SPONSORS:

A Talent Brand utiliza headhunting automatizado para recrutar candidatos

- 29 de junho de 2018

Nome:
Talent Brand.

O que faz:
É uma plataforma que acelera processos seletivos de profissionais de marketing e vendas através de Big Data e headhunting automatizado.

Que problema resolve:
Para recrutadores, é uma maneira de encurtar o processo de seleção e desenvolvimento dos candidatos, que pode demorar de 40 a 60 dias (e uma semana com a solução da startup). Para candidatos, é uma oportunidade de participar de um processo mais prático.

O que a torna especial:
Segundo os fundadores, a plataforma torna o headhunting de talentos acessível e rápido, enquanto o padrão de mercado é pouco tecnológico e de alto custo.

Modelo de negócio:
A Talent Brand lucra com uma taxa cobrada das empresas a partir de 75% do salário do funcionário contratado.

Fundação:
Junho de 2017.

Sócios:
Adolfo Peccin — CTO
Bruno Labate — CPO
Raphael Dyxklay — CRO
Romeu Rechdan — COO

Perfil dos fundadores:

Adolfo Peccin — 26 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formado em Ciência da Computação pela Anhembi Morumbi.  Trabalhou na WebTV e na TechVicio.

Bruno Labate — 28 anos, São Paulo (SP) — é formado em Administração pelo Insper. Trabalhou no Grupo Lacan e na BeYou.

Raphael Dyxklay — 26 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formado em Literatura pela UERJ. Trabalhou na Outbound Marketing e no Reev.

Romeu Rechdan — 28 anos, São Paulo (SP) — é formado em Economia pelo Insper e pós-graduado em Estratégia pela ESPM. Trabalhou no Standard Bank e empreendeu na BeYou.

Como surgiu:
Os sócios contam que a ideia surgiu de suas próprias dificuldades em experiências de recrutamento. “Nossa exigência em áreas nas quais a performance do profissional multiplica a receita da empresa era muito alta e, se você se compromete a contratar os melhores do mercado, vai passar por uma peregrinação que pode tirar seu foco nos finalistas mais compatíveis e no desenvolvimento de seus membros atuais”, afirma Raphael.

Estágio atual:
A startup tem sede em São Paulo, conta com 15 colaboradores e mais de 25 mil usuários.

Aceleração:
Não teve.

Investimento recebido:
Os sócios captaram um aporte com um investidor-anjo de valor não divulgado.

Necessidade de investimento:
Não buscam investimento.

Mercado e concorrentes:
“Enxergamos o potencial do mercado de RH se tornar cada vez mais moderno e estratégico, impactando ainda mais nos resultados das empresas”, fala Raphael. Ele cita como concorrentes recrutadores como InfoJobs, Indeed e Michael Page.

Maiores desafios:
“Temos dois principais desafios. Do lado das empresas, adaptar-se de forma orgânica a processos seletivos dos mais diversos. Do lado dos candidatos, ajudar cada vez mais a desenvolverem as lacunas técnicas e comportamentais que precisam para o sucesso nos processos”, diz o CRO.

Faturamento:
90 mil reais (em maio).

Previsão de break-even:
Já foi atingido em fevereiro deste ano.

Visão de futuro:
“Desejamos que a Talent Brand seja referência para um mercado de trabalho mais inteligente e humano e que processos seletivos passem a ser vistos como algo enriquecedor e estimulante”, conta Raphael.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

Na corrida pela inovação em RH, a Matchbox se inspira no marketing digital para atrair trainees

- 28 de março de 2018