SPONSORS:

A Smarti apoia empresas em suas transformações digitais e inovação

- 5 de setembro de 2019

Nome:
Smarti.

O que faz:
É uma startup de productivity, lean e agile que apoia empresas em suas transformações digitais e inovação.

Que problema resolve:
Promove soluções e serviços focados em automação robótica para high performance de processos, utilizando inteligência e tecnologia próprias. Proprietária também de plataformas de RPA (automação robótica de processos) “co-criando serviços disruptivos para qualquer área de negócio”.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, o investimento das empresas é, em média 1/3 do custo de mercado e tempo de implementação com a solução da startup. E seus robôs digitais operam 24 horas por dia de forma autônoma, escalável e gerenciável.

Modelo de negócio:
O modelo de negócio é o PaaS/SaaS (Plataforma e soluções orientadas a serviços), com ticket médio de investimento de R$ 60 mil, e custo de sustentação de cerca R$ de 3 mil mensal.

Fundação:
Julho de 2016.

Sócios:
Guilherme Duarte — Fundador e CEO
Úrsula Parreira — Fundadora e CFO
Ricardo Ramon — Advisor e CTO

Fundadores:

Guilherme Duarte — 31 anos, Curitiba (PR) — é formado em Tecnologia da Informação pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná e tem especialização em Business e Coaching pela JVK Consulting. Trabalhou na Ford, TIM Brasil e Grupo dormakaba.

Ursula Parreira — 51 anos, Boa Vista (RR) — é formada em Tecnologia da Informação pela Universidade Estácio de Sá e tem MBA em Gestão de Projetos pela FGV. Trabalhou na Task Sistemas e Grupo dormakaba.

Ricardo Ramon — 32 anos, Ponta Grossa (PR) — é formado em Tecnologia da Informação pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná, com MBA na mesma área pela UniOpet. Trabalhou em consultorias como Stefanini, Wipro e Mastercard – Cyber & Intelligence Solutions.

Como surgiu:
Os fundadores trabalhavam juntos na última empresa de atuação e contam que, além da sinergia entre os perfis pelo foco no valor agregado e na satisfação real dos clientes, tinham também um inconformismo com o modelo tradicional de mercado em resolver os problemas corporativos através da tecnologia. Resolveram juntos empreender a Smarti.

Estágio atual:
A startup está sediada em Curitiba e já atendeu 12 clientes, entre eles a Ocyan (do setor de Óleo e Gás).

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
O negócio recebeu R$ 100 mil de investimento-anjo.

Necessidade de investimento:
Os sócios querem captar R$ 600 mil para acelerar o roadmap e para a estruturação interna, com foco no scaling exponencial do mercado.

Mercado e concorrentes:
“Em um levantamento recente realizado pela Forrester Research estima-se que o conceito de RPA irá movimentar mais de US$ 2,5 bilhões nos próximos dois anos. No Brasil, o conceito ainda é muito novo e em fase inicial nas empresas. Essa é a grande oportunidade da Smarti”, afirma Guilherme. Ele aponta a UiPath, Automation Anywhere, Automate, IBM e WDG como os principais concorrentes diretos.

Maiores desafios:
“Inovar dentro de um mercado que já é disruptivo e liderado por concorrentes gigantes.”

Faturamento:
Não informado.

Previsão de break-even:
Outubro de 2019.

Visão de futuro:
“A projeção da Smarti é ser uma das principais fornecedoras de serviços disruptivos de produtividade para o mercado, seja ele qual for, utilizando de sua inteligência, expertise, soluções e tecnologias próprias. Também queremos mostrar que o Brasil é um formador de unicórnios de qualidade e impacto, atingindo o IPO”, diz o CEO.

Onde encontrar:
Site
Contato

895 Total Views 5 Views Today
Veja também:

Verbete Draft: o que é AIoT

- 17 de julho de 2019

Verbete Draft: o que é iPaaS

- 13 de março de 2019