SPONSORS:

Seleção Draft – Coworking x Home office

- 18 de agosto de 2017
Em um coworking, o empreendedor tem mais chances de fazer networking (Imagem: Wikimedia Commons/Reprodução).
Entre trabalhar em casa e em um coworking, qual a melhor opção? (Imagem: Wikimedia Commons/Reprodução).

Coworking x Home office
Quando se trata de economizar em relação à estrutura física de uma startup, tanto o home office como coworkings são boas estratégias.  Mas qual seria a melhor? No e27 (link acima), John Rampton, fundador da consultoria de produtividade Calendar, é totalmente a favor dos espaços compartilhados de trabalho. Entre as vantagens, ele lista: estimulam à interação, livram os colaboradores da distração do lar (a geladeira é uma delas!) e oferecem um espaço para fazer reuniões a um preço acessível. No entanto, ele ressalta, um coworking não é algo para ser usado a longo prazo, pois a ideia é a startup crescer e precisar de um escritório próprio.

 

Como atrair millennials
No Inc., Jeff Barret, CEO da produtora de mídia Barrett Digital, afirma que os millennials (incluindo ele mesmo) já começaram a dominar o mercado de trabalho. Para atrair esses novos talentos, ele diz que tanto grandes companhias como as startups precisam fazer certas mudanças em sua organização. No texto (link acima), o autor lista cinco delas:

1) Estruturar o espaço de trabalho baseado na função e não nos cargos;
2) Montar equipes para cada projeto em vez de ter um time fixo;
3) Tornar o escritório atrativo e confortável;
4) Promover um ambiente o mais saudável possível;
5) Não resistir às mudanças.

 

Desenhe seus objetivos
Mapas visuais são uma importante ferramenta para ajudar um empreendedor a tomar decisões e atingir seus propósitos. No StartupCo, Emma McGowan, especialista em startups, diz que a ideia é definir um objetivo principal e dividi-lo em pequenas partes. Ela dá dicas práticas de como fazer isso: escrever a meta central no meio de um papel e, ao lado, as diversas formas de conseguir concretizá-la. Para enxergar melhor a conexão entre todos os pontos, o mapa visual também pode ser estruturado como um pódio, no qual as os passos a serem tomados devem ser colocadas em níveis de hierarquia. Para saber mais, acesse o link acima.

 

Live Talks 2017
Acontece no dia 13 de setembro, em São Paulo, a segunda edição do Live Talks, iniciativa das agências Live e Profile. O objetivo do evento, realizado em parceria com a Unibes, é oferecer novos estímulos e servir de impulso para gerar mudanças. A edição deste ano conta com 20 palestrantes que falarão sobre o tema “Inspire a mudança, transpire transformação”. Entre eles, Daniela Leite, do Comida Invisível (projeto de combate ao desperdício de alimentos) e Ilona Szabó, do Agora! (movimento para repensar a política). Os ingressos custam 300 reais e podem ser comprados no link acima.

Veja também:

Ele registrou em cartório o primeiro clube de cannabis do país. E tudo começou com um coworking de advogados

- 21 de setembro de 2017
Fernando Santiago, empreendedor do ramo de coworkings, tornou-se um especialista em mercado canábico e não tem vergonha disso: "É preciso sair do armário". (foto: Luís Tajes)

O Lilo.zone é um maker space focado em arte tecnológica e, também, um manifesto da economia compartilhada

- 6 de setembro de 2017
1851 5 0
Lina Lopes conta como é estar à frente de um espaço criativo e de experimentação tecnológica, não necessariamente lucrativo, e que se sustenta pela colaboração e venda (esporádica) de projetos.