SPONSORS:

Como analisar sua concorrência? Confira 6 dicas

- 23 de agosto de 2019

Além de dar mais entendimento sobre o mercado, pesquisar a concorrência ajuda a enxergar quais são as formas como sua empresa pode se diferenciar, seja no lançamento de um produto inédito, no atendimento com uma abordagem diferenciada ou na criação de vínculos mais transparentes com os clientes.

A seguir, veja nossas dicas para conhecer melhor seus concorrentes e se destacar entre eles:

1. Conheça a concorrência de perto
Visite lojas, eventos e feiras de empreendedorismo para saber como é feita a comercialização presencial de produtos parecidos com o seu: como é a disposição deles em loja? Qual é a variedade deles? Quais são os produtos de destaque? Como os atendentes se comportam no atendimento? De que maneira descrevem os produtos? A loja é um ambiente agradável de se estar? Por quê? Ao conhecer mais de um concorrente, tente ligar os pontos e descobrir o que eles têm em comum entre si e com você – e busque direcionamentos para criar algo inovador.

Dica: se você vende bolos caseiros em uma loja física, um diferencial é deixar um bolo fatiado à disposição com uma garrafa de café, copos descartáveis e um assento confortável para quem chegar ao lugar e quiser experimentar seu produto antes de comprá-lo.

2. Estude o seu setor
Procure empresas que atuem no mesmo grande nicho que você e, depois, vá fechando o círculo para entender quem são os seus concorrentes mais diretos e o nicho de atuação onde você terá resultados mais certeiros. À medida que sua pesquisa caminhar do cenário macro para o micro, responda: como as marcas menores e mais próximas da sua se diferenciam das grandes empresas? O que produzem? Onde estão localizadas? Como se comunicam com o cliente?

Dica: se você vende óleos hidratantes, sua grande área de trabalho é a de cosméticos. Mas, ao especificar melhor o que você faz, fica fácil perceber que as grandes marcas desse nicho não são suas concorrentes diretas: fechando o círculo é possível entender melhor a sua área de atuação. Quem são as outras empresas que fazem produtos artesanais como o seu (ou seja em quantias menores, para vender online ou em lojas pequenas e feiras de artesanato da sua cidade, por exemplo)?

3. Fique de olho nos preços
Além de incluir o custo da produção e o seu lucro, o valor pago pelo produto deve levar em consideração os preços dos seus concorrentes. Pesquise e veja o quanto se paga em média, em produtos semelhantes ao seu. Isso não significa que sua mercadoria deve ser a mais barata, mas é importante ter um preço competitivo e uma explicação clara da relação entre custo e benefício para que seus clientes entendam pelo que estão pagando.

Dica: um jeito de mostrar transparência é dizer o quanto do valor do produto é direcionado para cada fim. Considere especificar o quanto do pagamento por ele é custo de produção, frete e lucro reinvestido na empresa, por exemplo. Se preferir fazer algo mais simples, justifique o preço com pelo menos um diferencial que o seu produto tem em relação à concorrência, como matéria-prima orgânica, embalagem sustentável ou produto 100% feito à mão.

4. Foque em agradar
Dedique atenção à criação de vínculos para que seu público se sinta à vontade e acredite que pode contar não apenas com uma mercadoria qualificada, mas também com um atendimento excelente. Seu produto terá uma reputação ainda melhor se, além de ter boa qualidade, for vendido a partir de uma interação prestativa e atenciosa.

Dica: Mantenha seus canais de comunicação sempre abertos e demonstre prestatividade. Uma maneira de fazer isso é usando o recurso de respostas automáticas na sua Página do Facebook.

5. Procure notícias, artigos e palavras-chave
Ao pesquisar online, vá além: busque o que está sendo falado na mídia e em plataformas que não pertencem àquela empresa. O que é dito em lugares que ela não controla, como sites de notícia e portais como o Reclame Aqui? Ela já cometeu algum deslize que serve de ensinamento para você? Quais são os elogios e críticas que ela recebe? Que tipo de resposta ela dá?

Dica: sites como o SocialMention e o SEMRush podem te ajudar a descobrir o que está sendo falado sobre produtos como o seu de forma abrangente.

6. Analise as plataformas sociais
Preste atenção na forma como a marca se comunica com seus clientes em sua Página no Facebook: ela disponibiliza informações como horário de funcionamento e telefone para contato? Responde comentários? Faz postagens que geram participação? Quais são as que mais têm respostas positivas? O que as avaliações dos clientes dizem? No Perfil do Instagram, que tipo de imagem agrada mais? Quais são os assuntos abordados no uso da função Stories? A participação do público é estimulada?

Dica: ao observar a Página de Facebook e o Perfil de Instagram das marcas, enxergue-os não apenas como empreendedor, mas também como potencial cliente. O que te faz ter vontade de conhecer aquele produto? O que te incomoda nas postagens? A partir daí, pense novamente como empreendedor e responda: o que você faria melhor ou diferente?

Quer aprender mais? Confira nossas dicas para fortalecer seu relacionamento com seus clientes.

 

O post original desta publicação está aqui. O Facebook Para Empresas quer orientar e empoderar micro, pequenos e médios empreendedores no Brasil. Você pode conhecer mais acessando facebook.com/business, a Página Facebook Para Empresas ou o brand channel do Facebook no site do Draft.

2564 Total Views 4 Views Today
Veja também:

Ela tomou coragem e expôs a dor do abuso: Dora Figueiredo é o Retrato da semana

- 6 de setembro de 2019