SPONSORS:

O Appzinho é um classificado digital de aluguel e compartilhamento de imóveis

- 7 de novembro de 2018

Nome:
Appzinho.

O que faz:
É um portal de anúncios de aluguel de quartos, pequenos apartamentos e ofertas de compartilhamento de imóveis no Rio de Janeiro e em Niterói.

Que problema resolve:
Facilita o aluguel de imóveis por parte da geração millennial que busca pelo endereço próprio. “Os jovens de hoje só conseguem sair de casa se for para lugares com custo barato, seja um quarto, um quarto-e-sala ou compartilhando com outras pessoas”, conta Daniela Pereira, uma das fundadoras.

O que a torna especial:
Segundo as fundadoras, como o foco do negócio são os jovens, a proposta do site, sua comunicação, abordagem e atendimento usam a linguagem e o entendimento do que é valorizado por eles.

Modelo de negócio:
A recém-lançada startup afirma que a receita virá de quatro formas: parcerias com marcas anunciantes; comissão cobrada por anúncios postados por clientes pessoa física; comissão cobrada de corretoras parceiras quando o negócio é fechado e comissão cobrada pela venda de serviços dos parceiros de conveniência, como vistorias, por exemplo.

Fundação:
Agosto de 2018.

Sócios:
Daniela Pereira — Cofundadora
Fernanda Pereira — Cofundadora
Gabriela Pereira. — Cofundadora
E mais cinco investidores-anjo

Perfil dos fundadoras:

Daniela Pereira — 50 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formada em Jornalismo pela Universidade Federal Fluminense e tem MBA pela COPPEAD UFRJ. É gerente de relacionamento da Rede Globo.

Fernanda Pereira — 28 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formada em Publicidade pela PUC-Rio. Trabalhou na Perestroika e foi redatora de mídias sociais na Conspiração, GoPro Brasil e Grupo Trigo.

Gabriela Pereira — 24 anos, Rio de Janeiro (RJ) — é formada em Mídias Digitais pela PUC-Rio. Trabalhou na VTEX e montou uma rede própria chamada Coletivo Trama, que tinha como objetivo facilitar a criação, articulação e divulgação de iniciativas colaborativas.

Como surgiu:
As fundadoras contam que a ideia do negócio em família (Daniela é mãe de Fernanda e de Gabriela) surgiu em meados de 2015 . “Os leitores do Apezinho (blog que criamos em 2013 para ajudar quem quer sair de casa e também compartilhar as experiências de quem já passou por essa situação) nos pediam ajuda para achar moradia e para anunciar seus endereços. Daí, nos demos conta de que devíamos entrar no mercado de aluguel”, dizem. Para executar o projeto, elas falam que se inspiraram nos grupos de locação do Facebook. Da ideia à finalização do business plan, se passaram cerca de 18 meses.

Estágio atual:
Em três meses de operação, 26 mil usuários navegaram pela plataforma e mais de 200 ofertas já foram anunciadas. O perfil de quem busca um cantinho para morar é majoritariamente feminino, entre 25 e 34 anos.

Aceleração:
Busca aceleração.

Investimento recebido:
No total, 450 mil reais. Foram três rodadas: um aporte inicial de 250 mil reais e mais dois de 100 mil reais.

Necessidade de investimento:
A previsão é que em 2019, quando a startup fizer a expansão para São Paulo, haja uma nova busca por investimentos.

Mercado e concorrentes:
“Alugar está se tornando um movimento natural para a geração dos millennials antes da busca pelo endereço próprio”, diz Daniela. Ela aponta como concorrentes o Zap Imóveis, QuintoAndar, Viva Real, Room Go e grupos do Facebook.

Maiores desafios:
As sócias afirmam ter as típicas dificuldades dos iniciantes. “Os desafios diários são: colocar na rua a melhor estratégia com pouco orçamento; conquistar a confiança das pessoas e marcas; não tropeçar nas dificuldades burocráticas de empreender no Brasil; aperfeiçoar a relação com os parceiros e transformar tudo isso em dados que alimentem a roda e a façam girar.”

Faturamento:
A startup será um portal gratuito até o final de 2018. As sócias manterão a operação com o investimento feito até o momento.

Previsão de break-even:
Segundo semestre de 2020.

Visão de futuro:
“A gente se propõe a ‘desintermediar’ as relações do mercado imobiliário e de conveniência doméstica, estimulando a convivência de clientes, marcas anunciantes e parceiros em um mesmo ambiente. Criamos vínculo, descobrimos a necessidade da pessoa e agimos para melhor atendê-la. Isso é vida real!”, conta Daniela.

Onde encontrar:
Site
Contato

 

Você tem uma startup que já é mais do que um sonho, mas ainda não é uma empresa totalmente estabelecida? Escreva para a gente. Queremos conhecê-lo. E, quem sabe, publicar um perfil da sua iniciativa aqui na seção Acelerados. Esse espaço é feito para que empreendedores como você encontrem investidores. E para que gente disposta a investir em novos negócios encontrem grandes projetos como o seu.

Veja também:

Contratação de startups, joint venture, codesenvolvimento de tecnologia: assim, a Cyrela inova

- 30 de agosto de 2018
6581 9 0