Seleção Draft – A tecnologia infantiliza?

- 11 de abril de 2016
Será que precisamos de mais apps para problemas superficiais? (Imagem: Tia Henriksen - Flickr/ Reprodução)
Será que precisamos de mais apps para problemas superficiais? (Imagem: Tia Henriksen - Flickr/ Reprodução)

A tecnologia infantiliza?
Pensando em comodidade, ter um leque de serviço disponíveis no smartphone é uma maravilha. Mas quantos desses serviços nos ajuda de verdade? No Medium, Umair Haque diz que nosso apps e assistentes pessoais focam demais em futilidades e menos em necessidades sociais, como transporte e sistema de saúde. Por isso, a tecnologia estaria desperdiçando tempo, dinheiro e talentos tentando nos infantilizar. O que falta, na opinião do autor, são lideranças que queiram impacto antes de lucro. Leia mais no link acima.

 

Lições de Medellín
Depois de participar do Congresso Global de Empreendedorismo, em Medellín (Colômbia), a Endeavor publicou no site da Pequenas Empresas & Grandes Negócios um balanço das lições mais impotantes tiradas do fórum:

1) Não basta chamar a atenção. Empresas devem ter comunicação real e transparente com seus consumidores;
2) Não há métrica definitiva para medir o educação empreendedora. O único jeito é experimentar, inspirar e apoiar jovens com boas ideias;
3) Se debruçar sobre problemas reais é a única maneira de encontrar soluções que importam;
4) Não há de errado em copiar políticas públicas de lugares que já impulsionam seus empreendedores.

 

Em busca de um modelo de negócio
Um dos maiores trunfos das startups de sucesso são seus modelos de negócio. Thomas Goetz, na Inc., diz que essa é uma das partes mais difíceis na fundação de uma empresa. Para ele, o mais importante é adotar um modelo que complemente a sua estratégia de negócio e não impeça sua startup de escalar:

“Essa é uma busca frenética para ganhar dinheiro antes da conta no banco zerar, e provar que sua visão sobrevive ao mercado”

 

Virada Empreendadora com desconto
A Virada Empreendedora, a maratona de 24 horas de atividades na sede da FGV, em São Paulo, acontece nos próximos dias 16 e 17. A sexta edição do evento, organizado pela Rede Mulher Empreendedora, terá arenas divididas por finalidades, de batalhas de pitch a tecnologia para adolescentes. Além disso, a feira terá 20 expositores de diferentes segmentos. Os leitores do Draft têm desconto nos ingressos do segundo lote, à venda neste link até o dia 15, por 45 reais. Para ver a programação completa, clique aqui.

Veja também:

Como a Bolha usa a tecnologia para criar “experiências memoráveis” na publicidade – e fora dela

- 1 de agosto de 2017
Nagib Nassif Filho na Bolha: o estúdio tem 12 makers e um lab de software e hardware para desenvolver projetos únicos.

“Culpar a tecnologia pelos nossos males é como culpar as armas pelas mortes que provocamos: pura bobagem”

- 30 de junho de 2017
Dagomir Marquezi reúne o melhor do que já produziu sobre tecnologia. Nenhuma teoriza catastrófica se cumpriu, e ele mal pode esperar para se tornar um ciborgue.