SPONSORS:

A Cammada dá acesso a impressão 3D com uma plataforma sob demanda

- 13 de janeiro de 2017

Nome:
Cammada.

O que faz:
É um marketplace online de impressão 3D sob demanda.

Que problema resolve:
Pela plataforma, qualquer pessoa possa imprimir um produto em 3D, facilitando o acesso à tecnologia. “Hoje a indústria tem um custo marginal alto para atender uma necessidade de menor escala, como peças de reposição. O mercado de impressão 3D pode colaborar com essa demanda”, diz o programador Harrison Mendonça.

O que a torna especial:
A equipe da startup oferece suporte, explica sobre a impressão 3D e tira dúvidas sobre as especificidades do serviço. O usuário entra no site, escolhe um modelo 3D e seleciona um printer (fornecedor).

Modelo de negócio:
A empresa cobra uma taxa por cada venda realizada pelo site.

Fundação:
Janeiro de 2016.

Sócios:
João Pedro Faro – Gestão financeira
José Luis Oliveira e Bernardo Clarkson – Especialistas em impressão 3D
Harrison Mendonça – Programador

Perfil dos fundadores:

João Pedro Faro – 30 anos, Rio de Janeiro (RJ) – formado em Engenharia pela Universidade Federal Fluminense. É engenheiro de produção e trabalha no segmento corporativo da Petrobras.

José Luis Oliveira – 30 anos, Rio de Janeiro (RJ) – formado em Design pela PUC-Rio. Trabalha com pesquisa em inovação e controle de produção fabril, no Instituto Nacional de Tecnologia.

Bernardo Clarkson – 30 anos, Rio de Janeiro (RJ) – formado em Design pela PUC-Rio. Trabalha com pesquisa em inovação e controle de produção fabril.

Harrison Mendonça – 30 anos, Rio de Janeiro (RJ) – formado em Engenharia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. É desenvolvedor e tem sua própria empresa de programação e desenvolvimento de sites.

Como surgiu:
Segundo os sócios, a startup surgiu da vontade de promover “algo maior” do que os seus empregos ofereciam. “Queríamos fazer parte de algo e ter força para fazer acontecer. Já éramos amigos antes e resolvemos nos unir para iniciar um projeto profissional em conjunto”, conta João Pedro.

Estágio atual:
A empresa é totalmente digital, mas os sócios utilizam um coworking para reuniões semanais. A plataforma possui mais de 500 usuários cadastrados, sendo 150 deles fornecedores do serviço de impressão 3D.

Aceleração:
Não buscam, mas estão concorrendo a um edital público do Senai.

Investimento recebido:
Não informado.

Necessidade de investimento:
Estão em busca de 150 mil reais por meio do edital.

Mercado e concorrentes:
“As vantagens que essa tecnologia oferece para o mercado são gigantescas. Vai desde a simplificação do processo de prototipagem de novos produtos, até a redução de custo nas fases preliminares de desenvolvimento”, diz João Pedro. Por enquanto, os sócios não enxergam concorrentes no mercado.

Maiores desafios:
“Difundir a tecnologia e mostrar ao público em geral as inúmeras vantagens que a impressão 3D proporciona”, segundo os sócios.

Visão de futuro:
“Queremos ter o maior portal de impressão 3D do Brasil, que permita criar um ecossistema colaborativo, inovador e com custos menores”, diz João.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Como a Bolha usa a tecnologia para criar “experiências memoráveis” na publicidade – e fora dela

- 1 de agosto de 2017
7150 9 0
Nagib Nassif Filho na Bolha: o estúdio tem 12 makers e um lab de software e hardware para desenvolver projetos únicos.