SPONSORS:

Meu escritório é um trailer. Assim, a Upik pretende tornar a arquitetura mais acessível

- 20 de maio de 2016
Marcia Monteiro e Daniel Alves, sócios no escritório de arquitetura sobre rodas Upik.
Marcia Monteiro e Daniel Alves, sócios no escritório de arquitetura sobre rodas Upik.

Há um ano, a arquiteta Marcia Monteiro, 36, encontrou um mercado inexplorado. Sócia do FM arquitetura, que há 14 anos presta serviço na área, Marcia percebeu uma demanda que os escritórios do setor geralmente não atendem: pequenas reformas, uma dica de cor para o quarto, uma ideia para o armário da cozinha. Casas pequenas, até 100 metros quadrados, que dificilmente contratarão um projeto completo. Para cumprir esta demanda ela inventou a Upik, um escritório móvel especializado em espaços pequenos e projeto rápidos.

Arquitetura pocket. Ou melhor, truck. O trailer amarelo é a marca registrada da empresa. O veículo é um Turiscar 1978, motorhome de fabricação brasileira, que foi transformado em escritório sobre rodas. Seus 10 metros quadrados servem também de cartão de visitas e showroom da Upik. O espaço, originalmente construído como habitação, foi adaptado: duas bancadas de trabalho, bancos, sofá, jardim vertical, copa e banheiro. “Quis fazer um showroom, para quem entrar no trailler entender imediatamente o que estamos oferecendo e, quem sabe, já encontrar soluções para sua própria casa”, diz Marcia.

A arquiteta entende que, muitas vezes, quem vai reformar a casa precisa de uma conversa para ter segurança sobre como investir. “São dúvidas pontuais, a cor de uma parede, o tipo de luz do banheiro. Essa pessoa não vai entrar num escritório e fechar um contrato, mas talvez uma visita ao trailer perto da sua casa ou ao lado do seu trabalho faça sentido”, afirma. A empresa é fruto da sociedade entre Marcia e Daniel Alves, designer de interiores de 24 anos, que começou como assistente na FM e foi convidado pela ex-chefe para formar a sociedade.

AS VANTAGENS DE SER PEQUENO

O nome Upik vem do inglês, “you pick”, que quer dizer “você escolhe”. A primeira cliente da empresa é um bom exemplo do público que eles querem atingir. Ela construía o terceiro andar de sua casa, que já possuía dois estilos diferentes nos andares inferiores, e buscava uma solução para a fachada. Encontraram a resposta em uma hora de conversa. Deu certo e, alguns meses depois, a mesma cliente voltou para fazer o revestimento do banheiro.

A Upik oferece consultoria em arquitetura e decoração em dois formatos: por 300 reais a hora, os profissionais discutem as dúvidas e encaminham soluções. Por 500 reais a hora, os clientes levam para casa planta, layout e memorial descritivo (a relação de empresas parceiras que vendem os materiais indicados) para aquele projeto. Os interessados podem marcar horário pelo site ou visitar o escritório móvel enquanto ele estiver estacionado em um de seus parceiros.

O interior do trailler-escritório da Upik tem dicas práticas de aproveitamento de espaço.

O interior do trailer-escritório da Upik tem dicas práticas de aproveitamento de espaço.

Por enquanto, a Upik tem espaço cativo junto a lojas de decoração em Moema, Vila Madalena, Morumbi e Vila Olímpia, sempre em São Paulo. Além disso, também prestam serviço para construtoras, estacionando o trailer na garagem de novos empreendimentos para demonstrar as diferentes possibilidades de decoração e organização dos espaços nos futuros apartamentos.

A mudança do perfil do serviço oferecido pela empresa acompanha a mudança do perfil dos novos empreendimentos imobiliários, que cada vez mais oferecem apartamentos pequenos para seus clientes. O trailer, veículo que é ícone do aproveitamento de espaços apertados, também cumpre seu papel aqui, demonstrando como é possível organizar muita coisa em pouco espaço.

COM A VISIBILIDADE VEIO A RESISTÊNCIA DO MERCADO

A ideia de Marcia ganhou visibilidade, saiu em alguns veículos de comunicação e, como se poderia prever, gerou questionamento entre seus pares. Há alguns meses, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/SP) publicou nota sobre a empresa, apresentando o trabalho para seus associados. Alguns profissionais se indignaram e chegaram a postar ofensas na página da entidade, apontando que um trailer de arquitetura seria um rebaixamento da profissão.

Aquilo fez mal para Marcia, que não soube como reagir. Daniel, doze anos mais novo e mais acostumado às redes sociais, segurou a onda da sócia: “Calma, chefe. Bater boca é pior. Deixa passar essa onda”, disse. Marcia foi, então, pesquisar. Conversou com o presidente do CAU/SP e foi à Prefeitura para entender se poderia prestar esse tipo de serviço. A resposta foi positiva. Este foi o maior problema enfrentado pela Upik até aqui. Hoje, Marcia está tranquila:

“Não estou tomando lugar de ninguém. Estou abrindo mercado e mostrando que todos podem ter acesso à arquitetura. Não adianta fazer tudo sempre igual e achar que o mundo vai continuar parado”

Marcia e Daniel, então, seguem exercendo eles próprios essa nova possibilidade de viver a profissão. A dedicação à Upik é flexível: Marcia divide os dias de trabalho entre o escritório convencional (FM) e o sobre rodas. O trailer vai para a rua ou de quarta à sábado, ou de quinta à sábado, ou só aos finais de semana, dependendo da demanda e da disposição de trabalho.

A PRIMEIRA REFORMA, O TRAILER

O investimento para abrir o negócio foi de 110 mil reais, sendo que 80 mil reais foram usados na compra e reforma do futuro escritório sobre rodas. Ela pesquisou online e encontrou um trailer detonado. Reformaram a carcaça na Itutrailler, empresa da cidade de Itu especializada nesse tipo de veículo. Mas, normalmente, a demanda é por veículos residenciais e os profissionais da oficina não acreditaram que daria certo. “Foi bem detalhada a coisa, eu queria a cor certa, o móvel certo, o piso em revestimento vinílico, com cara de cimento queimado. Fiquei em cima até acabar e deu tudo certo”, afirma a arquiteta, que toda semana viajava para ver sua criação tomando forma.

Os outros 30 mil reais de investimento inicial foram divididos em duas consultorias: a Pro Seu Negócio criou a identidade visual, o nome da empresa e o layout do site, enquanto a consultora Lorena Bittar ajudou a montar a estratégia e o modelo de negócios da empresa.

Hoje, o trailer amarelo é um xodó de Carol, de doze anos, e Gabriela, de dez, as duas filhas de Marcia, que sempre apoiaram a ideia. “A primeira pergunta foi: ‘a gente pode andar aqui dentro?’. Não, não podem, não tem cinto de segurança, tudo balança, não dá. Mas elas adoram brincar aqui, lembra uma casa de bonecas”, conta Marcia.

A arquiteta está feliz com o resultado do novo negócio, que iniciou a operação em dezembro do ano passado e, mesmo sem lhe tomar todos os dias da semana, já rendeu 30 clientes. Seu sonho é transformar a Upik em uma franquia, pois ela entende que seu modelo flexível e barato pode ser um atrativo para novos arquitetos que não queiram arcar com os altos custos de um escritório tradicional. “Já temos marca, conceito e o modelo de negócios. Tem muito arquiteto por aí, será que conseguimos montar essa franquia? É o plano, vamos tentar. Se der certo, no futuro você vai ver um monte de trailers amarelos rodando por aí”, diz, ou melhor, arquiteta, a empreendedora.

11011 Total Views 7 Views Today

DRAFT CARD

Draft Card Logo
  • Projeto: Upik
  • O que faz: Escritório de arquitetura sobre rodas
  • Sócio(s): Marcia Monteiro e Daniel Alves
  • Funcionários: 2 (os sócios)
  • Sede: São Paulo
  • Início das atividades: dezembro de 2015
  • Investimento inicial: R$ 110.000
  • Faturamento: NI
  • Contato: [email protected]
Veja também:

A Pablita cria anéis, brincos e colares com pastilhas de vidro reaproveitadas da construção civil

- 13 de maio de 2019

O trailer virou startup: a Upik continua a democratizar a arquitetura, mas agora com tecnologia

- 2 de maio de 2019

A InstaCasa oferece projetos de casas pré-prontas para quem acabou de adquirir um terreno

- 8 de janeiro de 2019

Fruto de uma intensa busca, o Quintal das Flores alinha uma visão holística ao empreendedorismo

- 23 de abril de 2018

Fazer móveis exclusivamente para pets é a aposta da Beijo de Focinho

- 29 de setembro de 2017
Silvia e Sandra criaram a Beijo de Focinho com foco no mercado de alta decoração.