A GoFestivals é uma agência de turismo focada em festivais de música eletrônica | Acelerados | Projeto Draft


SPONSORS:

A GoFestivals é uma agência de turismo focada em festivais de música eletrônica

- 30 de julho de 2018

Nome:
GoFestivals.

O que faz:
Agência de turismo focada em festivais de música eletrônica.

Que problema resolve:
Oferece ao viajante um pacote completo, com passagens, translado, acampamento (dependendo do festival) e os ingressos para os shows.

O que a torna especial:
Segundo os sócios, como a maioria dos festivais são internacionais, para lidar com as oscilações cambiais, a empresa oferece um modelo de pagamento parcelado em que o cliente realiza um depósito mensal e o negócio consegue o melhor câmbio para fechar o pacote, o que dizem que pode gerar uma economia de até 12%.

Modelo de negócio:
Os pacotes da GoFestivals custam entre 5 mil e 13 mil reais.

Fundação:
Abril de 2018.

Sócios:
Willian Santuzzi — Fundador
Felipe Martignago — Cofundador

Perfil dos fundadores:

Willian Santuzzi — 29 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formado em Engenharia Mecânica pela PUC-PR. Passou por empresas como General Eletrics, Modec e Walt Disney World.

Como surgiu:
Willian conta que a GoFestivals surgiu da dificuldade encontrada pelos próprios sócios de comprar ingressos para festivais no Brasil e no mundo. “Além de não existir uma plataforma brasileira que venda os tickets, as que existem lá fora não conseguem parcelar, o que dificulta a compra”, afirma.

Estágio atual:
A empresa possui sede em São Paulo e já atendeu 40 clientes.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os sócios investiram 40 mil reais de recursos próprios na agência.

Necessidade de investimento:
Não busca investimento.

Mercado e concorrentes:
“Existem muitos entusiastas de festivais, resultado disso são as pessoas que nos procuram de forma recorrente”, afirma Willian. Ele diz que a empresa não possui concorrentes no país.

Maiores desafios:
“A flutuação cambial é a maior dificuldade, pois a maioria dos festivais oferecidos são fora do Brasil, então, com a subida do câmbio, o brasileiro evita comprar viagens com antecedência”, conta o fundador.

Faturamento:
1 milhão de reais (previsão para 2018).

Previsão de break-even:
Setembro de 2018.

Visão de futuro:
“Ser uma empresa reconhecida mundialmente como referência em festivais de música. Além de levar brasileiros para fora, também queremos trazer estrangeiros para conhecerem a cultura de festivais no Brasil”, fala Willian.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

O que é o MECALove, de Rodrigo Santanna, e como ele colocou Inhotim para dançar

- 9 de novembro de 2016
7093 3 0
Rodrigo Santanna conta como de festival de música o Meca se tornou uma plataforma múltipla de negócios.