SPONSORS:

A Educar 3.0 é uma plataforma gamificada de educação financeira para crianças

- 11 de abril de 2018

Nome:
Educar 3.0.

O que faz:
É uma plataforma gamificada de educação financeira para crianças.

Que problema resolve:
Segundo os fundadores, o jogo disponível na plataforma, o Educash, ensina de forma lúdica, na sala de aula, noções sobre gestão financeira a estudantes de 9 a 12 anos e ajuda escolas a inserirem essa questão na grade.

O que a torna especial:
Ainda de acordo com os fundadores, a proposta incentiva o desenvolvimento de competências cognitivas e socioemocionais com o incentivo à exploração na vida real dos temas apresentados no jogo.

Modelo de negócio:
A startup cobra cerca de 2% da mensalidade das escolas para inclusão de sua metodologia de ensino, formação de professores e fornecimento de material didático.

Fundação:
Janeiro de 2015.

Sócios:
Flávio Ramos — Diretor de Operações e Mercados
Raquel Cavalcante — Diretora de Design & Research.

Perfil dos fundadores:

Flávio Ramos — 44 anos, São Paulo (SP) — é formado em Economia pela Unicamp. Foi Head Of Risk Management da Tullett Prebon e Financial Advisor na Microsoft Ventures.

Raquel Cavalcante — 29 anos, São Paulo (SP) — é formada em Design pela USP e pela Escola Panamericana. Tem passagens em empresas como Prisma Onze e Love My Job.

Como surgiu:
Flávio conta que ele a sócia tinham o desejo de trabalhar com soluções digitais de aprendizagem. Em 2013, somaram esforços para criar um jogo, mapear parceiros e captar  investimentos, até colocarem o Educash no ar em 2015.

Estágio atual:
O Educash já é utilizado em mais de 60 escolas e conta com cerca de 9.000 alunos cadastrados na plataforma.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os sócios aportaram mais de 500 mil reais de recursos próprios no negócio.

Necessidade de investimento:
Buscam 800 mil reais para melhorar infraestrutura, serviços, marketing e distribuição.

Mercado e concorrentes:
“O mercado de ensino fundamental no Brasil é de cerca de 12,8 milhões de matriculas públicas registradas na educação fundamental dos anos iniciais e 11,3 milhões matrículas públicas nos anos finais”, diz Flávio. Ele aponta como concorrentes o XMiles Learning, o Tamboro e o Mangahigh.

Maiores desafios:
Flávio aponta como maior desafio o ciclo de adoção de um novo produto, como o Educash, pelo mercado.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Segundo semestre de 2019.

Visão de futuro:
“Em cenário futuro esperamos ganhar escala em operações no modelo de negócio B2C”, fala Flávio.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também: