SPONSORS:

Enel: Inovações melhoram distribuição de energia em locais remotos

- 4 de setembro de 2019
energia
Na Enel Distribuição São Paulo, o engenheiro Romolo Yamamoto Moreira criou um mecanismo que permite instalar equipamentos responsáveis pela conservação das linhas (os chamados espaçadores de linhas) em locais onde o caminhão da empresa não conseguia acessar. Foto: Divulgação/ Enel

Em um país diverso como o Brasil, inovar também é criar soluções para melhorar a qualidade dos serviços em regiões remotas ou de difícil acesso. Na Enel Distribuição São Paulo, o engenheiro Romolo Yamamoto Moreira criou um mecanismo que permite instalar equipamentos responsáveis pela conservação das linhas (os chamados espaçadores de linhas) em locais onde o caminhão da empresa não conseguia acessar.

Os espaçadores de linha precisam ser instalados a cada sete metros entre os fios da rede elétrica. Ele impede que os fios se juntem, ocasionando rompimento dos cabos e queda de energia. Nos locais onde os caminhões não conseguiam acessar, por exemplo, comunidades com ruas muito estreitas ou locais de mata muito fechada, a ausência dos espaçadores aumentava os custos de manutenção e as multas pagas aos clientes por desligamento da rede.

“Em São Paulo, muitos clientes ficavam sem energia por longo períodos de tempo, prejudicando os indicadores de qualidade da empresa, gerando custo de manutenção e riscos de segurança para os eletricistas, que precisavam posicionar a escada em cima do cabo em caso de rompimento ou desligamento”, explica Romolo.

A solução encontrada pelo engenheiro e sua equipe foi criar um equipamento que permite que o eletricista instale o espaçador na rede diretamente do chão. Com uma vara telescópica, os funcionários da Enel podem instalar os espaçadores sem precisar de caminhão ou escada. A solução, em vigor desde 2018, evita custos mensais de R$ 498,9 mil com manutenção e foi uma das vencedoras do último ciclo da premiação Inspire Deu Certo, que visa consolidar e estimular a disseminação da inovação por todas as áreas da Enel.

 

Inspire Deu Certo

Essa inovação lideradas por Romolo foi uma das vencedoras do último ciclo do Inspire Deu Certo, em que projetos piloto elaborados pelos colaboradores da Enel Brasil podem ser premiados nas categorias Processo, Produto, Digitalização e Segurança. Desde seu lançamento, 89 projetos já foram premiados. As inscrições para o próximo ciclo estão abertas! Saiba mais aqui.

Leia também: Enel premia inovações que geram sustentabilidade, reduzem custos e aumentam satisfação dos clientes

Criado em 2013 pela Enel Brasil, o programa visa a aprimorar processos e gerar melhorias para toda a organização a partir de soluções desenvolvidas pelos próprios colaboradores, criando, assim, uma cultura de inovação inclusiva. O processo de seleção ocorre ao longo do ano, com ciclos periódicos mensais que premiam publicamente as melhores ideias, levando em consideração os fundamentos, análise financeira, aplicabilidade e resultados obtidos.

 

Eficiência no uso de equipes de manutenção

Romolo também foi premiado pelo Inspire Deu Certo pela redução no uso de eletricistas necessários para realizar manutenção na rede elétrica ligada (a chamada Linha Viva). Antes esse tipo de procedimento exigia a presença de três eletricistas. Com o novo protocolo de operações criado pelo engenheiro, a equipe para atividades menos complexas passou a exigir um mínimo de dois eletricistas.

“O cesto do caminhão comporta só uma pessoa. Então ficavam dois eletricistas no solo, aguardando o serviço ser realizado”, lembra Romolo. Com essa inovação, ele conta que a Enel otimizou o uso de recursos humanos, não reduziu a segurança para os trabalhadores e não aumentou o tempo de realização de cada manutenção. Ele estima que a economia com a contratação de novas equipes de trabalho tenha chegado a R$ 11,45 milhões no ano de 2018.

 

Sistema self-healing autônomo

energia

O último ciclo da premiação Inspire Deu Certo também premiou o sistema de inteligência descentralizado implantado pelo engenheiro Hamilton Bueno De Souza (foto). O sistema permite a transferência automática de trechos de cargas de  um alimentador de distribuição com defeito para outro alimentador de distribuição (o chamado self-healing) sem a necessidade de um sistema centralizado, que é mais caro e de instalação mais demorada.

“Conseguimos implantar esse sistema utilizando apenas as funções de proteção,  já existentes nos equipamentos em operação. Assim cada chave ou religador opera de maneira independente e de forma coordenada, sem depender de um sistema mestre ou de comunicação entre as equipes”, conta Hamilton.

Desde 2012, a solução foi implantada em inúmeros locais da área de concessão da Enel São Paulo e gerou, em média, melhorias de 35% nos indicadores de qualidade, com uma taxa de sucesso acima de 80% e um baixo investimento de instalação e infra-estrutura.

Hamilton avalia que o sistema é especialmente benéfico em áreas mais remotas em todo o Brasil, onde comunicação ainda é problema. “É um projeto inspirador que nos levou a conhecer mais o sistema, aplicar as técnicas já existentes e tem ampla capacidade e potencial para ser aplicado em outras empresas do grupo”, conta.

 

3412 Total Views 1 Views Today
Veja também:

O corpo chegou ao limite, puxou o freio de mão e exigiu que tudo mudasse: Feppa Rodrigues é o Retrato da semana

- 14 de novembro de 2019

Ele tinha virado o estereótipo do funcionário público. Até abraçar a missão de requalificar as praças de SP

- 11 de novembro de 2019