Seleção Draft – Empreender não tem idade

- 9 de março de 2017
Nova geração de empreendedores tem mais de 50 anos (Imagem: Jim Bauer - Flickr / Reprodução)
Nova geração de empreendedores tem mais de 50 anos (Imagem: Jim Bauer - Flickr / Reprodução)

Empreender não tem idade 
Ter startup não é só coisa de jovem. Como mostra este epecial, publicado pela Inc., existe uma geração de empreendedores entre 50 e 70 anos que está começando agora os seus primeiros negócios – e indo muito bem, aliás. No texto do link acima, Leigh Buchanan diz que esse grupo lida de outra maneira com o desafio: eles têm mais dinheiro, possibilidade de aplicar a experiência acumulada ao longo da carreira, demonstram menos medo de correr riscos (já que não precisam mostrar a que vieram ou sustentar uma família) e conseguem se dedicar a produtos e serviços voltado para a sua faixa etária.

 

Como avaliar impacto social?
As avaliações de impacto ajudam a estabelecer o foco de um negócio social e a ter mais evidências para buscar apoiadores, mas é preciso considerar alguns pontos antes de realizá-las. Haroldo Torres e Marcel Fukayama, da Din4mo (empresa especializada em apoiar negócios com impacto social), dizem no artigo publicado na Folha de S.Paulo que avaliações têm alto custo, podem ser incompatíveis com o tempo do projeto, e até sobrecarregar a equipe. Elas também podem não revelar os resultados que muitas iniciativas sociais demonstram somente depois de décadas do início das atividades.

 

Interações tecnológicas
A aplicação de tecnologias recentes, por si só, não é suficiente para resolver os problemas urbanos. Por isso, um dos maiores desafios que os engenheiros enfrentam é associar várias tecnologias para melhorar a eficiência, a segurança e a sustentabilidade na rotina de centros urbanos. Tom Blewitt, que vive isso na prática, conta na matéria do Readwrite que só assim uma cidade pode ser considerada inteligente e não correr o risco de enfrentar um caos urbano.

 

Colisões no RJ
De 18 de março a 1º de abril, a ACE University realiza no Rio de Janeiro a primeira edição do workshop Colisões – Como criar uma startup do zero e com poucos recursos. O conteúdo abrange as metodologias de criação de empreendimentos, desde a ideia inicial, até a busca por investidores e a conquista dos primeiros clientes. Os encontros, aos sábados, acontecerão na sede da Stone Pagamentos, no centro do Rio. O investimento é de mil reais e as inscrições estão abertas pelo link acima.

Veja também:

O que a Singularity University procura no Brasil? “Indivíduos excepcionais, capazes de mudar o mundo”

- 17 de março de 2017
Pascal Finette, VP de Startups Solutions da Singularity University, fala do primeiro programa de impacto social da universidade no Brasil.