SPONSORS:

O Ribon é um app que converte anúncios de marketing digital em doações

- 7 de outubro de 2016
ribon

Nome:
Ribon.

O que faz:
Por meio do aplicativo, os usuários podem fazer doações no momento do desbloqueio da tela do celular, de forma gratuita. A operação é possível pela exibição de marketing de conteúdo na tela do aparelho.

Que problema resolve:
A solução é uma alternativa para impulsionar marketing de conteúdo fora de redes sociais, e para quem gostaria de fazer doações de forma simples e rápida.

O que o torna especial:
A possibilidade de fazer uma doação sem gastar dinheiro e visualizar seu impacto real é o nosso principal diferencial.

Modelo de negócio:
O lucro é proveniente do marketing de conteúdo impulsionado por empresas. Parte do dinheiro é destinado para as doações escolhidas pelos usuários e a outra parte fica com o Ribon.

Fundação:
Abril de 2016.

Sócios:
Rafael Rodeiro – CEO
Carlos Menezes – CTO
João Moraes – CDO
Marco Gomes – Conselheiro

Perfil dos fundadores:

Rafael Rodeiro – 21 anos, Brasília (DF) – formado em Engenharia de Produção pela Universidade de Brasília. Conheceu o empreendedorismo pelo Movimento Empresa Júnior (MEJ) na própria UnB. Foi presidente de sua empresa júnior, Grupo Gestão.

João Moraes – 21 anos, Brasília (DF) – formado em Sesign pela Universidade de Brasília. Também conheceu o empreendedorismo pelo Movimento Empresa Júnior e atualmente é presidente da Lamparina, empresa júnior de design da UnB.

Carlos Menezes – 21 anos, Brasília (DF) – interrompeu o curso de ciência da computação da Universidade de Brasília. Foi coordenador de negócios da CJR, empresa júnior de ciência da computação, e atualmente é coordenador de TI da Concentro, federação das empresas júniores do Distrito Federal.

Como surgiu:
Em março de 2015, Rafael estava pesquisando sobre incentivos fiscais do governo e procurou entender por que a sua adesão era baixíssima. “Por ter participado do movimento empresa júnior, eu tinha vontade de impactar a sociedade, então nasceu a ideia de conseguir arrecadar fundos para a caridade por meio de uma atividade com número alto de repetições”, ele conta. Em maio do mesmo ano, a equipe inicial já estava completa.

Estágio atual:
Atualmente, o aplicativo está em fase de protótipo. Após correção de bugs e adaptações para as necessidades dos usuários, será feito o lançamento para os anunciantes.

Aceleração:
Os sócios irão buscar.

Investimento recebido:
Nenhum investimento até agora.

Necessidade de investimento:
Os sócios estão iniciando a busca por investimento.

Mercado e concorrentes:
“As doações no Brasil representam 0,5% do PIB, valor menor do que em países como Uganda e Quênia, e além disso estamos vivendo uma geração que pensa em propósito e impacto social”, diz Rafael. Ele cita dois do principais concorrentes do aplicativo: o Tab for a Cause, extensão no Google Chrome que possibilita arrecadar dinheiro para a caridade a cada aba aberta no navegador, e o SlideJoy, que fornece a opção de arrecadação de dinheiro para caridade ou para si próprio pela tela de bloqueio do celular.

Maiores desafios:
“Nosso maior desafio atual é ter a tração inicial que gostaríamos de ter em números de usuários”, diz Rafael.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Seis meses após lançamento do app.

Visão de futuro:
“Possibilitar o uso do app na maioria dos países dentro de dois anos, e com isso conseguir ajudar milhões de pessoas mensalmente”, segundo Rafael.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Na Risü, reverter compras em doações é um negócio sustentável que fortalece causas sociais

- 6 de março de 2017
Com 4,5 mil reais de capital, Lucas Borges, Rodrigo Franzot e Francis Andrade e Matheus Godinho (ausente na foto) criaram um site para transformar compras online em doações.