SPONSORS:

A Fix it produz imobilizadores ortopédicos biodegradáveis a partir da impressão 3D

- 6 de setembro de 2017

Nome:
Fix it – Healthcare Innovation.

O que faz:
A startup produz imobilizadores ortopédicos biodegradáveis com o uso de uma impressora 3D.

Que problema resolve:
É uma opção mais sustentável em relação ao gesso. Para os profissionais de saúde e hospitais, agiliza o procedimento e evita que tenham que lidar com problemas relacionados ao manuseio do gesso.

O que a torna especial:
Os imobilizadores são confeccionados com um plástico biodegradável desenvolvido a partir do bagaço da cana de açúcar, milho e beterraba. Segundo os fundadores, o produto é moldado diretamente no membro do paciente e pode ser molhado.

Modelo de negócio:
A Fix it lucra com a venda de suas soluções para clínicas e lojas ortopédicas.

Fundação:
Novembro de 2015.

Sócio:
Felipe Neves — CEO
Hebert Costa — COO

Perfil dos fundadores:

Felipe Neves — 32 anos, Recife (PE) — é formado em Fisioterapia pela Universidade Potiguar e é mestrando em Cognição, Tecnologias e Instituições na Universidade Federal Rural do Semi-Árido. Trabalhou na Universidade Potiguar, na Lubnorte Vendas e na BK Consultoria.

Hebert Costa — 30 anos, Mossoró (RN) — é formado em Biomedicina e tem mestrado em Tecnologia e Inovação pela UFRN. Trabalhou no Hospital da Liga Contra o Câncer.

Como surgiu:
A ideia surgiu durante o Startup Weekend de 2015. Após muitas validações e quatro versões do imobilizador, o produto começou a ser vendido em janeiro de 2016.

Estágio atual:
A Fix it está incubada no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte e, além deste Estado, atua na Paraíba, no Ceará e em São Paulo. O próximo passo é fabricar os imobilizadores de tamanhos padronizados via injeção plástica, o que permitirá que a startup escale sua produção e vendas.

Aceleração:
Foi acelerada pelo InoVativa Brasil e participa atualmente do programa Braskem Labs.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 20 mil reais do próprio bolso para comprar impressoras 3D e insumos. Também receberam um aporte (de valor não revelado) de um investidor-anjo.

Necessidade de investimento:
No momento os empreendedores não buscam investimento.

Mercado e concorrentes:
O CEO considera como concorrentes indiretos os fabricantes de talas gessadas e de neoprene.

Maiores desafios:
“Nosso maior desafio hoje é encontrar uma matéria-prima nacional, pois a nossa é importada”, conta Felipe.

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Dezembro de 2019.

Visão de futuro:
“Produzir imobilizadores para todas as articulações do corpo e estar presente mundialmente, levando uma solução acessível a todas as classes”, afirma o CEO.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Mas, se você tem uma ideia e ainda não sabe como estruturá-la em uma estratégia de negócios, escreva para mentoria@projetodraft.com e conheça nosso novo serviço de Mentoria.

Veja também:

Como a Bolha usa a tecnologia para criar “experiências memoráveis” na publicidade – e fora dela

- 1 de agosto de 2017
7150 9 0
Nagib Nassif Filho na Bolha: o estúdio tem 12 makers e um lab de software e hardware para desenvolver projetos únicos.