Seleção Draft – Altos e baixos do ecossistema nacional

- 20 de janeiro de 2017
Apesar de sofrerem com entraves, startups brasileiras conhecem os nossos problemas. (Imagem: Kristin Kokkersvold - Flickr/ Reprodução)
Apesar de sofrerem com entraves, startups brasileiras conhecem os nossos problemas. (Imagem: Kristin Kokkersvold - Flickr/ Reprodução)

Altos e baixos do ecossistema nacional
O texto de Conrad Egusa (CEP da Publicize, que busca soluções em relações públicas) no Tech Crunch é ambicioso: ele busca fazer um retrato do ecossistema brasileiro de startups nos últimos anos. Ele conta quais são os grandes impedimentos para atingirmos todo o potencial dessa cena empreendedora, como a crise econômica e política, que gera entraves burocráticos e mais risco. No entanto, ele ressalta a capacidade criativa de startups brasileiras:

“A boa notícia é que os brasileiros já identificaram as questões que precisam ser resolvidas”

Leia mais no link acima.

 

A leva de startups “cabeçudas”
Elas têm um trabalho discreto, mas importante. Em sua reportagem de Nayara Fraga na Época Negócios, destaca startups brasileiras que trabalham com modelos matemáticos que podem ser usados tanto na avaliação de candidatos a um emprego como em testes de idiomas. A Mínimo é uma delas, formada por Ph.Ds capazes de criar algoritmos que aumentam a inteligência de um sistema, e transformar isso em retorno financeiro para as empresas. Leia mais no link acima.

 

Falhar não é o fim do mundo
Se a sua empresa não deu certo como você esperava esse não é o fim da sua carreira empreendedora. Essa é mensagem do texto de Matt Munson (fundador da Twenty20, plataforma de bancos de fotos) no Medium. Ele diz que é comum ver seus colegas subestimando o impacto deles na vida de outras pessoas, e temendo cada vez mais o fracasso de suas empresas. Leia mais no link acima.

 

Vivência Empreendedora
A partir do dia 24 de janeiro, a plataforma de ensino 4everGreen estará com o seu curso Vivência Empreendedora aberto. Ele inclui webinars ao vivo e palestras que vão abordar os erros e acertos de empreendedores, relações com investidores, escalabilidade, execução e ideias. O investimento é de quatro parcelas de 640 reais. Para mais informações, acesse o link acima.

Veja também:

O case StartSe, ou como uma plataforma quer criar uma ponte entre startups brasileiras e o Vale do Silício

- 14 de março de 2017
Pedro Englert, um dos fundadores da StartSe, fala de como nasceu a rede que busca reunir os personagens do ecossistema de startups.