SPONSORS:

A Nuvem Lifestyle é sobre refazer a vida — e empreender criativamente — em Portugal

- 23 de maio de 2018
O casal Bruno e Rachel combinaram conhecimentos de fotografia, jornalismo e comunicação para criar a Nuvem, uma agência especializada nas melhores coisas da vida.

Que atire a primeira pedra quem nunca desejou transformar as “melhores coisas da vida” (leia-se experiências culturais, viagens e celebrações) em um negócio. Rachel Verano, 42, se especializou justamente nisso. Em Lisboa, a jornalista e o marido, o fotógrafo português Bruno Barata, 42, criaram a Nuvem Lifestyle, que se propõe a ser mais que agência de conteúdo sobre o país, pois  oferece algo a mais: também produz experiências de viagem personalizadas e organiza eventos (casamentos, por exemplo). Tudo na mesma nuvem.

Como é normal na vida de que muda de carreira e passa a empreender, a história do negócio se mistura com as experiências profissionais e pessoais de Rachel. Bem antes de se mudar para Portugal, ela já trilhava uma carreira direcionada para a área de lifestyle. E foi isso, somado à vontade de criar algo condizente com seus valores — e um empurrãozinho do romance com Bruno—, que a preparou para lançar oficialmente a agência, em março deste ano. Para chegar a este ponto, porém, ela precisou de mais de um ano para se recuperar da “ressaca” deixada pelo excesso de trabalho e a demissão inesperada de um cargo de gerência de uma das maiores agências de conteúdo customizado do Brasil.

Formada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica (PUC-MG), Rachel se mudou para São Paulo para trabalhar na Editora Abril. Trabalhou quatro anos na revista Veja, incluindo ano coordenando a sucursal em Curitiba. Depois disso, voltou à capital paulista para editar a revista Viagem e Turismo. “O primeiro divisor de águas na minha vida e carreira foi passar a trabalhar com jornalismo de lifestyle e viagem”, conta. Após quatro anos, lá em 2005, decidiu se mudar para Portugal pela primeira vez. “Sempre tive rodinha no pé e queria ter uma experiência fora.”

Com essas rodinhas, passou sete anos entre Portugal, Espanha, Sul da França e um ano dando uma volta ao mundo. Tudo isso como nômade digital, ou seja, trabalhando como freelancer para publicações brasileiras. “Às vezes, respondia e-mails no meio da madrugada por causa do fuso horário outras vezes editava guias de 400 páginas enquanto escrevia outras reportagens”, diz. “De repente, percebi que a falta de rotina virou minha rotina.”

Em 2013, ao receber um convite para voltar a trabalhar em uma agência que produzia uma revista de viagens, aceitou retornar ao Brasil. E emendou um trabalho no outro, assumindo cargos cada vez melhores e dando saltos importantes na carreira. “O mercado jornalístico parecia começar a dar voltas, com títulos novos surgindo e o país estava em alta. Eu pensava: a hora do Brasil é agora”, conta.

Mas, prossegue ela, o período vivido fora já tinha mudado para sempre sua visão de mundo e também seu senso de propósito de vida. “A realidade não condizia com meus valores, via as pessoas mais próximas acumulando coisas, o que começou a me causar angústia e desespero.” Na agência, Rachel trabalhava 15 horas por dia e passava meses sem ter um fim de semana livre, mas diz que a comparação com os outros à sua volta fazia com que acreditasse que não poderia querer vida melhor que aquela.

QUANDO A DEMISSÃO É O CAMINHO PARA UMA VIDA NOVA

Até que, em 2016, meses após se divorciar, voltou a Portugal para visitar amigos — e se apaixonou por Bruno. Assim que chegou de volta da viagem, comprou uma passagem para visitar Bruno 15 dias depois. E aí, o inesperado ocorreu: ela foi demitida. Inesperado, pois embora a situação não estivesse das melhores, com diversos cortes dentro da empresa, ela havia sido promovida apenas um mês antes e mantinha uma boa relação no trabalho. Ela fala:

“O que seria uma viagem de 15 dias virou minha viagem da vida”

Rachel diz que “super acredita em destino” e que a demissão talvez tenha sido o empurrão necessário para buscar algo que a satisfizesse pessoalmente e profissionalmente. Durante um ano, porém, ela se permitiu curtir um sabático. “Foi difícil absorver tudo, preparar uma mudança e estar pronta para romper com alguns modelos”, diz.

O período sem trabalho acionou um “clique” nela e no marido (sim, a paixão fluiu e eles se casaram). Eles resolveram unir as habilidades para atender a uma demanda de conteúdo sobre Portugal. “Foi tudo feito no nosso ritmo, o próprio nome veio depois de muito brainstorming sem achar nada que nos agradasse.” E prossegue: “Estávamos na praia e a ideia do nome Nuvem veio naquele contexto, resumindo bem nosso propósito de ser uma agência de ideias aberta a novas ideias”.

A ideia inicial era ser uma agência de conteúdo (esse mercado customizado ainda é pouco explorado em Portugal, diz Rachel) sem burocracia, estimulando a troca e a co-criação. Mas aí veio outro estalo. Por ser jornalista especializada em viagem, Rachel conta que acabou virando a “guia oficial” de todos os amigos e conhecidos que visitavam o país.

Entre os serviços oferecidos pela Nuvem Lifestyle estão guias de viagem personalizados.

E, por algum motivo que nem ela sabe explicar, Portugal se tornou um destino muito procurado para celebrações: desde noivos que querem casar no país a quem deseja organizar uma festa de aniversário por lá. Adivinha quem era requisitada para ajudar a organizar tanto o evento quanto a programação turística dos convidados durante a estadia?

Com isso, veio a cereja do bolo (e o diferencial criativo do negócio): a Nuvem seria uma agência especializada nas melhores coisas da vida em Portugal. Para isso, o casal oferece o pacote completo a gosto do freguês. Tem uma empresa de viagens e deseja conteúdo customizado sobre Portugal? Rachel e Bruno produzem de texto a vídeos e fotos. Quer um casamento ou uma festa em Lisboa?

O casal tem uma rede de fornecedores e os contatos para ajudar a organizar tudo. Deseja montar um guia personalizado para os convidados da festança durante a estadia? Os conhecimentos jornalísticos dela com os de fotografia dele dão conta da parada. E que tal ter uma revista com a cobertura completa do que rolou nesses dias para guardar como recordação? Deixa com eles.

UM TANTINHO DE SORTE — E MUITO SUOR

O fato de dialogarem com ambos os mercados também ajuda — Bruno, por se português, tem mais facilidade para resolver possíveis burocracias no país relacionadas à empresa, e Rachel, brasileira, conversa bem com o público-alvo (embora a Nuvem também atenda outros clientes, os brasileiros são o principal foco). Os preços, como todo o resto na Nuvem, são “conversáveis e ajustáveis” de acordo com o cliente. Em média, a organização de um evento sai por 2.500 euros e uma cobertura de evento com duração de três dias (em formato de vídeo ou revista), cerca de 4 mil euros. Para projetos de conteúdo customizado, os valores são mais variáveis.

Casamento organizado pela Nuvem Lifestyle há menos de um mês no Algarve.

“Passamos a sair só da criação para colocar a mão na massa também, mas tudo do nosso jeito, contando com a colaboração de diversos agentes”, afirma a jornalista. Talvez ainda seja cedo para falar e a Nuvem esteja recém surfando em uma onda positiva de turismo em Portugal (dados do Instituto Nacional de Estatísticas português mostram que o número de turistas aumentou 12% em 2017), fato é que em poucos meses o negócio tem se mostrado promissor.

Até agora, a dupla organizou dois eventos, produziu três guias de viagem e revistas de cobertura customizados, nove coberturas em vídeo e tem dois projetos de marketing de conteúdo. O grau de satisfação de Rachel com o trabalho? “Sempre adorei contar histórias e, agora, além disso posso também construir essas histórias”, diz. Quando essas histórias, além de tudo, envolvem finais felizes ou “as melhores coisas da vida”, não é exagero dizer que a jornalista encontrou sua terrinha.

DRAFT CARD

Draft Card Logo
  • Projeto: Nuvem
  • O que faz: Agência de conteúdo e produção de eventos personalizados
  • Sócio(s): Rachel Verano e Bruno Barata
  • Funcionários: 2 (os sócios)
  • Sede: Lisboa
  • Início das atividades: Março 2018
  • Investimento inicial: Cerca de € 3.500
  • Faturamento: 16 projetos desenvolvidos até o momento
  • Contato: info@nuvemlifestyle.com
Veja também:

Como ela uniu, na Quero Harmonia, ações de bem-estar e autoconhecimento a uma vida com mais propósito

- 20 de junho de 2018
6516 1 0
Mariana Rocha, CEO da Quero Harmonia. Ou na versão da assinatura eletrônica dela: CEO – Constantly Empowering Others (Constantemente Empoderando Outros).

“Prestígio não tem a ver com cargo. Tem a ver com a diferença que você faz na vida das pessoas”

- 1 de junho de 2018
Cindy Carbonari conta sobre o período de incertezas e perrengues financeiros que viveu ao largar o cargo de advogada em um banco para trabalhar com projetos de impacto.

“O meu problema não era ser uma garota comum — mas continuar fazendo coisas comuns”

- 11 de maio de 2018
Depois de anos se achando uma pessoa comum, Letícia Mello conta como descobriu seu potencial de fazer "coisas extraordinárias", após uma viagem de voluntariado pela Ásia que resultou em um livro e em um documentário.

“Sempre achei que minha carreira evoluiria escada acima. Não podia estar mais enganada”

- 27 de abril de 2018
Depois de viver o luto pela mãe, Fernanda Sigilião partiu em busca do emprego perfeito. Ainda não o encontrou, mas compartilha seu passo a passo de como abrir caminhos — na Europa ou em qualquer lugar.

Empreender fora do Brasil é outra escola. A história do estúdio Julia, em Londres, é sobre manter-se inquieto

- 26 de abril de 2018
9123 2 0
Hugo é o terceiro da foto, de camiseta azul clara. À esquerda está Valerio e, no meio, Erwan. Os sócios do estúdio Julia se conheceram no mestrado e decidiram empreender juntos.