SPONSORS:

Marcos Felipe, do Ossobuco: “mantenha seu computador bem simples e funcional”

- 30 de janeiro de 2015
Marcos Felipe, criador do Ossobuco, o evento de criatividade e inovação mais descolado de Brasília, diz que só é possível aprender fazendo
Marcos Felipe, criador do Ossobuco, o evento de criatividade e inovação mais descolado de Brasília, diz que só é possível aprender fazendo

Um grupo de publicitários, reunidos por uma agência, por um bar e por uma característica em comum: o gosto de pensar fora da caixa, mesmo (e principalmente) quando as possibilidades são mais restritas.

Assim nasceu o Ossobuco, cujo lema, “mais tutano para a sua vida”, remete tanto à iguaria gastronômica (compartilhada pelo grupo nas reuniões informais que rolavam no tradicional Amigão Bar e Restaurante, em Brasília) quanto ao sentido figurado, de ir direto ao ponto e levar mais conhecimento e aprendizado ao dia-a-dia das pessoas. “Com muitas pretensões e sem nenhum dinheiro, nosso objetivo é compartilhar inspiração”, dizem os idealizadores do projeto.

E como isso funciona? Ossobuco é um evento mensal que acontece no auditório da Livraria Cultura do Shopping Iguatemi, em Brasília, e que reúne, durante uma hora, quatro palestrantes para falar dos mais variados temas, durante, no máximo, 15 minutos cada um.

Inspirados em eventos como o Pecha Kucha, o Ignite e o TED, o objetivo é dar mais voz a profissionais talentosos que muitas vezes acabam não encontrando muito espaço para expressar suas visões e para trocar informação. “Brasília tem duas características: por um lado, tem um pessoal muito bom trabalhando por lá, muita gente legal a fim de fazer muita coisa bacana. Mas, por outro, existe pouco espaço para os conhecimentos e aprendizados saírem do papel e serem postos em prática”, diz Marcos Felipe Pereira, um dos líderes do Ossobuco, que hoje está em São Paulo atuando como diretor de arte do Airbnb.

A ideia que martelava simultaneamente nas cabeças do grupo de amigos era: “Por que Brasília não tem eventos bacanas sobre criatividade e tecnologia?” Foi assim que organizaram a primeira edição do Ossobuco que, em pouco tempo, passou de um churrasco entre conhecidos para um auditório aberto a quem quisesse entrar.

Os idealizadores do Ossobuco fazem a curadoria dos palestrantes e trabalham junto a eles para aprimorar as apresentações, que devem ser sucintas e, ao mesmo tempo, transmitir conteúdo de qualidade e transformador. “Vivemos um momento de grande acesso à informação, o que estimula as pessoas a correrem atrás daquilo que querem aprender, e a segmentarem os conteúdos a que querem ter acesso”, diz Marcos. “O conhecimento não está mais restrito às universidades, que mal conseguem acompanhar a velocidade com que as coisas se reinventam, principalmente nas áreas que envolvem diretamente tecnologia, internet e inovação. O Ossobuco oferece a possibilidade das pessoas entrarem em contato com uma diversidade de temas, além de compartilharem seus conhecimentos de uma forma menos ortodoxa. O Ossobuco é um propagador de inspiração.”

Em São Paulo, Marcos passou por agências como SapientNitro e Ampfy. Ele defende o modelo de aprender fazendo, colocando a mão na massa. “Muito do conhecimento que adquiri em minha trajetória profissional não estava em uma sala de aula. Mas em palestras que assisti, em workshops de que participei e em referências que fui buscar”, diz ele.

 

DE EMPREENDEDOR PARA EMPREENDEDOR

 

Que apps de produtividade todo empreendedor devia usar?
Uma boa to-do list é fundamental. Gosto bastante da Wunderlist, que é de graça e tem versão mobile.

Que sites/perfis de negócios e inovação todo empreendedor devia seguir?
Acompanho muito os programas da NPR. Eles têm vários programas de rádio e blogs sobre assuntos diversos. Acho o material deles muito bem produzido, tem sido uma grande referência para mim. Falando de negócios mais especificamente, tem dois programas da NPR que gosto bastante: o Business Story of the Day e o Ted Radio Hour.

Que livros de negócio todo empreendedor devia ler?
O que tem me acompanhado é um livro bem básico chamado “Business Model Generation”, de Alexander Osterwalder, Yves Pigneur e Tim Clark. Eles têm uma proposta interessante de como você deve organizar seu negócio para construir uma empresa saudável.

Que eventos de inovação e negócios que todo empreendedor deveria frequentar?
Acho que o TED hoje tem o melhor repositório de palestras da internet. Sempre que estou sem ideias dou um pulo por lá para me inspirar. No Brasil está rolando eventos presenciais em vários lugares, vale ficar ligado.

Que ferramentas (planilhas, softwares, hardwares etc) todo empreendedor deveria ter?
Acho que um bom computador que possa te acompanhar o tempo todo e abusar das ferramentas gratuitas que a internet tem a nos oferecer.

Que softwares você usa no seu computador pessoal?
Os softwares que mais tenho utilizado ultimamente são o Evernote e Dropbox. Um ajuda a manter as ideias registradas e o outro mantém os arquivos de trabalho e pessoais sempre acessíveis onde quer que eu esteja.

Que hardwares ou acessórios você usa no seu computador pessoal?
Não sou um geek e não fico ligado nas últimas tendências. O único acessório que utilizo é uma caneta tablet da Bamboo num modelo bem antigo, mas que me ajuda muito na hora de trabalhar.

Uma dica de configuração ou atalho que você usa.
Minha dica é manter um fluxo de navegação simples e deixar as ferramentas que você precisa sempre à mão. O computador está aí pra te ajudar, mas não vai trabalhar pra você; então mantenha as coisas simples e o mais funcionais possíveis.

Qual a sua opinião sobre cloud computing?
Hoje em dia estou mantendo todos meus arquivos de trabalho na nuvem com o Dropbox. Antes tinha medo de confiar nessas ferramentas, mas hoje acabei acostumando. Utilizo outros HDs apenas para backup e isso deixou meu fluxo de trabalho mais rápido, posso acessar meus arquivos de qualquer máquina e compartilhar com quem precisar de forma fácil e segura, indico para todos os meus amigos.

Como seria o computador dos seus sonhos?
A única coisa que eu preciso é de um computador que processe bem os gráficos e que caiba dentro do meu orçamento.

 

AssinaturaHP

 

Com esta série HP/Intel no Draft, vamos falar das ferramentas e tecnologias usadas pelos inovadores. Do lifestyle e dos novos jeitos de trabalhar dos game changers brasileiros. Dos novos espaços de trabalho e dos novos jeitos de gerir dos nossos makers. Do como pensam e como fazem negócios os empreendedores criativos do país.

Veja também:

Quanto tempo resiste um evento gratuito de palestras inspiradoras? O Ossobuco completa sete anos

- 28 de maio de 2018
Heloísa e Vinícius atuam voluntariamente para fazer os eventos do Ossobuco acontecerem (foto: Luis Tajes).

Diáspora Black e a luta para prosperar da única startup de afroempreendedorismo acelerada na Estação Hack

- 12 de fevereiro de 2018
Carlos Humberto, Antonio Luz e André Ribeiros, da Diáspora Black, na Estação Hack, em São Paulo.

Quase sem querer, o PicniK passou de bazar descolado a maior propulsor da Economia Criativa de Brasília

- 22 de junho de 2017
8810 8 0
Miguel e Júlia (na foto, com Jung, um Shar-pei que não desgruda) querem ver Brasília com menos rótulos e mais criativa (foto: Luís Tajes).