SPONSORS:

Seleção Draft – Como a AI pode mudar cidades

- 20 de outubro de 2016
A integração entre tecnologia e centros urbanos serão uma das maiores transformações do futuro. (Imagem: yumikrum - Flickr/ Reprodução)
A integração entre tecnologia e centros urbanos serão uma das maiores transformações do futuro. (Imagem: yumikrum - Flickr/ Reprodução)

Como a AI pode mudar cidades
Em um texto futurista sobre a influência da inteligência artificial em centros urbanos, Edd Gent destaca oito campos que serão transformados até 2030, graças a essa tecnologia. Entre eles, o autor cita o transporte (impactado por carros autônomos), saúdes (com a automação de diagnósticos) e a educação (moldando cursos de acordo com as peculiaridades de cada aluno). Além disso, drones inteligentes podem se tornar relevantes para sistemas de segurança, e a automação de certas tarefas também vai mudar muitos trabalhos. Leia mais no link acima.

 

Para escalar com agilidade
Se preparar para uma fase intensa de crescimento da sua empresa requer alguns preparativos. A página da RTS Labs no Medium traz um texto sobre seis passos importantes durante esse processo. Entre os principais estão:

1) Concentre-se em contratar pessoas alinhadas ao seu objetivo;
2) Não perca tempo com tarefas que não geram valor ao consumidor;
3) Tente crescer de forma sustentável, sem correr e perder o controle.

 

Edital de inovação
O SENAI SESI está com um edital de inovação aberto, que oferece um aporte de até 400 mil reais para o desenvolvimento de projetos inovadores em empresas industriais e startups de base tecnológica. Eles devem se encaixar em uma das três categorias: inovação tecnológica, protótipos e inovação em segurança e saúde no trabalho. Para se inscrever, acesse o link acima até o dia 7 de novembro.

 

Women’s Age da Wayra
A Women’s Age, ação da Telefónica Open Future em parceria com a Gupy (startup de tecnologia para recrutamento 3.0) criada para ampliar a participação de mulheres em startups, está com vagas abertas. A ideia por trás do processo seletivo é fazer um recrutamento de mão de obra feminina, já que a grande maiores de aceleradoras brasileiras conta com pouquíssimas empresas liderada por mulheres. Acompanhe as vagas disponíveis no link acima.

Veja também:

“Só a autocompaixão me curou da culpa. Eu me pergunto: o que é ser mulher – e ter poder – hoje em dia?”

- 8 de setembro de 2017
Gabrielle Picholari compartilha a sua jornada de autoconhecimento e conta como, hoje, ajuda jovens e mulheres a terem mais autocompaixão: um antídoto para a depressão.