SPONSORS:

Dog Vila Lobos: os desafios de Renata Caetano para profissionalizar o setor pet

- 13 de maio de 2019
"Entre os meus planos para o futuro está a criação de um santuário para lobos-guarás", conta Renata.

 

Determinada e apaixonada pela fauna, desde pequena Renata Caetano já tinha uma certeza: quando crescesse, iria trabalhar com animais. “Para alcançar esse meu objetivo, ser dona do meu próprio negócio parecia ser a melhor alternativa”, conta. Formou-se em Biologia, trabalhou na área por alguns anos, até que finalmente resolveu investir de vez em seu sonho, e tornar-se uma empreendedora do setor pet. Assim nasceu a Dog Vila Lobos, que não é apenas um hotel para cães, não. Acompanhe a entrevista e entenda os caminhos que Renata tem trilhado para ser um diferencial em sua categoria.

O que você fazia antes de fundar a Dog Vila Lobos?

Sou Bióloga de formação e trabalhei por sete anos com resgate e reabilitação de animais silvestres. Quando animais são mantidos em cativeiro, existe um trabalho que se chama condicionamento animal, onde os animais aprendem a responder a comandos para facilitar o manejo e a convivência entre eles e seus tratadores, melhorando a qualidade de vida do animal que se encontra em uma situação longe de ser a ideal. Foi aí que eu me apaixonei pelo trabalho do comportamento animal dentro de ambientes urbanos.

Como nasceu a Dog Vila Lobos?

Quando eu comecei a trabalhar com cães fazia adestramento, passeios recreativos e consultoria comportamental, mas queria proporcionar a eles algo mais parecido com sua vida, digamos, “natural”. Ou seja, correr livres, em companhia uns dos outros e realizando atividades que fossem compatíveis com a sua natureza. Esse foi a alma do negócio e o ponto de partida de tudo. Abrir uma creche para cães há 10 anos atrás foi o próximo passo para que pudesse proporcionar isso a meus clientes com segurança.

Como funciona o seu negócio?

A creche para cães é um ambiente onde diversos cachorros convivem juntos, socializam, brincam e interagem, sempre sendo observados de perto por uma equipe treinada. Na Dog Vila Lobos, por exemplo, utiliza-se muito a prevenção de comportamentos específicos, que sabemos que podem ocorrer a qualquer momento, como, por exemplo, uma disputa. Outro objetivo do negócio é que os cães consigam realizar atividades individuais ou em grupo para o seu enriquecimento comportamental, ou seja, que consigam realizar tarefas próximas à que fariam se estivessem na natureza. Para isso, desenvolvemos diversos tipos de atividades de enriquecimento sensorial, físico, cognitivo ou alimentar. Os cães podem, por exemplo, realizar quebra-cabeças para obter alimentos, interagir com objetos de fibras naturais ou serem incentivados com diferentes aromas ou sabores para estimular seu olfato ou paladar.

Como é a sua atuação na empresa?

Minha principal atuação sempre foi o estudo do comportamento e desenvolvimentos dos protocolos. Eu demorei muito para enxergar que a parte administrativa era tão importante para a empresa quanto trabalhar com os cães. Hoje meu papel é mais amplo. Como a empresa possui uma equipe altamente capacitada, eu tenho liberdade para criar novos negócios, montar cursos e workshops e não ficar presa à parte operacional.

Quais estratégias têm dado melhor resultado nesta trajetória?

Acredito que a minha melhor estratégia sempre foi a de descentralizar funções e focar no treinamento de uma equipe altamente capacitada para lidar com todas as questões do dia a dia. Trabalhar com os cães e com os clientes é muito gratificante, e treinar a equipe para fazer o que eu fazia foi fundamental para crescer como empresária.

Quais os diferenciais da Dog Vila Lobos para superar a concorrência?

Estar sempre um passo à frente. Há 10 anos eu desenvolvi e venho aplicando na Dog Vila Lobos uma metodologia específica, baseada no entendimento e solução para muitos dos problemas comportamentais que os cães podem adquirir em ambientes urbanos. Em 2018, no entanto, decidi buscar para a empresa uma certificação internacional onde isto fosse reconhecido. Eu entrei então em contato com a PACCC – Professional Animal Care Certification Council, a qual me convidou a apresentar a Dog Wellness (minha nova empresa de cursos e capacitação na área) para uma banca em um congresso em Saint Louis, EUA. Todos os meus cursos foram traduzidos e aprovados pelo comitê internacional, do qual eu passei a ser representante na América Latina. Hoje eu quero trabalhar para a profissionalização do setor de cuidado e comportamento animal, trazendo ao Brasil pela primeira vez certificações para profissionais como pet sitters, passeadores e proprietários de creches para cães.

Então, além da Dog Vila Lobos, você está, agora, abrindo outra empresa, a Dog Wellness?

Sim. A Dog Wellness surgiu para atender outro segmento muito promissor no ramo pet, o de cursos, treinamentos e capacitação de profissionais do comportamento e do cuidado animal. Eu já ministrava cursos na área há muitos anos, e a Dog Wellness surgiu como consequência disso. A empresa possui um Conselho formado por alguns dos mais respeitados profissionais nas áreas do adestramento e comportamento animal e veio para trazer conteúdos relevantes, capacitação e certificações para os profissionais destes setores.

Na sua opinião, o que o empreendedorismo feminino tem de diferente?

A mulher tem paixão pelo que faz. Ela sempre irá escolher uma atividade que desperte algum sentimento dentro dela, por isso acredito que sejam mais focadas e pró ativas. A mulher também consegue se multiplicar, ao mesmo tempo que consegue focar em cada uma das tarefas do dia a dia. Isso é de nossa natureza e certamente nos trazem benefícios para empreender.

Qual seu maior objetivo?  

Fazer com que o mercado de serviços para animais seja cada vez mais profissional e respeitado. Sou do tempo em que as pessoas faziam careta ao ouvir falar em creche para cães. Hoje a maioria dos donos de cães sabe dos benefícios deste serviço quando realizado por profissionais competentes. O bem-estar físico e psicológico dos animais é um assunto que deve ser cada vez mais levado a sério.

Qual foi o maior desafio que você enfrentou na vida empreendedora? Como superou?  

Certamente a falta de dinheiro. É muito difícil empreender no Brasil, pois a carga tributária é desumana e os contratos de trabalho muito difíceis de serem administrados por uma pequena empresa no início de sua vida. Acredito que manter o pé no chão e conhecer o seu mercado é fundamental para superar os obstáculos. Empreender numa área que você não domina deve ser muito mais difícil, por isso todo conhecimento é importante para que consiga enxergar novas oportunidades, novos nichos e, é claro, identificar o que está dando errado e o por quê.

Qual a maior conquista até aqui?

Saber que faço parte de uma mudança de conceito de toda uma classe de profissionais. Por serem profissões não regulamentadas, trabalhos como o de adestramento, passeio ou cuidados com animais muitas vezes eram vistos como subempregos ou atividades temporárias. E hoje sabemos que estas são profissões que podem ser seguidas com muito sucesso. Cada dia mais entendemos a importância de se contratar profissionais altamente qualificados para cuidar de nossos animais, e fico feliz de poder ajudar essa categoria a ter mais capacitação e respeito no mercado de trabalho.

Qual é o seu sonho? O que ainda falta realizar?

O meu sonho já está sendo estruturado, que é montar um grande centro de capacitação para empreendedores e profissionais do cuidado animal, utilizando a metodologia da Dog Vila Lobos, que é focada em profissionalismo, protocolos de segurança e principalmente no bem-estar animal. Este projeto, além de ser bom para o setor no qual atuo, pode ajudar também a dar uma nova profissão a muitos jovens carentes que tem o sonho de trabalhar com animais.

Se pudesse voltar no tempo e refazer uma decisão, corrigir algum momento da trajetória à frente da Dog Vila Lobos, o que seria?

Ter acreditado mais na minha visão empreendedora no início da carreira. Às vezes nós temos medo de crescer, achamos que já conseguimos muito ao ser uma pequena empresária e não devemos querer mais. E eu aprendi que não querer crescer é justamente o que pode te destruir.

Se pudesse dar apenas uma dica para quem está querendo empreender, qual seria?

Conheça o terreno onde pisa. Conheça absolutamente tudo da área na qual quer empreender, seja ela de turismo, alimentos, moda ou pet. É muito comum ver pessoas sem conhecimento da área tentando abrir um negócio extremamente específico e isso raramente irá dar certo. Se quer entrar de cabeça, estude muito primeiro. Faça consultorias com alguém referência da área, conheça as tendências nacionais e internacionais, e estude o seu produto. Assim suas chances irão aumentar substancialmente.

Quais seus planos para o futuro?  

Um santuário no Brasil para lobos-guarás é o meu plano de vida a longo prazo. Para o futuro próximo, quero ter uma empresa cada vez mais ativa no mercado, mas ao mesmo tempo cada vez mais social. Quero girar a economia e ajudar jovens a conseguirem bons empregos fazendo o que amam. E ajudar o segmento de cuidado para animais a obter cada vez mais respeito e profissionalismo.

 

Para saber mais:

Dog Vila Lobos

O que faz: é uma creche, escola e hotel para cães, e um centro de treinamento para profissionais do cuidado animal.

Sócios: Renata Caetano

Funcionários: 10

Sede: Rua Caativa, 415, Lapa. São Paulo – SP

Início das atividades: Novembro de 2014.

Investimento inicial: R$ 80.000

Contato: 11 2359-4717 / 11 97654-2757

 

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

 

Veja também:

Você colocaria seu bebê em um berço de papelão? A Nanú mostra que, além de sustentável, o produto é prático

- 10 de abril de 2019