SPONSORS:

Ter barba está na moda. E cuidar dela virou um negócio de respeito

- 17 de outubro de 2017
Com pouco mais de um ano de vida, a Barba de Respeito tem uma legião de fãs de seus produtos. O carro-chefe, que promete o crescimento dos fios, computa uma média de 15 mil pedidos por mês.
Com pouco mais de um ano de vida, a Barba de Respeito tem uma legião de fãs de seus produtos. O carro-chefe, que promete o crescimento dos fios, computa uma média de 15 mil pedidos por mês.

Junior Gripa, 28, Magno Pereira, 30, Michel Pereira, 27, e Tiago de Camargo, 29, são quatro amigos de Brusque, Santa Catarina, que tinham em comum o desejo de empreender. No início do ano passado, formalizaram uma agência de marketing digital para prestar serviços para empresas da região. Mas foi com a frustração de um deles – as falhas na barba – que se tornaram uma startup, a Barba de Respeito.

Apesar de o marketing digital ser apontado como uma tendência em comunicação, em Brusque, conta Tiago, não é bem assim e o que faz mesmo sucesso ainda são as mídias tradicionais como outdoor e anúncio. Em pouco mais de quatro meses, com o faturamento da agência mal pagando o aluguel e as parcelas dos móveis, perceberam que teriam de adiar o sonho do empreendedorismo. Foi então que uma ideia surgiu. Em menos de 12 horas, eles criaram um e-commerce de produtos para os barbudos de plantão, inicialmente voltados para o crescimento dos fios, e imediadamente começaram a vender.

Com o slogan “Transformando homens comuns em verdadeiros lenhadores”, o apelo do negócio pode parecer com aqueles anúncios exagerados de produtos que prometem emagrecer em 24 horas.  Mas a pegada deu tão certo que eles têm hoje mais de 1,3 milhão de seguidores nas redes sociais. Só de avaliações do produto são mais de três mil no Facebook, com as positivas superando os 90%. Comentários como “já estou no segundo blend e já notei muitos pelos começando a se desenvolver”, “estou mais do que feliz, comprei o blend em março, usei por três meses e consegui ver o resultado” são alguns dos comentários que permeiam o Facebook da marca. “As negativas geralmente são de pessoas que não seguiram corretamente o modo de usar dos produtos, ou então de gente que simplesmente não gosta de barba”, conta Junior Gripa, um dos sócios.

Com as vendas na internet consolidadas, o próximo passo do negócio é disponibilizar os produtos para vendas físicas

O próximo passo do negócio é ampliar as vendas offline que somam 30% do total. Por enquanto, os produtos são vendidos na rede de farmácias Farmais, em São Paulo, e em redes de beleza de Santa Catarina.

Para a surpresa dos sócios, fato é que em pouco mais de duas semanas de vida, eles superaram a meta de vender dez Blend,  (como se chama a loção de crescimento) por dia. Hoje, um ano e quatro meses desde que iniciaram o negócio, a Barba de Respeito vende em média 15 mil Blend por mês, o que dá uma média de 500 por dia. “Temos entre 250 e 300 pedidos por dia, englobando toda a linha, com um tíquete médio de 215 reais”, diz Tiago.

Além da loção para crescer barba (R$ 99,90), estão no topo dos mais vendidos o xampu para barba e cabelo (R$ 48,90), pomada hidratante para barba (R$ 89,90) e até um escurecedor de barba e cabelo – que já é o segundo produto mais vendido (R$ 89,90).  Ao todo, são 11.

Se parece muito simples, é porque realmente foi assim. Nada de virar a noite em busca de um insight inovador ou de semanas pensando na logística do e-commerce. “Eu reclamei com meu barbeiro, que é meu amigo, que queria ter uma barba bacana, mas não conseguia porque não crescia. Ele me ofereceu um produto que poderia ajudar”, conta Michel, que dos quatro era o único que aderira à moda dos barbudos. Michel até duvidou no começo da eficácia da loção, mas foi convencido pelo amigo que realmente funcionava. Foi no caminho para a agência – que estava funcionando ainda – que ele teve a ideia de vender algo similar e os sócios toparam na hora. No mesmo dia o site estava no ar e o primeiro rótulo pronto.

“Pensei que assim como eu, outros homens deveriam se sentir frustrados por não conseguirem ter uma barba de respeito”

No dia seguinte usaram as ferramentas de marketing digital que dominavam para começar as vendas. Foram sete pedidos – muito próximo, portanto, da meta inicial de dez vendas diárias. A partir daí o crescimento foi exponencial. “Nosso ápice ocorreu quando publicamos um antes e depois comprovando que o Blend realmente funcionava. Foram três mil pedidos em um único dia”, diz Michel.

Desde as primeiras vendas, entretanto, algumas coisas mudaram. A Barba de Respeito contratou os serviços de uma indústria terceirizada de São Paulo para desenvolver uma linha de formulação exclusiva para os  itens que comercializa, mas tudo passa pela aprovação dos quatro – da escolha dos ativos até o perfume final. A própria fórmula do Blend – que continua como carro-chefe – mudou. Segundo Michel, está mais eficiente e recebeu certificação Grau 2 da Anvisa (Agência de Vigilância Sanitária). Isso significa que a a eficácia do Blend foi testada e aprovada pela Agência.

Os produtos chegam de São Paulo e seguem para o centro de distribuição da Barba de Respeito, em Brusque, de onde saem para todo o Brasil. A empresa utiliza o e-commerce dos Correios para a entrega, e os 12 funcionários se dividem entre a etiquetagem, embalagem dos produtos e envio para o transporte.

PRÓXIMA APOSTA: PRODUTO NA PRATELEIRA

A Barba de Respeito espera encerrar 2017 com um faturamento entre 1,2 milhão e 1,5 milhão de reais, com lucro líquido em torno de 20%. Já consolidada na internet, tem como meta se tornar a maior empresa do segmento no Brasil. Para isso, iniciou agora a venda em pontos físicos. “Embora tenhamos nascido e crescido a partir das vendas online, existe um público que curte nossos produtos, mas não compra por e-commerce. Nossa meta agora é atender esse cliente”, diz Magno.

Ele explica que 30% das vendas já são feitas offline. Por enquanto, os produtos são vendidos na rede de farmácias Farmais, em São Paulo, e em redes de beleza de Santa Catarina. Mas o objetivo é alcançar toda a região Sul (Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul) até o final deste ano. Para isso, a empresa já conta com oito representantes comerciais, responsáveis por negociar a entrada da marca nas nas prateleiras de farmácias, barbearias e redes de beleza.

 

DRAFT CARD

Draft Card Logo
  • Projeto: Barba de Respeito
  • O que faz: e-commerce de produtos para barba e cabelo
  • Sócio(s): Junior Gripa, Magno Pereira , Michel Pereira e Tiago de Camargo
  • Funcionários: 12 diretos e 8 indiretos (representantes comerciais)
  • Sede: Brusque (SC)
  • Início das atividades: junho de 2016
  • Investimento inicial: R$ 20 mil
  • Faturamento: entre R$ 1,2 a R$ 1,5 milhão (previsto para 2017)
  • Contato: https://barbaderespeito.com.br
Veja também:

Como a Followize quer conquistar o varejo automotivo com seu software de gestão de leads

- 20 de novembro de 2017
Anderson Gil e André Gil, irmãos e fundadores da Followize (foto: Drika Trevisan/ISSOaí Design).

Menos sonho e mais retorno imediato: as lições de um empório gourmet que servem para qualquer negócio

- 9 de novembro de 2017
Íris Jönck e Arnaldo Comin revisitam os próprios sonhos e contam o que mudou para o negócio sobreviver (foto: Henrique Manreza).

Verbete Draft: o que é Social Selling

- 4 de outubro de 2017
Social Selling é uma evolução natural das estratégias de vendas. É sobre usar de forma estratégica as redes sociais (como o LinkedIn) para gerar leads.

Como a P&G descobriu nos mercadinhos de bairro o segredo da inovação

- 14 de setembro de 2017
Maria Eduarda Cyreno, a Duda, está há 10 anos na empresa e conta como a curiosidade a levou a vencer barreiras e a se tornar a responsável por e-commerce e inovação.

Henrique Coelho, 26, duas startups no currículo e o sonho de revolucionar o mercado de seguros

- 13 de setembro de 2017
Henrique Coelho já fundou duas startups bem sucedidas. Agora, se prepara para lançar a Casuall, uma insurtech que quer mudar a forma como enxergamos, e contratamos, seguros.