SPONSORS:

A Firgun quer facilitar o acesso de empreendedores de baixa renda ao microcrédito

- 18 de dezembro de 2017

Nome:
Firgun.

O que faz:
É uma fintech que cria campanhas online para empreendedores de baixa renda captarem fundos.

Que problema resolve:
Segundo os sócios, o negócio busca facilitar o acesso ao microcrédito, que hoje em instituições bancários envolve “altas taxas de juros e muita burocracia”, além de estimular o investimento social feito por pessoas físicas.

O que a torna especial:
A plataforma cria campanhas online em que os apoiadores podem emprestar de 25 reais a 4 mil reais para os empreendedores, que, posteriormente, retornam o valor arrecadado em parcelas e sem juros.

Modelo de negócio:
A plataforma cobra uma taxa de até 3% sobre o valor total da campanha.

Fundação:
Outubro de 2017.

Sócios:
Fábio Takara — CEO
Lemuel Simis — CCO

Perfil dos fundadores:

Fábio Takara — 29 anos, São Paulo (SP) — é formado em Engenharia Elétrica com ênfase em Controle e Automação pela USP e pela Ecole Polytechnique de Louvain (Bélgica). Cursa MBA em Gestão de Negócios Socioambientais pela Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade. Trabalhou no Grupo ABB.

Lemuel Simis — 27 anos, Florianópolis (SC) — é formado em Relações Públicas pela UNESP e pós-graduado em Gestão de Projetos Sociais pela PUC-SP. Participou do programa de formação de jovens líderes Shnat Hachshará em Israel. Trabalhou como analista de mídias sociais autônomo e na consultoria CAUSE.

Como surgiu:
A ideia da Firgun surgiu no começo de 2016 durante uma formação de líderes na qual Fábio conheceu a proposta da Kiva, uma plataforma de crédito sem juros que atua globalmente. O objetivo inicial era trazer o modelo para o Brasil, mas a proposta não foi adiante com um dos idealizadores e ele iniciou sozinho o projeto, no final daquele ano. No começo de 2017, Lemuel entrou como sócio do negócio para ajudar a acelerar o processo.

Estágio atual:
A Firgun atua em versão beta, com 300 potenciais apoiadores cadastrados e cinco organizações parceiras que trabalham na capacitação empreendedora e podem indicar usuários.

Aceleração:
A startup foi acelerada pelo Social Good Brasil neste ano.

Investimento recebido:
Os empreendedores investiram 25 mil reais de recursos próprios no negócio. 

Necessidade de investimento:
Os sócios pretendem captar 200 mil reais no ano que vem para investir em contratação de designers, equipe de programação e campanhas de comunicação e marketing.

Mercado e concorrentes:
“Apenas em São Paulo estima-se que existam 2,5 milhões de microempreendedores e quase 7,5 milhões de MEIs registrados em todo Brasil”, conta Lemuel. Ele considera como concorrentes grandes bancos que praticam o microcrédito, cooperativas de crédito, bancos comunitários, plataformas de financiamento coletivo e organizações que oferecem cursos de educação financeira. Existem plataformas como propostas semelhantes como IOUU, Avante e Nexoos.

Maiores desafios
“Constituir uma equipe robusta de desenvolvimento e programação para viabilizar uma boa experiência de usuário na plataforma, além de consolidar a marca e mobilizar cada vez mais apoiadores”, diz o cofundadorl.

Faturamento:
Ainda não faturam.

Previsão de break-even:
2019.

Visão de futuro:
“Tornar a Firgun uma instituição financeira, um banco social, que seja referência nacional e uma alternativa de microcrédito para empreendedores de baixa renda”, afirma o Lemuel.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

“As Marias”: como o microcrédito empodera mulheres no interior de Pernambuco

- 4 de dezembro de 2017
Lilian Prado conta como, ao participar de um projeto social, percebeu que aquilo poderia ser replicado. E decidiu ela mesma fazer isso, criando uma organização e um fundo de financiamento para mulheres (foto: Brenda Alcântara).

O segredo da virada da Avante era tão novo quanto óbvio: gastar sola de sapato

- 29 de junho de 2017
Em vez de lojas físicas, a Avante percebeu que poderia ser muito mais efetiva espalhando agentes, a pé, nas comunidades. Deu certo.

Era um app, virou projeto, virou empresa: hoje a Favelar faz reformas sustentáveis nas comunidades do Rio

- 31 de outubro de 2016
Fábio e Millena, os fundadores da Favelar: a empresa nasceu como projeto de aplicativo, evoluiu, inspirou-se em iniciativas de sucesso e está finalmente operando e começando a crescer.

Verbete Draft: o que é Inovação Social

- 30 de setembro de 2015
4547 1 0
Registro do evento Social Good, do ano passado. Inovação social é encontrar soluções mais criativas e efetivas para velhos problemas sociais.

Avante, uma empresa que dá crédito, e educação financeira, para moradores de favelas

- 29 de janeiro de 2015
Bernardo Bonjean, ex-mercado financeiro, hoje empreende para oferecer microcrédito a moradores de favelas.