SPONSORS:

A Cabenocarro faz entregas com motoristas que já estão viajando

- 31 de janeiro de 2018

Nome:
Cabenocarro.

O que faz:
É uma plataforma que conecta pessoas que precisam enviar entregas para alguma cidade a proprietários de veículos que vão para essa mesma direção.

Que problema resolve:
Possibilita o envio de encomendas de longa distância com mais agilidade e menos burocracia.

O que a torna especial:
De acordo com os fundadores, a solução traz comodidade, velocidade e economia para os clientes, utilizando veículos que circulam pelo Brasil e têm espaços subutilizados.

Modelo de negócio:
A Cabenocarro cobra um percentual de 20% sobre as transações que acontecem dentro de sua plataforma.

Fundação:
Dezembro de 2016.

Sócios:
João Paulo Albuquerque — CEO
Marlon Pascoal — CTO

Perfil dos fundadores:

João Paulo Albuquerque — 31 anos, Londrina (PR) — é formado em Administração de Empresas pela Saint Leo University (Flórida). Fundou as empresas Folks Pub e Boussolé Gastrobar.

Marlon Pascoal — 28 anos, Londrina (PR) — é formado em Engenharia da Computação pela Universidade Norte do Paraná e mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal do Paraná. Foi cofundador e desenvolvedor da startup A Deliveria, vendida para o iFood em 2015. É um dos fundadores do Redfoot, comunidade de startups do Norte do Paraná.

Como surgiu:
Ao precisar enviar uma encomenda para outra cidade, os sócios se depararam com a solução mais tradicional, ou seja, o correio. “Iriamos ter que embalar, levar até uma agencia, pagar uma taxa e a encomenda chegaria apenas após alguns dias”, contam. Na hora, eles pensaram que, se conhecessem alguém indo para esse mesmo lugar naquele exato momento, poderiam agilizar todo esse processo.

Estágio atual:
A plataforma foi lançada em setembro do ano passado e os sócios estão validando o modelo, melhorando o sistema e entendendo o mercado.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os empreendedores receberam 250 mil reais de investidores-anjos.

Necessidade de investimento:
Os fundadores buscam captar 500 mil reais em uma nova rodada para investir no marketing e no desenvolvimento da plataforma.

Mercado e concorrentes:
“O mercado logístico brasileiro é muito grande e cheio de problemas. Existem diversos nichos e muita oportunidade”, diz João Paulo. Ela aponta como concorrentes os Correios e transportadoras em geral.

Maiores desafios:
“Escolher o nicho certo para atacar dentro de um mercado tão grande e cheio de oportunidades”, conta o CEO.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Segundo semestre de 2019.

Visão de futuro:
“Acreditamos que nossa solução colaborativa pode ajudar muita gente, portanto pretendemos ser reconhecidos como a principal plataforma desse tipo de serviço no Brasil”, afirma João Paulo.

Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Como, em menos de dois anos, o Instituto Procomum viu seus projetos de transformação social ganharem peso

- 22 de novembro de 2018
1783 4 0

Sempre sonhou em ter um sítio? Não precisa mais: na Sta. Julieta Bio é possível ser “sócio” da produção

- 19 de novembro de 2018
Rafael Coimbra fala como largou uma agência de publicidade para produzir cestas de alimentos livres de agrotóxicos em um sistema colaborativo e com compradores conscientes do propósito do negócio.

Verbete Draft: o que é Crowdshipping

- 19 de setembro de 2018
1827 1 0

Como o Conexões RS, grupo de compra e venda no Facebook, virou uma loja colaborativa em Porto Alegre

- 11 de abril de 2018