Com a EmpregueAfro, Patricia Santos promove a equidade no mercado de trabalho | Conteúdo Itaú Mulher Empreendedora | Projeto Draft


SPONSORS:

Com a EmpregueAfro, Patricia Santos promove a equidade no mercado de trabalho

- 19 de janeiro de 2018
"Hoje temos 20% das empresas que estão na lista das 150 melhores e maiores do país, e isso para mim é uma grande realização", conta Patrícia.

 

Patrícia Santos trabalhou com atendimento em lanchonete, caixa lojas de shopping, recepcionista em uma academia e muitos outros empregos, até que passou a atuar na área de Recursos Humanos em algumas empresas. Durante os 17 anos em que atuou com o tema, se sentia incomodada com a falta de oportunidades oferecidas para os profissionais negros.

De acordo com informações divulgadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) no final de 2017, os negros e pardos são os mais atingidos pelo desemprego. No terceiro trimestre, dos 13 milhões de brasileiros desocupados, 8,3 milhões eram pretos ou pardos, o que dá 63,7% do total. Ainda segundo a pesquisa, esta parcela da população e ganham pouco mais que a metade dos rendimentos dos trabalhadores brancos no país. Para mudar o cenário e promover a diversidade e a inclusão no mercado profissional, há 12 anos ela fundou a EmpregueAfro.

Conheça a trajetória desta empreendedora que através do seu negócio atua para a construção de uma sociedade justa e igualitária.

Como surgiu a ideia de empreender e montar a EmpregueAfro ?

Como analista de RH percebia que os negros nunca estavam entre os participantes dos processos seletivos. Decidida a fazer algo para mudar essa situação, comecei a ensinar jovens a montar o currículo e a se comportar em entrevistas de emprego. Em menos de 6 meses as empresas começaram a pedir para que eu fizesse a seleção desses profissionais para os programas de diversidade. E assim criei a consultoria Empregueafro.

Como funciona a EmpregueAfro?

A Empregueafro é uma consultoria em Recursos Humanos focada na diversidade étnico-racial. Atuamos com engajamento corporativo para valorização da diversidade étnico-racial com programas de treinamento de gestores, entre outros. E nos programas de inclusão fazemos o recrutamento e seleção de profissionais e estudantes negros, tanto para vagas efetivas como para vagas de trainee e estágio.

Como foi o início da sua trajetória à frente da EmpregueAfro?

Durante 7 anos permaneci trabalhando no ambiente corporativo e, paralelamente, tocava a EmpregueAfro. No começo foi difícil ter crédito para investir no negócio, eu me preocupava muito com a sustentabilidade financeira da empresa.

Só consegui superar essa barreira porque alguns clientes acreditaram na proposta e adquiriram pacotes de serviços que me deram condições de me dedicar em tempo integral à minha empresa. Assim, desde 2013 a EmpregueAfro vem crescendo, ano a ano.

Hoje, quando olho para as dificuldades do início, entendo que elas surgiram por conta da própria característica do meu negócio: um empreendimento social que propõe a mudança na estrutura da nossa sociedade e a promoção de igualdade de oportunidades para a população mais historicamente excluída do nosso país. Acredito que toda transformação provoca, num primeiro momento, um certo receio. Mas aos poucos agente consegue promover a mudança.

E quais estratégias têm dado melhor resultado nesta trajetória?

Participar de eventos corporativos, cujas temáticas sejam recursos humanos ou diversidade e estar em grupos de discussão sobre esses temas.

Por outro lado, quais caminhos foram deixados de lado?

Deixei de centralizar as atividades. Aprendi (e estou aprendendo) a ser mais descentralizadora, a delegar o que é possível. E vejo que com essa mudança de atitude a empresa não sofreu prejuízo algum.

Na sua opinião, o que o empreendedorismo feminino tem de diferente?

A garra das mulheres! Somos focadas em fazer acontecer o negócio! Nosso diferencial é a nossa visão holística, enxergamos de forma mais ampla para conseguir administrar a rotina.

Qual seu maior objetivo? O que te motiva?

Minha motivação é provocar a mudança na nossa sociedade, é acreditar que o meu negócio colabora, mesmo que aos poucos, para reverter as estatísticas sobre negros no mercado de trabalho.

Qual foi o maior desafio que você enfrentou na vida empreendedora?

Pensar na operação, no financeiro, no comercial, em processos de venda, entrega e resultados, são atitudes de superação no meu dia a dia. Eu as enfrento com planejamento e com mentoria. E mantenho ao meu lado pessoas em quem eu posso confiar e que seguem o mesmo propósito.

Qual foi a sua maior conquista até aqui?

Com certeza, é a nossa carteira de clientes. Hoje temos 20% das empresas que estão na lista das 150 melhores e maiores do país, e isso para mim é uma grande realização.

Qual é o seu sonho? O que ainda falta realizar?

Desejo ver uma sociedade justa e igualitária. Sonho em ver profissionais negros em várias posições de liderança nas 500 maiores e melhores empresas.

Qual sua dica para quem está querendo empreender?

Descubra o que te encanta e estude muito! Estude o contexto do seu negócio e seus stakeholders (seu público estratégico), informe-se continuamente sobre o mercado no qual você quer atuar.

 

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

NOVO BANNER

Veja também: