SPONSORS:

A OnBoard Mobility desenvolve soluções para recarga online de cartões de transporte coletivo

- 5 de dezembro de 2018

Nome:
OnBoard Mobility.

O que faz:
Desenvolve soluções para recarga online de cartões de transporte coletivo via aplicativo ou pelo chatbot Bipay. Atualmente, trabalha com a recarga do Bilhete Único em São Paulo.

Que problema resolve:
Busca atrair e reter pessoas no transporte coletivo e tornar eficiente a mobilidade urbana, resolvendo a falta de interoperabilidade de sistemas (cada cidade ou modal necessita de um cartão exclusivo); a falta de integração com transportes alternativos para primeira ou última milha, a dificuldade em consultar saldo do bilhete; as filas para abastecimento e a burocracia nos cadastros.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a OnBoard Mobility possibilita a emissão dos bilhetes com a entrega à domicílio e disponibiliza seu chatbot via WhatsApp ou Facebook.

Modelo de negócio:
A startup recebe uma comissão pelas vendas de créditos que realiza em sua plataforma em São Paulo. E em outras cidades que não estão preparadas tecnologicamente para o modelo de venda de créditos online, a empresa licencia seu software em um modelo SaaS.

Fundação:
Abril de 2016.

Sócios:
Luiz Renato Muno de Mattos — CEO e cofundador
Marcel Popolin de Araújo Cunho — CTO e cofundador
Valter Gabriel Paes Santiago — COO e cofundador
Durval Lucas dos Santos Junior — Board Member e cofundador

Perfil dos fundadores:

Luiz Renato M. Mattos — 26 anos, São Carlos (SP) — é formado em Administração de Empresas pela UFSCar. Foi professor no Colégio Técnico Mentor e conselheiro fiscal da ONG AMASA. Seu projeto de graduação deu origem da OnBoard Mobility.

Marcel Cunha — 28, Campinas (SP) — é  mestre em Ciência da Computação pela UFSCar. Trabalhou por cinco anos no Venturus Centro de Inovação Tecnológica.

Valter Santiago — 30, Sorocaba (SP) — é formado em Engenharia de Computação pela USP. Trabalhou como desenvolvedor na BioSpace e como gerente de pós-vendas na Rockcel.

Durval Lucas Junior — 34, Maceió (AL) — é doutor em Administração pela USP e mestre em Desenvolvimento e Meio-Ambiente pela UFAL. É docente do curso de Administração da Unifesp. Foi um dos orientadores no projeto de pesquisa que deu origem a OnBoard Mobility.

Como surgiu:
Luiz conta que a ideia do negócio surgiu ao ler uma reportagem sobre indústrias que poderiam desaparecer até 2020. Ele diz que observou que, com os avanços tecnológicos, a única coisa que sobraria na carteira do brasileiro seriam os cartões de transporte. “Surgimos com o propósito de integrar os diferentes serviços do transporte coletivo em um só cartão, pois não achamos justo a pessoa precisar de três cartões para se deslocar entre cidades. Porém, devido a algumas barreiras que encontramos, resolvemos, em um primeiro momento, facilitar as recargas desses cartões”, fala o CEO.

Estágio atual:
Desde de 2016 a OnBoard Mobility é uma das startups residentes no MobiLab (Laboratório de Inovação em Mobilidade Urbana de São Paulo) e também se estabeleceu em Belo Horizonte no prédio do Hub Minas Digital. No momento, opera apenas na capital paulista, com mais de 15 mil clientes. Em 2017, o negócio foi reconhecido como melhor solução para cidades inteligentes pelo Smart City Business Brasil ,em Curitiba, e pelo Connected Smart Cities, em São Paulo.

Aceleração:
Foi acelerada pelo Ahead Visa, da Startup Farm, e pelo SEED, do Governo de Minas Gerais.

Investimento recebido:
Além do investimento dos próprios empreendedores, a startup recebeu cerca de 20 mil reais do Ford Fund Lab, 64.800 reais da Toyota Mobility Foundation – InoveMob e 80 mil reais do Governo de Minas Gerais, pelo programa de aceleração SEED .

Necessidade de investimento:
“A estratégia da empresa continua sendo o bootstrapping e a busca de financiamento através de programas de fomento com foco em mobilidade urbana”, diz Luiz.

Mercado e concorrentes:
“Os sistemas de transporte coletivos não alteraram sua mentalidade em meio às inovações disruptivas que tomaram conta da mobilidade urbana nos últimos anos. Por disrupção, leia-se Uber, 99 táxis, bicicletas compartilhadas, car sharing, entre outros. O que esses meios têm em comum? São baseados em tecnologia, com acesso fácil, barato e seguro.”, afirma o CEO. Como concorrentes, aponta a RecargaPay e a Rede Ponto Certo. Ambos são aplicativos que realizam recargas no Bilhete Único de São Paulo.

Maiores desafios:
“Mostrar aos empresários de transporte coletivo que a solução para crise do seu mercado é a tecnologia e que, a partir dela, novas oportunidades de negócio surgem”, conta Luiz.

Faturamento:
A startup vendeu mais de 150 mil viagens de transporte coletivo em São Paulo em seis meses de operação.

Previsão de break-even:
Segundo semestre de 2019.

Visão de futuro:
“A ambição da OnBoard Mobility é integrar, em escala global, o sistema de transporte urbano de passageiros”, afirma o CEO.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

Como é andar de patinete elétrica, a nova “moda” urbana, em São Paulo

- 25 de setembro de 2018
8016 8 0

De olho nos “novos motoristas” de aplicativos, o StopClub lança uma rede de serviços no Rio

- 25 de junho de 2018