SPONSORS:

A Feedz é uma plataforma de engajamento de colaboradores

- 1 de outubro de 2018

Nome:
Feedz.

O que faz:
É uma plataforma de engajamento de colaboradores em empresas.

Que problema resolve:
O negócio busca ajudar a entender os funcionários, integrar times, estimular feedbacks contínuos e acompanhar objetivos.

O que a torna especial:
Segundo os sócios, cerca de 72% das pessoas estão infelizes no trabalho, o que causa frustração, perdas financeiras e de tempo para a empresa. Eles citam que o custo de substituição de um colaborador pode chegar a ser proporcional a cerca de nove meses de salário desse funcionário.

Modelo de negócio:
A Feedz opera no modelo SaaS e cobra a partir de 12 reais ao mês por usuário.

Fundação:
Fevereiro de 2018.

Sócios:
Bruno Soares — Cofundador
Gabriel Leite — Cofundador

Perfil dos fundadores:

Bruno Soares — 30 anos, Porto Alegre (RS) é formado em Gestão de Tecnologia da Informação pelo SENAC-SC e tem MBA em Gestão de Projetos pela UNIVALI. Trabalhou em empresas como Dígitro e Suntech e fundou a Achou Serviços.

Gabriel Leite — 33 anos, Aracaju (SE) — é formado em Publicidade e Propaganda pela UNIT e pós-graduado em Marketing Digital pela UGF-RJ. Trabalhou em empresas como SESC e fundou a Mentes Digitais.

Como surgiu:
Os sócios contam que a Feedz surgiu do alinhamento de seus propósitos de como solucionar os problemas de clima, engajamento e desenvolvimento profissional dentro das empresas (“dores” que viviam no dia a dia como empreendedores). Eles dizem que, enquanto Bruno trouxe os conceitos da gestão 3.0 aplicados à tecnologia, Gabriel contribuiu com sua experiência como gestor da área de comunicação.

Estágio atual:
A startup conta com 25 clientes e parceiros e um total de 700 colaboradores ativos na plataforma. O negócio ganhou recentemente o ProXXIma Startups e foi eleita uma das “Top 5” do Innovation Awards Latam, além de ser uma das 12 startups de destaques no InovAtiva Brasil.

Aceleração:
A Feedz foi selecionada para o programa de aceleração da ACE.

Investimento recebido:
Os sócios investiram cerca de 50 mil reais de recursos próprios no negócio.

Necessidade de investimento:
Os fundadores buscam captar 150 mil reais para aprimorar a plataforma.

Mercado e concorrentes:
“O mercado de RH está no centro da transformação digital e não vai demorar muito para vermos o empoderamento do profissional de gestão de pessoas, que terá um papel cada vez mais estratégico dentro das empresas”, afirma Gabriel. Existem plataformas com serviços semelhantes como a Engage e a Gointegro.

Maiores desafios:
“O maior desafio é colaborar para o amadurecimento do mercado de gestão de pessoas, tendo a tecnologia e os dados como principais aliados para melhores tomada de decisão”, diz Bruno.

Faturamento:
A previsão é de 120 mil reais no primeiro ano de operação da empresa.

Previsão de break-even:
2020.

Visão de futuro:
“Ser a única solução necessária para cuidar do clima, engajamento e desenvolvimento profissional. Nossa visão é impactar mais de 500 mil colaboradores”, falam os sócios.

Onde encontrar:
Site
Contato

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

O PontoTel deixa o ponto eletrônico mais afinado com as relações atuais de trabalho: flexíveis e até remotas

- 11 de dezembro de 2018
1123 1 0

Verbete Draft: o que é Pipeline de Talentos

- 10 de outubro de 2018
728 0 0

Verbete Draft: o que é People Analytics

- 3 de outubro de 2018
873 0 0
A aplicação do People Analytics ajuda empresas na gestão de pessoas usando o rigor científico dos dados.