SPONSORS:

Fundada por Carolina Dassie, a Hisnëk inova ao lançar a assinatura de snacks saudáveis

- 25 de junho de 2018
A Hisnëk oferece diferentes planos de assinaturas de snacks saudáveis. O assinante pode optar por opções de boxes que vai receber mensalmente em sua casa ou trabalho.

 

Economista com um MBA na IE Business School, na Espanha, ela atuou por muito tempo no mercado financeiro, no Banco Votorantim, no Credit Suisse e posteriormente na Bolsa de Valores. Até que resolveu realizar seu sonho de empreender. Seu primeiro negócio não deu certo, mas Carolina não desistiu. Afinal, é errando que se aprende. Insistiu, se reinventou, e criou a Hisnëk, um negócio para lá de inovador. Aqui ela compartilha seus erros, aprendizados, inspirações e sucessos.

Como surgiu a ideia de empreender?

Sempre tive vontade de empreender, de fazer algo diferente, algo que gerasse valor para a sociedade. Quando voltei de um MBA fora do Brasil e estava trabalhando na Bolsa de Valores decidi me tornar sócia de uma amiga em uma empresa de comida saudável congelada. Foi aí que comecei a empreender, mesmo que minha dedicação ainda não fosse integral. Na época eu trabalhava durante o dia na Bolsa e à noite me dedicava a esse negócio. Levei quase um ano e meio fazendo um modelo de negócios, mas depois de seis meses fechamos as portas.

Por que? O que não deu certo?

Sai porque percebi que da maneira que tínhamos pensado o negócio, ele não se sustentaria. Precisaríamos investir mais dinheiro em capital de giro, e eu não tinha mais recursos. Erramos ao montar uma estrutura muito grande para um negócio ainda incipiente, o que fez com que nossos custos fixos fossem muito altos.

Pensávamos que teríamos rapidamente uma grande demanda pelo nosso produto, o que não aconteceu. Se tivéssemos começado de maneira mais enxuta, teríamos tido folego de capital de giro para que a empresa pudesse amadurecer e conquistar clientes.

Como você enxergou essa derrota?

Eu acho que este foi um aprendizado incrível, e que me moldou muito como empreendedora. Hoje penso e faço as coisas com muita cautela, sempre testo uma ideia antes de investir dinheiro nela. Eu diria que grande parte do sucesso de hoje foi resultado do fracasso que tive no meu primeiro empreendimento. Na época foi muito difícil, eu havia perdido todo o dinheiro investido, mas não queria desistir de empreender. Continuei atenta ao mercado, em busca de uma outra ideia boa para resolver algum problema efetivo na vida das pessoas. Toquei para frente sem ficar muito paralisada. O grande desafio na vida de empreendedora é justamente não se paralisar. As dificuldades vão sempre acontecer, das menores até as maiores, mas a precisamos seguir adiante. Foi assim que, tempos depois, comecei a planejar a Hisnëk.

Como surgiu a Hisnëk?

Eu estava no último mês da minha licença maternidade e resolvi que queria sair do mercado financeiro, deixar a Bolsa de Valores e continuar empreendendo. Daí comecei a observar esse modelo de clube de assinaturas, que já era muito popular quando morei fora do Brasil. Eu também não queria sair do universo saudável, que é uma coisa que eu gosto muito e é uma tendência que não tem volta, pois as pessoas se preocupam cada vez mais com a sua qualidade de vida e alimentação. Lembrava que quando eu trabalhava na Credit Suisse e na Bolsa era visível a dificuldade que meus colegas de trabalho tinham com o lanche da tarde. Eles não tinham tempo para comprar algo saudável, ou não sabiam o que comprar e acabavam consumindo alimentos que achavam ser saudáveis, mas que na verdade não eram. Eles não sabiam ler e entender o rótulo dos alimentos e isso era uma coisa que eu já sabia fazer para mim porque sempre fui esportista, faço maratona e me preocupo muito com a minha alimentação. Esses colegas se surpreendiam com os produtos que eu levava para o meu consumo no trabalho, perguntavam onde eu os encontrava. Foi daí que tive a ideia de fazer uma estrutura de um clube de assinaturas de snacks saudáveis, tanto por ser um modelo de negócio interessante e também para solucionar esse problema do lanche da tarde das pessoas. Foi assim que nasceu a Hisnëk.

Como funciona a Hisnëk?

A Hisnëk oferece diferentes planos de assinaturas de snacks saudáveis. O assinante pode optar por opções de boxes que vai receber mensalmente em sua casa ou trabalho. Cada caixa apresenta uma seleção de 22 snacks doces e salgados (um para cada dia útil do mês). Todo mês oferecemos uma nova seleção para evitar repetições e todos os produtos passam por uma avaliação nutricional: eles não contêm gorduras trans hidrogenada, nem aditivos químicos tóxicos e apresentam níveis de sódio e açúcares controlados. A ideia é que as pessoas tenham uma alimentação saudável por bastante tempo, por isso sempre buscamos novos produtos para que a experiência de consumo seja muito positiva.

“Além disso, temos um braço corporativo em que a Hisnëk atua como uma fornecedora de benefícios para os colaboradores, que funciona da seguinte maneira: a empresa investe um valor mensal que permite que os colaboradores tenham direito a aderir aos nossos planos com descontos relevantes. Por exemplo, o colaborador que assina nossa caixa Classic de R$ 94,90, pagará R$ 66. Desta maneira, com um investimento reduzido há a possibilidade de oferecer este benefício para 100% dos colaboradores, independente da região em que estejam alocados”

Os descontos podem chegar a até 60% no valor das caixas, que são entregues na unidade de trabalho ou no endereço que o funcionário desejar. Começamos a atuar nesse segmento justamente porque queremos ajudar as empresas a manter populações mais saudáveis. Isso é bom para todos, pois uma população mais saudável é uma população mais produtiva. Serão menos pessoas batendo na porta do médico por causa de doenças relacionadas à má alimentação, como, por exemplo, pressão alta por ingestão de sódio em excesso, colesterol, etc. Cerca de 80% das doenças poderiam ser prevenidas através de uma alimentação mais saudável.

Como é a sua atuação?
Hoje sou CEO da Hisnëk. Desde 2016 temos alguns investidores anjos, pessoas que agregam muito ao negócio. Além do valor financeiro investido, compartilham conhecimento, contato e insights valiosíssimos, que ajudam com toda a estratégia da empresa. Mas sou eu quem toco a parte operacional para o negócio rodar e dar certo.

Como foi no início? Quais seus maiores medos e preocupações?

A princípio era não ter uma demanda suficiente para que o negócio desse certo. Como o modelo de negócio é muito enxuto, a dificuldade inicial é ter um custo fixo muito reduzido enquanto a empresa precisa de recursos e fôlego sem um capital de giro tão alto para se desenvolver. Foi por isso que comecei com a Hisnëk rodando dentro da minha própria casa: eu mesma montando e carimbando todas as caixas com a identidade visual da marca e depois levando todas elas aos Correios. Foi só depois de um tempo que pude contratar uma pessoa para me ajudar, depois mais duas, e foi então que o negócio cresceu e acabamos contratando um galpão especializado nesse tipo de montagem. Minha maior preocupação era manter os custos enxutos para eu ter fôlego, principalmente depois de uma quebra, para não ter tanta necessidade de capital de giro no começo.
Um outro grande desafio era conseguir trazer um grande volume de compradores para o e-commerce, já que todas as compras são feitas pelo site. Foi daí que tive de desprender bastante tempo procurando parcerias: atuamos muito com blogueiras (influenciadoras digitais) e outras marcas que trouxeram um fluxo grande para o nosso site, aumentando nossas vendas. Isso nos fez subir mais um degrau.

“Atualmente nossa maior preocupação é manter a taxa de cancelamentos o mais baixa possível. Como somos um clube de assinatura, não adianta trazer novos clientes se os assinantes antigos estão saindo da base. Por isso nos desafiamos constantemente em pensar no produto: será que ele está bom? Será que ele pode melhorar? Como? Será que há uma experiência de consumo melhor que eu possa proporcionar para nossos consumidores?”

Nós queremos manter nosso público na base por bastante tempo, não só pelo negócio, mas porque só vamos conseguir mudar a qualidade de vida das pessoas se ela mantiver uma boa alimentação por um longo período. Não adianta um consumidor ficar só um mês na Hisnëk porque daí não melhoramos sua qualidade de vida em nada. Para haver uma real mudança, estudos mostram que as mudanças de hábito levam de 12 a 18 meses, por isso queremos manter nossos clientes por muito tempo para efetivamente transformar sua vida. Por isso estamos estudando melhorias no produto, desenvolvendo um novo tipo de embalagem, uma comunicação interna diferente para as caixas. A melhoria é uma preocupação que temos desde o começo e vamos sempre levar com a Hisnëk.

Quais estratégias têm dado melhor resultado?
Na nossa trajetória tivemos estratégias muito boas que deram mais certo para o B2C, mas atualmente a operação corporativa tem se mostrado uma ótima alternativa. Nela, oferecemos esse fee por vida para a pessoa jurídica, permitindo que seus colaboradores tenham acesso a preços super competitivos para adquirir nossos produtos e todo mundo sai ganhando: o corporativo por investir em um valor por vida baixo, o colaborador por pagar muito mais barato pelos produtos e ter acesso a uma alimentação saudável e nós por cumprirmos nossa missão.
Empresas que investem na qualidade de vida dos seus funcionários conseguem atrair e reter talentos, além de baixar a sinistralidade dos convênios médicos. É aí que a Hisnëk entra no mundo corporativo: levamos uma alternativa saudável que também se torna uma estratégia rentável para as empresas.

Por outro lado, quais caminhos foram deixados de lado?

Já oferecemos carrinhos de snacks saudáveis para empresas, já atendemos os colaboradores da Fleury desta forma, além de corretoras de qualidade de vida para quem montamos gifts de snacks. Foram dois caminhos que acabamos deixando de lado porque entendemos que nossa grande vantagem competitiva não estava aí nessas maneiras mais tradicionais que tentamos usar, mas sim no nosso modelo atual corporativo, de coparticipação. Agora nosso foco está 100% no modelo Hisnëk Corp, colocando os snacks como um benefício que a empresa oferece aos seus colaboradores.

Como funciona o sistema de assinaturas? Por que optou por ele?

O sistema de assinaturas funciona como a assinatura de uma revista: o cliente contrata seu formato de box pelo site e todos os meses realizamos a cobrança em cartão de crédito. Após aprovação da operadora do cartão, o assinante recebe mensalmente sua caixa com os snacks sem que precise se lembrar de refazer a compra em meio à rotina e à falta de tempo. O benefício desse modelo é a recorrência de compra pré-aprovada em que o cliente não precisa se lembrar de refazer a operação todos os meses e recebe seus produtos com comodidade. Além disso, nós não precisamos ter o custo para levar o cliente à recompra, então também temos essa vantagem como empresa. A desvantagem é ter a preocupação constante com o produto para não perder nossa base de assinantes. Não adianta trazer clientes novos e não conservar a base, é enxugar gelo. Então as taxas de cancelamento são uma preocupação constante.

Na sua opinião, o que o empreendedorismo feminino tem de diferente?
Para mim, o empreendedorismo feminino está repleto de mulheres com muita força, muita determinação e garra. Se analisarmos os números, 64% das mulheres que decidem empreender fazem isso depois da maternidade. Isso porque o mercado acaba deixando essas mulheres de lado, acaba se desfazendo delas, ou porque elas são tão sugadas que não conseguem mais conciliar a maternidade com as exigências do mercado de trabalho. Quando a mulher se vê nessa situação, ela é muito, mas muito eficiente.

Empreender dá muito mais trabalho do que trabalhar para terceiros, são muito mais horas trabalhadas, mas que também é um período mais flexível. Então, efetivamente, as mulheres conseguem equilibrar melhor quando vai estar trabalhando e quando vai estar cumprindo seus compromissos pessoais ou com a família. A eficiência é fundamental para se dividir entre a maternidade e o empreendedorismo, principalmente durante a fase inicial do negócio.
Além disso, há um fator muito especial no empreendedorismo feminino que é o sustento de muitas famílias. Existem muitas mães solo que são a âncora de suas famílias e isso acaba se tornando uma coisa linda. Há uma série de empreendedoras com negócios escaláveis, mas há também essas empreendedoras de base que conseguem sua independência, seu sustento. Existem até mulheres incríveis que são empreendedoras e nem sabem, e é por isso que eu me dedico tanto a essa causa, para mostrar, para empoderar essas mulheres, dizer para elas que o que ela está fazendo não é um simples bolo confeitado para vender, por exemplo, mas que ela está sim à frente de um empreendimento, que pode fazer x ou y diferente para aumentar seus rendimentos e trazer coisas mais legais para sua família.

Hoje eu faço parte de uma aceleradora, a Be2Mammy, voltada especialmente para projetos de mulheres que já tiveram filhos. Também faço parte do Conselho do Insper Angels, rede de investidores-anjos, além de alguns coletivos femininos também do Insper. Como mulher e também empreendedora, acredito que um dos meus maiores papéis, além de propriamente empreender, é ajudar a fomentar cada vez mais o empreendedorismo feminino, fazer com que mais mulheres percebam que são fortes e que podem gerar valor para si, para suas famílias, para o seu redor e para a sociedade, mesmo começando na base.

Qual seu maior objetivo?
Minha motivação é fazer história. Eu brinco dizendo que eu não vim ao mundo a passeio, vim para fazer algo diferente, para impactar. O que me move é, por exemplo, a Hisnëk, que é muito mais do que snacks saudáveis, é mudar positivamente a vida das pessoas, ter indivíduos com mais qualidade de vida para eles se sintam mais saudáveis, e ainda fazer tudo isso de um jeito muito inovador. Por isso sempre penso em como trazer coisas novas, causar impacto na vida das pessoas não só no sentido da saudabilidade, mas também nas suas experiências de consumo. Atualmente, por exemplo, estamos estudando meios de aceitar criptomoedas na Hisnëk e também fomos os primeiros a desenvolver os planos de pagamento através do fee por vida para empresas no mercado brasileiro, o que é uma super inovação. Então o que me move todos os dias é fazer diferente e fazer melhor. Meu desejo de fazer coisas diferentes e gerar valor para a sociedade é muito genuíno.

Qual foi a sua maior conquista até aqui?
Acho que a minha maior conquista empreendedora ainda está acontecendo, que é o projeto todo da Hisnëk. Tivemos alguns marcos que me deixaram muito feliz, como uma rodada de captação que nos trouxe investidores-anjos muito importantes e que admiro muito. Foi muito marcante para mim quando eles abraçaram o projeto, fiquei muito feliz por ter o voto de confiança de pessoas que admiro demais. Outro marco foi quando conseguimos desenvolver o Hisnëk Corp para o mercado b2b, que foi muito bem aceito. Esse braço corporativo foi um modo de fazer diferente e de maneira inovadora, em que todo mundo sai ganhando. Para mim é nisso que está a beleza do modelo de negócio: conseguimos inovar com os nossos snacks saudáveis, os levamos a outro patamar.

Qual é o seu sonho?
Um empreendedor sempre é um grande sonhador, então sempre teremos sonhos e mais sonhos para realizar. Para mim, o próximo passo é ganhar cada vez mais o mercado corporativo com o nosso produto Hisnëk Corp. Sonhando com um horizonte de uns cinco anos, a próxima etapa do meu sonho é internacionalizar esse modelo, o que é muito possível.

Se pudesse dar apenas uma dica para quem está querendo empreender, qual seria?
Se você está querendo empreender e já tem um negócio alvo, a primeira pergunta a ser feita é se esse negócio (ou produto) está solucionando um problema que existe. O empreendedorismo vem para resolver problemas de uma pessoa, de um grupo de pessoas, da sociedade. Se a resposta for sim, o próximo passo é fazer um breve estudo de mercado e de modelo de negócio e colocar o produto para rodar para testá-lo o quanto antes. Isso porque é muito mais fácil detectar e corrigir algum possível erro quando você está testando as possibilidades em um formato pequeno e rápido.

“Lance rápido, teste barato, corrija logo. Essa é minha grande dica porque foi exatamente o que eu não fiz no meu primeiro empreendimento. Se você lança seu negócio de maneira rápida e barata vai conseguir enxergar o que o seu cliente quer, o que ele realmente precisa, e caso não seja, é muito mais simples corrigir tudo e chegar exatamente onde o consumidor quer. No final do dia, todo mundo morre se não tiver vendas, por isso é preciso chegar logo no produto que seu consumidor deseja”

 

Para saber mais

Hisnëk: https://www.hisnek.com/caixas

O que faz: Clube de Assinaturas de Snacks Saudáveis

Sócio(s): Maria Carolina Dassie Afonso

Funcionários: 9

Sede: São Paulo

Início das atividades: 2014

Investimento inicial: R$ 60 mil

Contato: Carolina Dassie – carolina.dassie@hisnek.com

 

Esta matéria pode ser encontrada no Itaú Mulher Empreendedora, uma plataforma feita para mulheres que acreditam nos seus sonhos. Não deixe de conferir (e se inspirar)!

 

NOVO BANNER