SPONSORS:

A Biothanks conecta geradores, coletores e recicladores de lixo

- 3 de outubro de 2019

Nome:
Biothanks.

O que faz:
É um app que conecta geradores, coletores e recicladores de lixo.

Que problema resolve:
Garante segurança, comodidade, destinação correta dos resíduos e geração de renda aos transportadores. Por meio do aplicativo, o usuário coloca o endereço e informa o que deve ser recolhido, escolhe o tamanho do carro, efetua o pagamento pelo próprio app e aguarda a chegada do transportador.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, dependendo do valor comercial do resíduo, o cliente pode não pagar pela coleta ou até mesmo ser remunerado pela transação.

Modelo de negócio:
A startup fica com uma taxa de operação de 5% a 20% do que é pago por pessoas físicas e empresas para a retirada dos resíduos. Os preços variam de R$ 3 (saco de entulho de 25 Kg) e R$ 40 (por móvel), mas é preciso ainda pagar a taxa inicial de R$ 20 e o carreto (a partir de R$ 125).

Fundação:
Junho de 2019.

Sócios:
Marcel Wars — CEO
Fernando Vargas — COO

Fundadoras:

Marcel Wars — 37 anos, São Paulo (SP) — é formado em Administração de Empresas pela Wynden Educacional. É board advisor da Biotank, empresa voltada para coleta , tratamento e destinação de resíduos oleosos da Bahia.

Fernando Vargas — 33 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia de Materiais pelo Mackenzie. Foi diretor de finanças e administração na Biotank. É sócio proprietário da Vargas Tecnologia.

Como surgiu:
Os sócios contam que, no intuito de disponibilizar a tecnologia que viria a ser a do app na empresa de coleta de óleos residuais, tiveram a ideia de criar um “Uber dos resíduos”. “Começamos a planejar, pesquisar e desenvolver parceiros estratégicos para a realização do projeto. Foram nove meses de desenvolvimento até o lançamento”, dizem.

Estágio atual:
A startup tem escritório em um coworking na capital paulista e já foram feitos mais de 2 mil downloads do app, movimentando 150 mil quilos de resíduos em três meses.

Aceleração:
Estão em busca.

Investimento recebido:
Marcel investiu R$ 937 mil no negócio.

Necessidade de investimento:
“Acreditamos fazer sentido uma rodada de R$ 500 mil, pois estamos ainda validando o modelo de negócio”, afirma Marcel.

Mercado e concorrentes:
“De acordo com dados da Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais, cada brasileiro produz anualmente 387 kg de lixo, sendo que apenas pouco mais da metade disso (58%) recebe a destinação adequada. E uma parcela muito menor, cerca de 13%, são reciclados, segundo um estudo do Instituto Econômico de Pesquisa Aplicada”, conta Marcel. Ele diz que os concorrentes ainda são empresas tradicionais do mercado e que prestam serviço via atendimento telefônico.

Maiores desafios:
“Fazer as pessoas conhecerem nosso produto e o alto custo em atingir o mercado B2C.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Março de 2020.

Visão de futuro:
“Queremos ter 25 mil utilitários Biothanks nas ruas de São Paulo em oito anos”, dizem os sócios.

Onde encontrar:
Site
Contato

947 Total Views 1 Views Today
Veja também:

A Casa Causa ajuda pequenas e médias empresas a trilhar o caminho do “Lixo Zero”

- 19 de junho de 2019

A Ecochain impulsiona a reciclagem no interior de São Paulo com uso do blockchain

- 7 de maio de 2019

A Plataforma Verde é o primeiro software do mundo a usar blockchain para a gestão de resíduos industriais

- 10 de setembro de 2018