SPONSORS:

Perdeu a Live: Unilever & Empreendedorismo? Assista aos melhores momentos!

- 5 de outubro de 2017
Da esq. à dir.: Adriano Silva (Projeto Draft), Alexandra Meira (Aliança Empreendedora), Juliana Carvalho (Unilever), Viviane Duarte (Plano de Menina) e Natália Leite (Escola de Você)
Da esq. à dir.: Adriano Silva (Projeto Draft), Alexandra Meira (Aliança Empreendedora), Juliana Carvalho (Unilever), Viviane Duarte (Plano de Menina) e Natália Leite (Escola de Você)

 

Um papo franco sobre sonhos, realizações e o poder do empreendedorismo como ferramenta de transformação individual e da sociedade. Essa foi a tônica da Live: Unilever & Empreendedorismo. Moderada por Adriano Silva, publisher do Draft, a conversa transmitida via Facebook rolou na última quinta, 28, e reuniu um time de mulheres que têm muito a dizer: Alexandra Meira, da Aliança Empreendedora, Natália Leite, da Escola de Você, Viviane Duarte, do Plano de Menina, todas parceiras da Unilever, e a diretora de marketing da empresa, Juliana Carvalho.

Na praia, ao comprar um picolé, dificilmente você pensa no vendedor como um empreendedor em potencial. Mudar essa visão é o foco do Eu Sou Kibon. A marca e a Aliança Empreendedora uniram-se para redesenhar o canal de vendas e permitir que cada sorveteiro enxergue-se como dono de um negócio, extraindo daí o sustento de sua família. A estratégia foi reduzir a escala dos intermediários. “O projeto piloto aconteceu em Recife. Selecionamos sete empreendedores que abriram microdistribuidoras de picolés e passaram a ter suas redes de sorveteiros”, contou Alexandra. “Com a metodologia da Aliança, a gente forma, capacita e empodera esses distribuidores como agentes de transformação.”

Apresentar vivências diferentes a jovens negras da periferia, resgatando nelas a esperança de fazer planos, é o que move Vivi, do Plano de Menina. Após identificar as comunidades mais violentas para mulheres na Grande São Paulo, ela deu início ao projeto, atuando no Capão Redondo e no Grajaú, ministrando oficinas todo sábado. “Começamos a fazer workshops sobre vários temas: autoestima, empreendedorismo, carreira, liderança, educação financeira, moda…”, contou Vivi. “Formamos 150 meninas e foi incrível o impacto de mudança na vida delas.” Hoje, a marca Seda é parceira do Plano de Menina na cocriação de uma plataforma digital para alcançar um público cada vez maior.

O objetivo é romper com a ideia de que essas jovens mulheres estão fadadas a repetir o ciclo de suas mães: engravidar cedo e passar o resto da vida trabalhando para os outros. “A gente quer estourar a bolha”, complementou Juliana. “Vamos mostrar a diversidade de possibilidades. Vamos mostrar tudo o que existe, tudo que ela pode fazer…”.

A entrega de coragem é o ponto em comum entre os projetos, segundo Natália, da Escola de Você, que estimula o senso de pertencimento feminino dramatizando em vídeo situações do dia a dia para debater temas diversos, do empreendedorismo à filosofia. “A gente não foi educada a subir no brinquedo do parque e se jogar do ponto mais alto. Fomos educadas a ser fofas e a ver se todo mundo foi bem atendido. E isso gera um impacto gigantesco. Gera uma aversão ao risco ao longo da vida que torna o desafio de empreender muitas vezes maior.” Junto com Unilever, ela está à frente da Escola Brilhante, uma plataforma de cursos online para engajar mulheres nessa missão de empreender.

Mudanças são provocadas por ações. Ao apoiar esses negócios com propósito, a Unilever ajuda a ampliar a escala, a capilaridade e o grau de inclusão de cada empreendimento – além do próprio espaço aspiracional comum a todas (e todos), indispensável para qualquer realização. Quer saber mais como foi a conversa? Então clique aí no vídeo com os melhores momentos!

Veja também:

O Projeto Draft comemora três anos e… vira livro! Conheça de perto os personagens dessa história

- 13 de novembro de 2017
Leia com exclusividade o prefácio de "Negócios Criativos", livro que traz 30 histórias inspiradoras de empreendedores que descobriram seu propósito e estão mudando o mundo. Venha para o lançamento!

“Um país que não valoriza os inovadores fica refém de uma economia com negócios de baixo valor agregado”

- 28 de setembro de 2017
Rodrigo Brito