SPONSORS:

A Evoé é uma plataforma de financiamento coletivo para projetos culturais

- 5 de maio de 2017

Nome:
Evoé.

O que faz:
É uma plataforma de financiamento coletivo que promove projetos da economia criativa.

Que problema resolve:
O objetivo, segundo os sócios, é ajudar os criadores desses projetos, que enfrentam dificuldades de se manter em um contexto de incertezas econômicas internacionais. “Eles dependam somente do patrocínio de empresas e falta a conexão com o público”, diz a CEO, Bruna Kassab.

O que a torna especial:
A Evoé faz o depósito na conta do projeto, envia um tutorial de como declarar o apoio ao criador e oferece conteúdos relevantes para o apoiador. Ela ainda oferece um cardápio de modalidades – “tudo ou nada”, flexível e recorrente – e faz um trabalho de pós-campanha junto aos criadores dos projetos.

Modelo de negócio:
A startup cobramos 12% do valor arrecadado nos projetos, além de uma taxa de implementação, caso o empreendedor queira a tecnologia dela no seu site. A parte de consultoria e conteúdo é gratuita.

Fundação:
Outubro de 2015.

Sócios:
Bruna Kassab – CEO
Tomás German – CMO

Perfil dos fundadores:

Bruna Kassab – 26 anos, Belo Horizonte (MG) – formada em Design pela FUMEC e Teatro pela PUC/MG. Atua como gestora e empreendedora cultural.

Tomás German – 24 anos, Belo Horizonte (MG) – dormado em Comunicação Social pela UFMG, fez um intercâmbio na cidade de Salamanca (ES) onde estudou Comunicação Audiovisual na USAL. Possui trabalhos publicados em anais do Intercom e Lusocom.

Como surgiu:
“Todos os anos víamos amigos e conhecidos e até nós mesmos, desanimados ou desacreditados com as ideias que tinham. Falta de recursos, equipe e inexperiência nos impediam de desvendar o incerto caminho da produção cultural e empreendedorismo criativo”, conta Bruna. Por meio de cursos e pesquisas na internet, ela descobriu as possibilidades de leis de incentivo, a potência do crowdfunding e o poder das conexões. O resultado do estudo foi a criação da Evoé.

Estágio atual:
A Evoé possui escritório em Belo Horizonte e conta com 1 800 usuários cadastrados na plataforma até o momento.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
O investimento inicial foi feito pelos fundadores.

Necessidade de investimento:
Não informado.

Mercado e concorrentes:
“A falta de recursos é uma das maiores dificuldades do empreendedor criativo. Em paralelo, há uma demanda global ascendente por um consumo mais consciente e com significado, o que é muito relacionada ao crowdfunding”, diz Bruna. Os principais concorrentes, segundo ela, são as outras plataformas de crowdfunding como Catarse, Kickante e Benfeitoria.

Maiores desafios:
“A desconfiança com a Lei de incentivo agrava nossa situação, então é preciso mostrar o quanto é simples redirecionar o imposto para cultura”, segundo Bruna.

Faturamento:
Não informado.​

Previsão de break-even:
Em um ano.

Visão de futuro:
“O objetivo da Evoé é movimentar a economia criativa do Brasil e ser a referência em financiamento de projetos culturais e sociais, principalmente para aqueles que são usam leis de incentivo”, diz a CEO.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para [email protected] e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

3499 Total Views 1 Views Today
Veja também:

O Catarse entrou em crise, passou por reestruturação e agora se prepara para alcançar arrecadação recorde

- 24 de julho de 2019

A Kavod Lending mostra que empréstimos coletivos para PMEs podem ser um bom negócio

- 19 de março de 2019