SPONSORS:

Como um adolescente saiu do Orkut para criar a loja online de maior destaque de 2017

- 5 de fevereiro de 2018
Renan Andrade, hoje com 25 anos e um faturamento de R$ 6 milhões no ano: "crescendo e reinvestindo"

Mais do que ser o maior destaque de 2017 segundo os executivos de conta do Mercado Pago; mais do que contabilizar um faturamento que chegou a R$ 6 milhões durante o ano; mais do que ser um negócio de sucesso inegável, a loja de roupas BR Shop é uma espécie de história perfeitamente bem-acabada sobre as oportunidades incríveis da internet como plataforma de vendas e sobre as possibilidades inspiradoras do comércio online.

Tudo começou em 2009 com Renan Andrade, um empacotador de um supermercado em Marília, interior de São Paulo, que aos 16 anos decidiu complementar seu orçamento vendendo bonés pelo Orkut, a principal rede social da época. “As vendas começaram a fluir, e com o dinheiro dos bonés eu comecei a investir em camisetas. Fui atrás de uma plataforma e criei uma loja virtual”, lembra o empresário, hoje com 25 anos e CEO da BR Shop. “Quando a loja entrou no ar, o Orkut estava acabando, então comecei a investir no Google e Facebook que já estavam bombando.”

Trabalhando na casa dos pais, sozinho, Andrade começou a levar a BR Shop a ser conhecida como uma multimarca especializada em moda que ele define como “Lifestyle” (“uma moda urbana, surf, skate, moderna”) e continuou se expandindo. Essa, aliás, é uma característica peculiar dessa história: Andrade nunca procurou sócios ou investidores: “Fomos crescendo e reinvestindo”. Simples assim.

Em 2013, o investimento foi na oferta de produtos. Além de bonés e camisetas, a BR Shop passou a oferecer tênis, agasalhos de inverno, outras marcas de camiseta. A empresa foi transferida para um pequeno escritório com mais três pessoas e um espaço para estoque. “Foi quando triplicamos o faturamento e chegamos a mais de 20 funcionários”, diz. “Foi nosso primeiro boom”. E você já sabe o que ele fez: reinvestiu.

“Compramos uma pequena fábrica e fizemos uma megaampliação nela”, conta. “A partir disso começamos a dar mais atenção aos produtos de fabricação própria – e eles deslancharam”. O negócio se deu em 2015, e a BR Shops chegou ao tamanho que tem hoje, com quase 100 funcionários, entre a fábrica, atendimento, expedição, logística e outras áreas.

“Foi quando percebemos a importância de investir em fabricação própria, tanto pela exclusividade da oferta quanto pela rentabilidade – um produto muito barato com uma margem alta, vendida diretamente para o consumidor. Essa foi nossa maior lição até hoje”, ele diz.

“Mas também por conta da rapidez em responder às tendências. Quando nosso time percebe a moda de estampas florais ou de bolsinhos sublimados nas camisetas, por exemplo, a gente consegue produzir nossas peças literalmente de um dia para o outro.”

A BR Shop montou uma equipe de designers para criar modelos próprios – foi daí que surgiram marcas como Skill Head, BSC, Long Beach e Attack Life que, dois anos depois, respondem por 90% do faturamento da empresa – ainda que marcas parceiras estejam presentes desde o primeiríssimo momento, como é o caso da New Era. O gerente de planejamento do Mercado Pago, Diego Muñoz, conta como o crescimento rápido e contínuo da loja chamou sua atenção: “Ao avaliar os resultados das últimas ações de marketing que fizemos com nossos parceiros, ficou claro o potencial da BR Shop”, diz. “Atrelado a isso, por conta do grande volume de pedidos que processamos diariamente na categoria de moda, conseguimos medir uma altíssima taxa de aprovação a suas vendas. Foi a combinação perfeita para que a conta da BR Shop passasse a ser gerida pelos nossos executivos de conta, que dão todo o suporte para que os negócios cresçam ainda mais.”

Parte do atual estoque da BR Shop: a espera da mudança para o prédio novo.

Parte do atual estoque da BR Shop: a espera da mudança para o prédio novo, de 2.300 metros quadrados.

A parceria com Mercado Pago melhorou a taxa de aprovação da operação e, com investimento em marketing, atraiu mais tráfego ao site. “Eles foram fundamentais na última Black Friday, com os cupons de desconto ao cliente”, conta Renan Andrade. “Ou seja, o nosso cliente já tinha desconto nas compras e ainda recebia mais descontos do Mercado Pago.”

Tudo isso fez da BR Shop o destaque do ano – e isso porque estamos falando de um ano de transição: “Entramos em 2017 percebendo que estávamos limitados pela estrutura”, diz Renan. “Se vendêssemos muito a mais, provavelmente não conseguiríamos entregar”. O grande objetivo, então, foi encontrar um novo prédio para centralizar toda a operação – hoje dividida entre a parte fabril e administração. A nova sede da BR Shop é uma estrutura de 2.300 m2 em toques finais de construção para onde a loja deve se mudar ainda neste semestre. “Então vamos poder crescer mais ainda.”

Assim como no caso inspirador dessa loja de Marília, o Mercado Pago tem diversas soluções para descomplicar e profissionalizar o seu negócio online. Clique aqui e conheça o que podemos fazer por você.

 

Mercado Pago - Banner Draft v1

Veja também:

O Ateliê Catarina transforma livros em bolsas enquanto traz um novo propósito à vida de sua fundadora

- 13 de junho de 2018

A Nuvem Lifestyle é sobre refazer a vida — e empreender criativamente — em Portugal

- 23 de maio de 2018

A Meia Jaca saiu do break-even para o lucro com uma coleção de meias em protesto a Michel Temer

- 17 de abril de 2018
7001 2 0
Marcelo Ribeiro e Lucas Hamu: das meias estampadas à coleção Fora Temer, que alavancou a Meia Jaca (Foto: Luís Tajes).