Seleção Draft – Brincar de startup custa caro

- 6 de fevereiro de 2017
Fundadores mais focados em ter uma startup correm risco de nunca conseguir criar um produto de valor. (Imagem: wiredforlego - Flickr/ Reprodução)
Fundadores mais focados em ter uma startup correm risco de nunca conseguir criar um produto de valor. (Imagem: wiredforlego - Flickr/ Reprodução)

Brincar de startup custa caro
É comum encontrar aspirantes a empreendedores que são mais apaixonados pela ideia de ter uma startup do que pelo problema que ela resolve. No Medium, Kevin Marvinac fala das consequências desta “brincadeira”. Ele, que é fundador da Transparent Career (plataforma de planejamento de carreira), diz que as pessoas criando soluções reais são aquelas que entendem a importância da execução, não precisam copiar modelos existentes e tomam decisões baseadas no crescimento constante da empresa – mesmo que ele não seja enorme a cada mês.

 

Aspirações em comum geram inovação
A melhor maneira para que pessoas de diferentes perfis consigam gerar insights – e, consequentemente, projetos inovadores – elas precisam ter objetivos em comum, segundo Celia de Anca e Salvador Aragón. Especialistas no tema, eles listam cinco elementos necessários em uma equipe de inovação:

1) Uma iniciativa no qual todos possam trabalhar juntos;
2) A participação voluntária em projetos;
3) Projetos temporários, que não representam um novo cargo;
4) Estímulo à colaboração e a troca de experiências entre áreas.

Leia mais no link acima, do Harvard Business Review.

 

Tire o melhor do equity crowdfunding
Rob Wenger diz em seu texto no Venture Beat que sua empresa foi bem-sucedida com o equity crowdfunding por acidente. Em uma época em que não se falava muito a respeito de equidade, o CEO da Higher Logic (que desenvolve softwares de redes sociais para empresas) diz que optou por abrir o financiamento da sua empresa para um grupo de investidores na internet, e mesmo sabendo que não queria investir capital de risco na sua startup, passou cinco anos conversando com VCs em paralelo. A longo prazo, a estratégia garantiu o sucesso do seu negócio.

 

Accenture vai premiar startups
A Accenture está com as inscrições abertas até 10 de fevereiro para empreendedores interessados em concorrer ao prêmio global Consumer Tech Awards, focado em soluções para millennials. As empresas devem ter menos de três anos de idade, serem financiadas por capital de risco ou investidor-anjo, e estarem em fase de antecipação de receita ou produto beta. Além do prêmio, os vencedores terão acesso a uma equipe de especialistas para obter consultoria. Veja como participar no link acima.

Veja também:

Como pensa e o que faz o responsável por “organizar” as iniciativas de inovação numa gigante como a Accenture

- 30 de março de 2017
Juliano Tubino comanda a área digital da Accenture e é responsável por "pensar o novo" por lá. Ele fala do desafio.

Como um gigante da indústria pesada inova? A Gerdau está revendo cultura, processos e barreiras

- 16 de março de 2017
Luiz Fernando Medaglia conduz o Núcleo de Inovação na Gerdau. Ele conta como a área se formou e quais os principais projetos em andamento.