SPONSORS:

Para elas, o cicloativismo virou negócio – e um espaço amado por quem pedala

- 26 de junho de 2019

Mais do que a paixão pela outra, Talita Noguchi e Luiza também compartilham uma paixão pela outra. Conheça a história do casal, que trabalha na bicicletaria paulistana Las Magrelas:

 

“Eu e Luiza estamos juntas há oito anos. Nos conhecemos por uma amiga em comum e logo descobrimos que partilhávamos mais que a amizade: havia a paixão pela bicicleta. Em fevereiro de 2014, nos casamos em plena praça pública, entre flores e pé na grama, redes estendidas entre as árvores e estacionamento lotado de bikes dos convidados. E elas seguiram fazendo parte da nossa história.

Viemos de uma longa caminhada como cicloativistas, lutando pelos direitos de quem opta pela utilização da bicicleta como meio de se locomover pela cidade. E, naturalmente, esse conhecimento do mundo das bikes e do ativismo se tornou o nicho no qual decidi atuar profissionalmente.

Em 2012, eu e um amigo saímos das oficinas de bicicletas em que trabalhávamos como vendedores e planejamos a abertura do nosso próprio negócio. Sem nem um real para investir, acionamos nossa rede de cicloativistas e conseguimos dez pessoas que toparam financiar a ideia. Assim nasceu, em 2013, o Las Magrelas.

Mix de bar e bicicletaria, Las Magrelas abriu num sobrado na Vila Madalena, bairro boêmio de São Paulo, e tinha três sócios, contando comigo. Luiza, embora não fosse um deles, me acompanhou em todo esse processo, sendo, inclusive, a responsável por toda a identidade visual. Logotipo, vitrine, flyers, lettering, caps de ciclismo, ilustrações… Foi tudo pensado por ela. O espaço deu muito certo e recebe diariamente ciclistas urbanos que desejam desde lubrificar a corrente da bicicleta ou remendar uma câmara furada até fazer uma revisão geral e pintura personalizada. Mas, desde o início, o Lasma (como é carinhosamente chamado) não é só uma oficina de bike.

É um local de convivência e permanência. O bar é esse ambiente que inspira ciclistas a sentar, conversar, debater e trocar ideias que vislumbram o mundo na direção de uma mobilidade ativa.

Hoje, seis anos depois, nos mudamos para o bairro de Pinheiros e não tenho mais sócios. Sou a única dona do espaço, mas Luiza segue firme comigo. Em quatro dias da semana trabalhamos juntas, embora em áreas diferentes. Enquanto eu cuido da oficina, ela assume as demandas da loja, que vende acessórios como selim, manoplas e fitas para guidão. Além disso, como designer, ela continua cuidando da nossa comunicação visual, como as artes dos posts que publicamos em nossas redes sociais. Nós apostamos nisso e utilizamos as redes sociais como meio de divulgar nosso trabalho. É no Facebook e no Instagram que mostramos, diariamente, os serviços que oferecemos, os trabalhos que entregamos e os produtos à venda no bikeshop. É uma vitrine fora da loja física.

Temos o costume de sair de casa juntas e voltarmos juntas do trabalho. Isso é importante. Por conta do dia a dia puxado, geralmente só nos vemos no almoço. Sabemos dividir bem o que é pessoal e o que é profissional e há um acordo para evitarmos ao máximo falar de trabalho quando estamos em casa. Talvez por tudo isso construímos uma relação profissional tão boa. Nada aqui no Las Magrelas foi criado só por mim. Essa casa foi construída coletivamente. São muitas pessoas envolvidas e eu tenho muito a agradecer por Luiza fazer parte de tudo isso.”

Talita Noguchi tem 32 anos e é a fundadora do Las Magrelas, um mix de bar e bicicletaria instalado no charmoso bairro de Pinheiros, em São Paulo (SP). Conheça mais sobre o espaço em https://www.facebook.com/LasMagrelas e https://www.instagram.com/lasmagrelas.

 

O post original desta publicação está aqui. O Facebook Para Empresas quer orientar e empoderar micro, pequenos e médios empreendedores no Brasil. Você pode conhecer mais acessando facebook.com/business ou a Página Facebook Para Empresas.

1043 Total Views 2 Views Today
Veja também:

Como se reerguer depois de um colapso psiconeurológico? Cari Mello é o Retrato da semana

- 19 de julho de 2019