SPONSORS:

A PagHiper é especializada na intermediação de boletos bancários para e-commerces

- 18 de julho de 2019

Nome:
PagHiper.

O que faz:
É um fintech especializada na intermediação de boletos bancários para e-commerces.

Que problema resolve:
Possibilitas aos lojistas emitirem boletos bancários dentro de seus sites, sem a necessidade de direcionar o cliente para outro ambiente.

O que a torna especial:
Segundo o fundador, permite o reconhecimento do pagamento pelos lojistas em tempo real, agilizando assim processos como separação de estoque e entrega.

Modelo de negócio:
A startup recebe apenas por boleto pago e cobra uma taxa de 2,49 reais.

Fundação:
2016.

Sócio:
Weslley Silva — CEO

Fundador:

Weslley Silva — 27 anos, Paranavaí (PR) — é formado Sistema de Informação pela UNIPAR. Já teve dois e-commerces antes de empreender, entre eles o Aumentar Visitas.

Como surgiu:
O fundador conta que , como teve um e-commerce e “sofreu as dificuldades na pele”, a fintech surgiu da oportunidade de trazer aos lojistas tarifas mais justas na cobrança de boletos bancários. “Existia um monopólio de players e tarifas baseadas em porcentagem. Nossa tarifa é fixa, ou seja, ela não depende do valor da venda. Iniciamos o piloto com lojas virtuais de quem eu era amigo dos fundadores, evoluímos o processo e, depois, abrimos para o mercado.”

Estágio atual:
A startup conta com dois escritórios, um em Paranavaí e outro em São Paulo. Tem uma base de mais de 5 500 lojistas ativos mensalmente.

Aceleração:
Não busca programas de aceleração.

Investimento recebido:
575 mil reais de capital próprio.

Necessidade de investimento:
“Desde o início nunca foi nosso objetivo, porém, se surgir alguma oportunidade que seja interessante estamos abertos a analisar propostas”, diz o fundador.

Mercado e concorrentes:
“Hoje existem vários players e muito terreno para crescimento, porém, irão se destacar os que realmente conseguirem melhorar a experiência de compras nos e-commerces.” Weslley cita como concorrentes o PagSeguro, o Pagar.me e o WireCard.

Maiores desafios:
“O maior desafio é conseguir ajudar o lojista a melhorar a sua experiência de venda e compra no e-commerce, pois sabemos que existem diversos fatores que são relevantes no momento de escolher qual loja virtual comprar. Oferecer experiências e serviços que melhoram a conversão das vendas traz resultado para ambos.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
2º semestre de 2020.

Visão de futuro:
“Estamos nos credenciando como sub-adquirentes para podermos transacionar com cartões de crédito. O nosso objetivo é ser a principal empresa de intermediação de pagamento para e-commerces”, afirma o fundador.

Onde encontrar:
Site
Contato

1097 Total Views 2 Views Today
Veja também:

Fintech de gestão de pagamentos e antecipação de recebíveis, a Asaas quer ser uma conta digital completa

- 1 de outubro de 2019