SPONSORS:

A Carona e Casaco promove viagens compartilhadas com foco em entretenimento

- 3 de julho de 2017

Nome:
Carona e Casaco.

O que faz:
A plataforma reúne pessoas que buscam ou oferecem caronas e excursões com fins culturais e de entretenimento como shows, workshops, espetáculos e festivais.

Que problema resolve:
Segundo os sócios, muitas pessoas deixam de ir a eventos quando não têm um meio de transporte prático ou companhia.

O que a torna especial:
Na plataforma, além do contato de quem publica a carona, é possível ter acesso a contatos extras, caso o anunciante queira apresentar suas referências como familiares e amigos. O site permite ainda que agências de turismo anunciem excursões, que funcionam como uma alternativa para quem não conseguir carona.

Modelo de negócio:
O serviço de anúncio de caronas é gratuito, mas os sócios estão estudando modelos de negócio, como parcerias com agências de turismo e empresas.

Fundação:
Abril de 2017.

Sócios:
André Romani – CEO e fundador

Perfil dos fundadores:

André de Moura Romani – 35 anos, São Paulo (SP) – formado em Publicidade e Propaganda na Universidade Metodista de Piracicaba, cursando MBA em gestão da Comunicacão em Mídias Digitais na ESPM. Trabalha com produção de conteúdo digital desde 2009.

Como surgiu:
André conta que a ideia surgiu quando ele percebeu a demanda de um público que desistia de ir a certos eventos por falta de transporte ou companhia. Em seguida, ele fez um exercício de validação e a pesquisa revelou que 70% dos seus entrevistados comprovavam a teoria.

Estágio atual:
A startup está em estágio de lançamento e a plataforma está há dois meses no ar.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
O investimento foi do próprio fundador, mas o valor não foi informado.

Necessidade de investimento:
Ainda não há um valor definido.

Mercado e concorrentes:
“No processo de validação do negócio, descobrimos que o brasileiro frequenta média de quatro shows por ano e 66% dos entrevistados afirmaram convidar os amigos para irem ao mesmo evento”, conta André. O fundador diz que nenhuma plataforma tem o mesmo posicionamento e que seu concorrente indireto é o Blablacar, aplicativo de caronas compartilhadas.

Maiores desafios:
“Mostrar aos usuários que a plataforma é uma opção para driblar os amigos ‘furões’ e não perder os eventos”, segundo o CEO.

Faturamento:
Ainda não fatura.

Previsão de break-even:
Não há.

Visão de futuro:
“Pretendemos figurar como a principal empresa quando o assunto for transporte compartilhado com fins culturais e de entretenimento, e ser a maior referência para usuários que buscam excursões”, diz André.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Social Wave, uma startup que se especializou em lotar festas e eventos. Sim, e para millennials

- 5 de abril de 2018
Os sócios da Social Wave Ricardo, Ilan e Bernardo (a partir da direita): em comum, a paixão pela música eletrônica

Como a plataforma de shows via crowdfunding Queremos! foi do Rio à Nova York, e dali para o mundo

- 17 de julho de 2015
7421 3 0