SPONSORS:

“A tecnologia vai empoderar a Geração Z para mudar o mundo”

- 23 de janeiro de 2019
Ana Carolina Werneck trabalha na Dell desde 2018. O estágio foi sua porta de entrada para conversar com toda a América do Sul.

Jovens que estão entrando agora em estágios e empregos têm muito a nos ensinar. A Geração Z, de pessoas nascidas entre 1995 e 2002, vai chegar ao mercado de trabalho com um olhar aguçado e afiado para a tecnologia. E grande parte disso se deve ao fato de que eles já nasceram interessados e mergulhados no assunto – muitos deles nunca viveram sem internet. O resultado disso é, em parte, a esperança de trabalhar em instituições que garantam que eles poderão usar essas ferramentas para aprender novas aptidões e tornar o mundo um lugar melhor. É o que revela uma pesquisa encomendada pela Dell Technologies, realizada pela Dimensional Research em 17 países, incluindo o Brasil. Ela identificou que 85% dos brasileiros entre 16 e 23 anos deseja trabalhar com o desenvolvimento ou implementação de novas tecnologias. Para eles, os novos recursos e o volume de dados analíticos oferecidos pela tecnologia permitirão ambientes de trabalho mais justos e igualitários, que serão mais capazes de prevenir a discriminação baseada em sexo, raça ou idade. E em um ambiente de trabalho mais plural, haverá uma possibilidade ainda maior de desenvolvimento profissional e pessoal.

Ana Carolina Werneck, de 19 anos, é um exemplo de quem já está fazendo isso. Estagiária da área de aquisição de talentos da Dell no Brasil e no sul da América Latina, ela trabalha em Hortolândia, no interior de São Paulo, e usa computadores conectados à internet tanto para auxiliar no recrutamento de novos talentos para a Dell quanto para manter contato com sua chefe, que trabalha no Peru. Em seu dia a dia, a estudante de Administração concilia tarefas, fusos horários e ligações internacionais para conversar com supervisores de diversos países que estão buscando novos funcionários e precisam de seu apoio na triagem de currículos.

O uso diário da tecnologia, algo com que Ana Carolina já está familiarizada, fez com que o contato com pessoas em outras posições hierárquicas fosse facilitado e o trabalho se tornasse menos intimidante. “Uma das coisas que mais me encanta na Dell é o fato de ela ser uma empresa horizontal. Tenho total liberdade para conversar com todas as áreas”, diz. “Quando a empresa está voltada para a tecnologia, ela tende a ser mais aberta e pensar mais à frente. As pessoas conversam mais e entendem melhor as necessidades umas das outras.” O olhar da estagiária comprova que a hierarquia de trabalho precisa se adaptar ao uso produtivo das ferramentas. Jovens como Ana Carolina exigirão mais liberdade para dialogar de igual para igual e se sentirem respeitados. “Quando a pessoa se sente ouvida dentro dessa horizontalidade, ela certamente é mais produtiva”, aponta.

A adaptação precisará ser completa: empresas precisarão entender a necessidade de seus funcionários de conciliar o lado pessoal e o trabalho. O segundo precisa, cada vez mais, adaptar-se ao primeiro. Não o contrário.

Aprender mais e melhor
Outro grande desejo da Geração Z é manter um ritmo de aprendizado constante no trabalho. A pesquisa aponta que 38% dos entrevistados querem um emprego que tenha significado e propósito, e não apenas um bom salário. Para Diego Puerta, vice-presidente para consumidor final e pequenas empresas da Dell, esses jovens já têm todas as ferramentas em mãos para alcançar o que desejam. “O contexto de rápida evolução tecnológica em que vivemos os coloca em uma posição invejável em relação às gerações passadas”, diz. “A tecnologia poderá empoderar para que o sonho de mudar o mundo, que sempre foi inerente a muitos jovens, possa virar realidade, impulsionado pelo desenvolvimento de novas tecnologias que causem um impacto na sociedade.” Puerta afirma que recursos como realidade virtual e aumentada e mecanismos de inteligência artificial e machine learning serão caminhos cada vez mais utilizados para fazer novas descobertas.

Os cuidados, a partir daí, serão com a segurança de dados. Embora seja positivo que os jovens de hoje tenham sido apresentados ao mundo em um contexto fortemente impactado pela tecnologia moderna, esse cenário exige uma adaptação mais rápida ao ambiente de trabalho atual. “A naturalidade com que essa geração a utiliza pode representar riscos à segurança do ambiente corporativo”, diz o vice-presidente. “Por isso é importante que empresas e gestores estejam atentos e orientem seus novos funcionários sobre a importância da segurança no ambiente de tecnologia da informação e também sobre o papel de cada indivíduo nesse contexto.”

 

O conteúdo acima é um oferecimento da Dell e faz parte de uma série de postagens que serão publicadas no Projeto Draft com o intuito de reconhecer o papel transformador da tecnologia no cotidiano profissional.

A Dell entende que as transformações vividas nos últimos 20 anos representam somente uma etapa inicial do impacto positivo que a tecnologia desempenha na sociedade. Por isso, a empresa trabalha no sentido de conscientizar o meio corporativo para as mudanças que ainda virão e, assim, evitar riscos associados à segurança e gestão das informações, bem como para garantir a satisfação dos profissionais.

Há alguns anos, a Dell tem investido na construção de um portfólio de produtos e serviços que ajude as organizações nessa transformação para os ambientes de trabalho do futuro, com tecnologias que conciliem as necessidades dos usuários, em termos de mobilidade e flexibilidade, com a das organizações, em termos de gestão e segurança das informações. A missão da empresa é permitir que empresas e pessoas alcancem seus objetivos através da tecnologia, impulsionando a Transformação Digital no meio corporativo, o que passa pela Transformação da Força de Trabalho, Transformação da TI e Transformação da Segurança.

Veja também:

Porto Alegre no mapa mundial da inovação: como foi a primeira edição do Tech Art Festival

- 3 de abril de 2019

“Com a palavra, sete bilhões de pessoas no mundo (e durma-se com um barulho desses)”

- 1 de março de 2019

Verbete Draft: o que é Co-browsing

- 20 de fevereiro de 2019
885 1 0