Seleção Draft – Produto Mínimo Encantador

- 15 de setembro de 2016
A versão mínima do seu produto pode ter um toque a mais se você priorizar o feedback dos usuários. (Imagem: ClickFlashPhotos / Nicki Varkevisser - Flickr)
A versão mínima do seu produto pode ter um toque a mais se você priorizar o feedback dos usuários. (Imagem: ClickFlashPhotos / Nicki Varkevisser - Flickr)

O que é o Produto Mínimo Encantador
Em seu texto no Medium, Marco Bruno, editor do FrontUX Blog, fala sobre o Produto Mínimo Encantador (Minimum Loveable Product, ou MLP). Ele é uma versão mais incrementada do MVP,  com todas as funcionalidades mínimas do produto para testá-lo, mas com algo a mais. Segundo Marco, esse toque especial é o que pode garantir uma aceitação maior da sua ferramenta, e por isso é importante você levar em conta:

1) O que deixa o seu usuário feliz;
2) Quando e como ele vai utilizar o seu produto;
3) Qual é o tipo comunicação que ele espera de você;
4) A necessidade que tem de atenção nos piores momentos (quando algo não funciona).

 

O ponto de partida de uma startup
A competição e as barreiras de mercado não são as únicas culpadas pelo alto índice de startups que morrem durante seu primeiro ano de vida. Muitas delas pagam o preço por não validarem suas propostas com cuidado, diz Iman Jalali, no Entrepreneur. O consultor destaca que o feedback das pessoas é tudo nessa fase, e para isso é necessário: conduzir vários testes em versão Beta, utilizar o método de Lean Startup e validar a sua marca (não só o seu produto). Leia mais no link acima.

 

A corrida pelos carros autônomos
Steve LeVine, em sua reportagem no Quartz, diz que a corrida para desenvolver os primeiros carros autônomos tem “desafiado as leis da disrupção”. Isso porque as empresas tradicionais da indústria automobilística estão conseguindo vantagem sobre expoentes do Vale do Silício, como Google, Apple e Uber, que ainda não foram capazes de desenvolver esses veículos robóticos para o mercado. Leia no link acima.

 

Eletrônica Para Todos
Nos dias 22 e 23 de setembro, o Garagem Fab Lab vai organizar um curso de eletrônica em São Paulo, no qual o projeto final será um instrumento musical sensível à luz. O professor será Nathan Rabinovitch, físico e professor de matemática, que vai receber alunos que nunca tiveram contato com eletrônica. O investimento é de 220 reais. Para comprar, acesse o link acima.

Veja também: