SPONSORS:

Seleção Draft – Negócios mais humanos

- 4 de dezembro de 2017
Insubstituível: um atendimento atencioso e — humano — ainda faz diferença para os clientes (Imagem: Pexels/Reprodução).
Insubstituível: um atendimento atencioso e — humano — ainda faz diferença para os clientes (Imagem: Pexels/Reprodução).

Negócios mais humanos
A questão levantada no texto é que em um mundo cada vez mais tecnológico, a resposta para empreender com sucesso é apostar nas habilidades humanas. É o que diz o professor de Empreendedorismo e Inovação do Insper, Marcelo Nakagawa, no Estadão (link acima). Ele afirma que nenhum robô — por mais treinado que seja — será capaz de substituir o calor de um atendimento realizado por uma pessoa (e consequentemente, mais prestativo, atencioso e autêntico). E fala de suas implicações:

“Talvez investir em gente não dê retorno no curtíssimo prazo, mas tende a se pagar ao longo do tempo, em um futuro dominado pela tecnologia”

 

Lapide sua inteligência emocional
Empreender nem sempre é um caminho divertido ou que depende exclusivamente de conhecimento técnico. No Medium, o escritor Darius Foroux defende que a inteligência emocional é um fator de peso nessa jornada, em meio às dificuldades para lidar com clientes e colaboradores. Para ele, um líder só consegue desenvolver essa competência reconhecendo, interpretando e administrando suas emoções. Entendendo a si próprio, poderá identificar e atender melhor as necessidades dos outros, diz. Leia mais no link acima.

 

Onde gastar?
Entre os milhares de desafios de uma startup está saber onde alocar cada centavo, entre tantas despesas a serem consideradas (salários, marketing, escritório, serviços de tecnologia etc). Por isso, quanto antes se fizer um planejamento financeiro, melhor. Para ajudar o empreendedor, o artigo do Harvard Business Review (link acima) sugere que se leve em conta cinco pontos antes de sair abrindo a carteira:

1) O impacto dos gastos sobre os potenciais clientes;
2) Os benefícios de um escritório luxuoso ou de viagens para os colaboradores;
3) A visão dos parceiros sobre os aportes feitos;
4) O efeito dos investimentos sobre a proposta de valor do negócio;
5) Os itens supérfluos ou com os quais se pode economizar.

 

Guia 2.5
No próximo dia 13, acontece, em São Paulo, o lançamento da edição 2017 do Guia 2.5. A iniciativa, desenvolvida pelo Instituto Quintessa, tem como objetivo dar suporte ao desenvolvimento de negócios de impacto social e conectar os empreendedores com as organizações de apoio mais adequadas ao seu perfil, como Nest, Yunus Youth, Sistema B e Social Good Brasil. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no link acima.

Veja também: