SPONSORS:

Nasce uma corretora youtuber: a metamorfose da Easynvest

- 5 de dezembro de 2017
Luz, câmera, ação: Rafael (à esq.) e Leonardo festejam o sucesso da Easynvest no Youtube – o canal já soma 178 mil inscritos
Luz, câmera, ação: Rafael (à esq.) e Leonardo festejam o sucesso da Easynvest no Youtube – o canal já soma 178 mil inscritos

 

No dia 18 de maio de 2017, uma “bomba” política abalou o mercado financeiro do Brasil. Naquela quinta-feira, a notícia de que o presidente Michel Temer havia sido grampeado pelo empresário Joesley Batista em uma conversa na calada da noite, no Palácio do Jaburu, em Brasília, derrubou a Bolsa e detonou o primeiro circuit breaker (a interrupção das transações por excesso de turbulência) em nove anos.

No escritório da Easynvest na Vila Olímpia, em São Paulo, o time de atendimento passou o dia enlouquecido, com os ramais lotados de clientes querendo saber o que esperar naquele cenário de incerteza. Enquanto isso, a aparelhagem audiovisual novinha em folha que a empresa acabara de adquirir ainda esperava o momento de ser desembalada. Por pouco tempo.

“Inauguramos os equipamentos naquele dia com um webinar (E agora? O que fazer com meus investimentos?) sobre como a delação da JBS impactou o mercado”, diz Leonardo Albuquerque, analista de conteúdo da Easynvest. “Foi o nosso pico de audiência para uma live: atingimos mil pessoas simultaneamente, o que é bem significativo. Entrando ao vivo, conseguimos sanar o problema de atendimento e acalmar os clientes.” Em tempo real, as mensagens pipocavam, com agradecimentos, elogios e comentários sobre o upgrade de imagem e som. “A transmissão foi na correria, mas deu tudo certo.”

Aquele webinar no calor da notícia foi um dos marcos da trajetória recente da Easy como corretora youtuber. A expansão acelerada da empresa, que saltou de 45 mil para mais de 250 mil clientes desde 2015 (e hoje capta em média R$ 700 milhões por mês), vem sendo acompanhada por um salto no número de inscritos no canal do Youtube, que disparou de 70 mil em janeiro para 178 mil em novembro deste ano. Ao todo, os cerca de 200 vídeos postados somam dez milhões de visualizações.

Os números refletem um movimento que a Easynvest intensificou a partir de 2016 de desmistificar o mundo dos investimentos com conteúdos precisos e despojados, num vocabulário livre de “economês”. A estratégia abarca múltiplas frentes, como um blog de educação financeira (lançado em setembro) e as redes sociais. Com quase 250 mil seguidores, o Facebook da corretora é hoje o maior chamariz para novos clientes; mídia em geral pouco associada a conteúdo financeiro, o Instagram também vem crescendo bastante e já bateu 42 mil seguidores. E, em maio de 2017, a revista Exame destacou a Easy entre os 10 canais do Youtube que você deve seguir para ter mais dinheiro.

Quem navega no canal ainda encontra vídeos produzidos por parceiros, como os esquetes de humor do pessoal do Embrulha pra Viagem. Cada vez mais, porém, a aposta segue no sentido contrário: a Easynvest entendeu que tinha capacidade de criar conteúdos internamente, e investiu nesse caminho. Alguns desses conteúdos são disparados por e-mail aos clientes, uma forma de tangibilizar os produtos na prateleira virtual da corretora (como o COE, Certificado de Operações Estruturadas, relativamente novo no Brasil). Outros fazem sucesso no Youtube, caso da séries de vídeos 5 Dicas e Easy Responde, com duração máxima de três minutos, em média.

“Ao mesmo tempo em que as pessoas gostam dos vídeos mais curtos, elas pedem bastante os webinars, um formato que tem uns quarenta minutos e deu muito certo aqui”, diz Leonardo. “Assim, conseguimos atingir dois tipos de público – ou fisgar a mesma pessoa em dois momentos diferentes. O vídeo curto serve para introduzir o tema. Se o usuário quiser um conteúdo mais denso, também temos esse material.”

Formado em Jornalismo, com passagem por veículos especializados em cobrir o mercado financeiro, Leonardo aplica essa bagagem para bolar as pautas e escrever os roteiros, traduzindo conceitos numa linguagem didática e divertida. Esse cuidado com a comunicação é essencial dentro da proposta da Easy de ser não apenas uma corretora, mas uma plataforma de educação financeira, esclarecendo dúvidas (por meio de webinars e da série Easy Responde, por exemplo) e produzindo textos e vídeos que embasam tomadas de decisão seguras e autônomas.

Cada vídeo passa por aprovação junto à área de compliance, para garantir que o conteúdo não irá infringir nenhuma diretriz da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A data de publicação é pré-estabelecida e, a partir daí, a produção segue um calendário reverso. “Mas temos capacidade para gerar vídeos do dia pra noite, se for um assunto mais quente”, diz o responsável pela área de vídeo Rafael Marcelino.

Na empresa desde fevereiro de 2016, Rafael é hoje um dos decanos da Easy, onde 90% dos 225 funcionários chegaram há menos de um ano e meio. Somados, os times de vídeo e conteúdo contabilizam quatro pessoas. “Cada um tem um background. Eu, por exemplo, vim de agência de publicidade, trabalhei em produtora, então controlo a qualidade de tudo que sai aqui de audiovisual: bato o roteiro com outras pessoas, dirijo os filmes, edito, crio animações…”

Rafael costuma estar atrás das câmeras, mas também contribui com a participação nos vídeos. Esse papel é exercido também por outros colegas na corretora. “Vamos de setor em setor, perguntando: ‘quem quer participar?’. No vídeo de comemoração de cem mil inscritos do canal, fiz questão de chamar todos que participaram desse sucesso”, afirma, estimando em quinze o número de participantes. “Já revelamos alguns artistas aqui dentro…!”

Houve um tempo em que a estrutura audiovisual era mais “tímida”. No começo, resumia-se a uma câmera, um tripé, um microfone e um pau de luz. Aí, a Easy foi às compras e adquiriu uma aparelhagem moderna (aquela inaugurada no webinar que apaziguou os clientes na sequência da delação da JBS, em maio de 2017); ao todo, foram investidos R$ 150 mil na montagem de um estúdio profissional, no nono andar da sede.

“E a empresa continua investindo, pois a tecnologia não para”, diz Rafael. “Precisamos estar sempre com equipamentos de ponta, temos aparelhos para fazer transmissões ao vivo com link de qualquer lugar do mundo.”

Recentemente, a Easy operou uma virada de chave, implementando uma nova abordagem temática que muda a cada mês e serve para guiar e dar roupagem à produção e à publicação dos conteúdos. A estreia desse modelo foi em outubro, com a campanha “Mulheres Investidoras”, que engajou o público feminino a domar suas vidas financeiras por meio de entrevistas e um webinar com a consultora Denise Damiani, a jornalista Fabiana Scaranzi e a digital influencer Karol Pinheiro.

“Haverá meses em que vamos falar sobre um assunto só, e outros em que teremos mais de um tema, sempre pensando na relevância do conteúdo”, afirma Leonardo. “Em novembro, abordamos décimo-terceiro salário e Black Friday. Em dezembro, vamos falar sobre perspectivas econômicas para 2018 e sobre o novo investidor. Sabe aquelas resoluções de Ano Novo, como ‘este ano vou fazer dieta, vou emagrecer’? Então, por que não começar a investir?”

Também neste segundo semestre de 2017, a equipe pôs a mochila nas costas, deixou a zona de conforto do seu estúdio e embarcou em uma nova aventura: a produção de documentários. Lançado em agosto, o formato estreou com a série Próxima Parada: Tesouro Direto, dividida em cinco episódios.

“Fomos a Brasília, levamos o nosso equipamento e entrevistamos o pessoal do Tesouro Nacional para produzir um especial sobre o Tesouro Direto”, diz Rafael. Produzido em São Paulo, o segundo documentário enfoca os Fundos de Investimento. “A empresa entende que a educação financeira é o meio para trazer e fidelizar clientes.”

O movimento da Easynvest de se estabelecer como uma corretora youtuber já começou a ser copiado pelas concorrentes. “Criamos um cenário que não existia, fomos pioneiros nessa abordagem audiovisual. Agora, todas estão correndo atrás, tentando fazer o que a gente já fez”, diz Leonardo. O caminho, claro, é seguir na trilha do pioneirismo, englobando cada vez mais os setores da empresa nesse esforço. “Estamos olhando para a frente, para continuarmos inovando.”

Banner Easynvest rodapé

Veja também:

Que tal deixar de ser executivo na Globo para empreender com influenciadores digitais? É o que ele fez

- 7 de dezembro de 2017
João Pedro Paes Leme já entendeu que, no mundo digital, é preciso trocar a roda com o carro andando