juridiquês”. Depois de três meses conseguimos adaptar o modelo da autorização. Fomos a primeira empresa a conseguir isso – e a Caixa usou nosso modelo como referência para outras empresas. Foi, realmente, um daqueles percalços que, quando passam, nos ensinam muito.

Vocês deixaram de lado algum projeto durante esta jornada?

Os projetos que criamos sempre surgem em sintonia com o que estamos vivendo no momento. Então é interessante compartilhar que mesmo quando percebemos que algumas ideias deveriam ser deixadas de lado por não estarem mais de acordo com o que acreditávamos ou simplesmente por não estarem dando certo, decidimos criar um projeto para falar sobre isso. Assim nasceu o Como Matar um Projeto, um especial de conteúdo e de vídeos que tem o objetivo de desmistificar o fracasso, falar abertamente sobre o que não deu certo e reconhecer que os nossos erros são importantes em nossa trajetória. Por lá contamos todos os projetos que decidimos “matar”. Também vale a pena ver a série de vídeos que produzimos com personalidades bem sucedidas e o que elas têm a dizer sobre o fracasso.

E quais seus planos para o futuro?

Ampliar o alcance da missão #ainternetqueagentequer e mostrar que juntos conseguimos criar realidades mais positivas, tanto na internet quanto na vida (hoje mais do que nunca, não existe separação). Queremos estar com esta missão em escolas desde muito cedo e também em meios de comunicação com cada vez mais alcance. Já trabalhamos com inúmeras marcas que acreditam em uma comunicação mais humana e significativa e queremos mostrar para as áreas de negócio que esta forma de se comunicar impacta de uma maneira transformadora e com muito resultado. E se você que está lendo sente que pode nos ajudar com estes objetivos, aguardamos o seu contato :-)

 

Para saber mais:

Contente: www.contente.vc

O que faz: Criação de projetos, promoções comercias, eventos, publicações e trabalhamos com curadoria e conteúdo.

Sócias: Daniela Arrais e Luiza Voll

Funcionários: Temos colaboradores da rede #vailá: Luana Silva, Suann Medeiros, Carlos Heitor Botelho Brito, Tayana Moura, Gabrielle Estevans, José Neto, Laura Quaresma, Lorena Azeredo Germano.

Sede: São Paulo

Início das atividades: 2010

Contato: dani@contente.vc/luiza@contente.vc

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

NOVO BANNER

Veja também: