Este é um espaço para que Drafters como você publiquem no Draft. Escreva, leia, discuta.

“Aos 40, minha vida mudou. As oportunidades estão em lugares que nem imaginamos, basta prestar atenção”

- 14 de julho de 2017
Flavio Cremonesi, o Limonada, conta como sua vida mudou ao chegar aos 40 anos.

“Quem eu era quando não estava trabalhando? Eu não sabia. Precisei de coragem para encarar este vazio”

- 7 de julho de 2017
Super workaholic, Marcia Freire Mello tentou fugir quando a crise existencial bateu. Não adiantou. Só quando olhou para dentro ela conseguiu se libertar de uma prisão que nem enxergava (foto: Carmen Fernandes).

“Culpar a tecnologia pelos nossos males é como culpar as armas pelas mortes que provocamos: pura bobagem”

- 30 de junho de 2017
Dagomir Marquezi reúne o melhor do que já produziu sobre tecnologia. Nenhuma teoriza catastrófica se cumpriu, e ele mal pode esperar para se tornar um ciborgue.

“Existe hora certa para mudar tudo na vida? Só aos 38 eu chutei o pau da barraca. Foi a melhor coisa que fiz”

- 23 de junho de 2017
Existe idade certa para chutar o pau da barraca? Aos 38, Almir Fantin saiu do Brasil para estudar inglês. Ele não sabia que a maior lição seria sobre vulnerabilidade, compaixão e transformação.

“No holerite da vida, quanto lhe sobra de tempo líquido?”

- 16 de junho de 2017
Quanto tempo de vida e de carreira você joga fora em atividades que não trazem nada nem para você nem para ninguém? Maurício Barros fez essa conta. O resultado é assustador. (foto: Ramón Vasconcelos).

“Nada é mais nocivo que o preconceito que a gente não vê, que está no dia a dia, nas pequenas coisas”

- 15 de junho de 2017
Luciana Sato conta como achava que tudo ia bem na sua vida até perceber como o machismo e o preconceito são inconscientes, cruéis. Começou, então, a se mexer, se reencontrar, se reconectar.