SPONSORS:

Seleção Draft – Metas para 2018

- 29 de novembro de 2017
Quase lá: começa a temporada de planos dos empreendedores para 2018 (Pixabay/Reprodução).
Quase lá: começa a temporada de planos para 2018 (Pixabay/Reprodução).

Metas para 2018
Com dezembro batendo à porta, a maioria dos empreendedores começa a pensar em como obter melhores resultados no próximo ano. Exemplos como o da Amazon, que diversificou bastante sua oferta — de livros a mercearias — e dicas de CEOs de sucesso podem até servir de inspiração, mas o artigo da Fast Company (link acima) ressalta que não existe fórmula mágica, já que a incerteza faz parte do jogo. Cada um precisa encontrar seus próprios métodos e o mais importante: criar metas plausíveis. Que venha 2018!

 

Surpresas mínimas
Este é o objetivo de montar um MVP, afirma Nada Allouch, analista de crescimento da Hidden Founders (plataforma de serviços de tecnologia). No Startups.co, ela sugere que o empreendedor deve começar com uma versão bem simples, apenas um rascunho ou uma pesquisa, para traçar a personalidade e as necessidades de seus usuários. Em seguida, com este perfil definido, pode elaborar algo mais robusto, com as especificações e o valor do produto. Entre as vantagens do MVP (além de menos surpresas), ela aponta: entender o cliente, poupar tempo e dinheiro e evitar a falácia do plano de negócios perfeito. Leia mais no link acima.

 

Como chegar junto
A Época Negócios traz conselhos da sócia da aceleradora Orgânica, Priscilla Erthal, de como fundadores de startups podem se aproximar de grandes empresas para acelerar seus negócios. As recomendações (no link acima) foram feitas em um evento realizado ontem pela Amcham e se resumem a três pontos. Primeiro, ter um produto que realmente resolva o problema dos clientes. Depois, saber definir claramente quem é seu público-alvo (melhor ainda se ele for o mesmo ou parecido com o do potencial parceiro) e, por fim, apresentar um case de sucesso para provar o impacto da oferta.

 

O exemplo do Vale
No próximo dia 5, o Cubo traz o instrutor da Stanford Continuous Studies, Jeff Cabili, para debater “A história de inovação do Vale do Silício”. Entre os tópicos abordados pelo especialista estão desde como o local se tornou o principal ecossistema de tecnologia e inovação do mundo até se é possível replicar essa cultura no Brasil. O evento será em inglês e não haverá tradução simultânea. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no link acima.

Veja também: