O Perspective Hub quer abrir as portas da inovação aos empreendedores culturais

- 10 de agosto de 2017
Bruno Assami, da Unibes Cultural: "Queremos mostrar outras visões de negócios, tudo que possa promover uma abertura de perspectivas"
Bruno Assami, da Unibes Cultural: "Queremos mostrar outras visões de negócios, tudo que possa promover uma abertura de perspectivas"

 

Concreto aparente, estruturas metálicas e uma superfície sinuosa de vidros fumês compõem, junto ao metrô Sumaré, em São Paulo, um curioso prédio em forma de pergaminho. Antiga sede do Centro de Cultura Judaica (a Torá, o livro sagrado dos judeus, foi a inspiração do projeto arquitetônico, de Roberto Loeb), o edifício abriga há dois anos aquele que já é um dos mais pujantes e ecléticos centros culturais da cidade. Nos 24 meses desde sua inauguração, em agosto de 2015, a Unibes Cultural acolheu cerca de mil eventos (média de 1,3 por dia), que impactaram até 200 mil pessoas.

Agora, o espaço quer dar um passo à frente e posicionar-se ativamente como polo da economia criativa. Esse passo adiante tem nome: Perspective Hub, um programa multidisciplinar voltado à discussão e à difusão de saberes e ferramentas essenciais aos empreendedores culturais contemporâneos. A ideia é descortinar horizontes e instigar uma reflexão conjunta sobre formas de inovar em rede, desdobrando o tema em ações interligadas, entre cursos, workshops, palestras e eventos diversos.

“No Perspective Hub, alinhamos os conceitos de inovação e empreendedorismo cultural dentro de um mesmo chapéu”, afirma Bruno Assami, diretor-executivo da Unibes Cultural. “Tentamos trazer uma perspectiva complementar ao que o mercado tem ofertado. Queremos mostrar aos jovens outras visões de negócios, tudo que possa promover uma abertura de pensamento, de perspectivas, para que esse jovem possa trilhar novos modelos de negócio inseridos no mundo do século 21.”

Da música ao cinema, da gastronomia ao design, o programa se propõe a apoiar os novos empreendedores culturais na montagem do seu Plano de Negócios e prover mentoria em diversas frentes (contábil, jurídica etc.). Antes, porém, é fundamental que cada um identifique sua verdadeira vocação. “O jovem muitas vezes se vê sem rumos. Podemos ajudá-lo a trazer essa questão como uma questão de potência”, diz Assami. “Acreditamos muito que esses conflitos podem ser grandes geradores de aspirações diferenciadas. Nosso programa também contempla esse momento.”

O pontapé inicial do Perspective Hub rola na quarta, 16 de agosto, às 19h30. Sob o tema-provocação “Como viver da sua arte?”, o debate – promovido pela Academia Draft, parceira do programa – reunirá empreendedores que, na hora de recomeçar, abraçaram seus sonhos e perseguiram o desafio de fazer do trabalho uma extensão autêntica da vida: Jorge Gonzalez e Marcio Silva, do Buzina Food Truck; André Garcia, da Estante Virtual; e Patrícia Palumbo, da Rádio Vozes. Será uma chance ímpar (e gratuita: clique aqui para se inscrever) de ouvir as lições e os perrengues de quem preferiu dar uma guinada a insistir na trilha de uma carreira convencional.

E o Hub está só esquentando os motores. Assami dá uma ideia da profusão de ações que despontarão nos próximos meses: “Temos um programa de edições de livros, um programa de games, um programa de gastronomia, encontros literários, debates nas mais diversas áreas…Serão mais de duzentos eventos ocorrendo sob esse guardachuva ao longo do semestre, finalizando num festival de curtametragem em celular com alunos da rede pública do estado de São Paulo.”

Fique de olho no Draft, na Academia Draft e no site da Unibes Cultural para conferir mais novidades do Perspective Hub!

 

topo

Veja também: