SPONSORS:

A Ozllo é um marketplace de roupas novas e seminovas de grife

- 6 de junho de 2019

Nome:
Ozllo.

O que faz:
É um marketplace que comercializa peças novas e seminovas de grifes, com até 80% de desconto em relação ao preço das lojas.

Que problema resolve:
De acordo com a fundadora, permite que proprietários de peças de luxo desapeguem de roupas que não utilizam mais e ganhem dinheiro com isso. Do ponto de vista do consumidor final, ele pode adquirir itens “que sempre sonhou” por um preço muito menor do que o das lojas.

O que a torna especial:
Ainda segundo a fundadora, a plataforma auxilia marcas a realizarem uma gestão de estoque mais eficiente, movimentando peças novas de coleções passadas que acabaram ficando paradas. “Isso aumenta as vendas e o faturamento das marcas parceiras da Ozllo e reduz o impacto ambiental do descarte das peças produzidas.”

Modelo de negócio:
A Ozllo fica com 30% do valor de cada venda realizada por meio do marketplace

Fundação:
Foi fundada no início de 2016.

Sócia:
Zoë Póvoa — Fundadora

Fundadora:

Zoë Póvoa — 24 anos, São Paulo (SP) — é formada em Administração de Empresas pelo Insper. Trabalhou na área de Gestão e Projetos da B2W Digital.

Como surgiu:
Zoë conta que sua mãe sempre trabalhou com moda e por isso ela já estava inserida nesse ramo. “Ao entrar na faculdade, queria ter uma fonte de renda, mas não podia trabalhar porque minha faculdade era em período integral. Decidi, então, vender roupas minhas, que não usava mais. Um dia, centralizei todas as peças em uma conta no Instagram e, quando vi, tinham amigas e conhecidas de amigas me pedindo para vender os itens delas também. Em pouco tempo, já estava fazendo vendas para fora de São Paulo.” Foi aí que a empreendedora decidiu criar um marketplace próprio para isso.

Estágio atual:
A startup está sediada no WeWork Labs, programa de incentivo a empreendedores, e conta com mais de mil usuários cadastrados na plataforma.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
A empreendedora investiu 10 mil reais no negócio.

Necessidade de investimento:
Estuda captar investimento para expandir a operação, mas ainda não sabe o valor.

Mercado e concorrentes:
“Ao mesmo tempo em que tivemos uma forte crise no país, a demanda e o desejo pelas peças que comercializamos não diminuíram. Com o dólar alto, por exemplo, viajar para fazer compras deixa de ser realidade para os brasileiros, que começam a buscar formas mais inteligentes de consumo. Assim, peças seminovas ou outlets viram primeiras opções para os consumidores, que sabem que podem fazer compras de grandes marcas por um preço melhor”, afirma Zoë. Ela cita como concorrentes a Privalia e a Dafiti.

Maiores desafios:
“Recrutar os melhores profissionais de tecnologia no mercado.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Foi atingido no primeiro mês de operação.

Visão de futuro:
“Queremos nos tornar a maior empresa de moda online da América Latina”, diz Zoë.

Onde encontrar:
Site
Contato

1436 Total Views 2 Views Today
Veja também:

A Sizebay criou um “provador” virtual para os e-commerces de moda, aumentando as chances de vendas

- 14 de maio de 2019